Portal O Debate
Grupo WhatsApp


O que fazer com uma oportunidade perdida?

O que fazer com uma oportunidade perdida?

15/06/2012 Leandro C. Lopes

A sua empresa fez tudo certo: elaborou uma boa campanha para seu produto/serviço que atraiu potenciais clientes, gerou leads, qualificou-os, encaminhou para a equipe de vendas.

Mas, infelizmente, o negócio não se concretizou. Não se desespere. Uma oportunidade que não se concretiza nem sempre é uma sentença, e pode significar apenas um atraso nos planos. Em vez de perder a cabeça e começar a apontar culpados, a melhor opção é analisar o caso para entender o que deu errado e, principalmente, manter o ex-futuro cliente por perto.

Após um tempo, é bom entrar em contato e checar o nível de satisfação do cliente em relação ao produto ou serviço que ele comprou no lugar do oferecido por você. Manter o lead pedido como parte da sua audiência é garantir que sua empresa estará presente na cabeça dele quando o concorrente falhar.

E, acredite, esse dia chegará mais cedo ou mais tarde. Use um sistema de acompanhamento de lead perdido com procedimentos (automatizados ou não). Envie conteúdo relevante para o cliente – newsletter, convite para eventos, promoções, etc – e ajude-o no que for possível. Em um momento de distração do concorrente, qualquer deslize no pós-venda, ele vai se lembrar de você.

Além desse, há outro motivo para contatar o cliente perdido. Muitas vezes o lead perdido dá mais informações a respeito de uma oportunidade ou venda do que o cliente que foi convertido. Falar com ele é uma chance única de entender se você está fazendo alguma coisa errada em seu processo de comunicação e vendas, aprender com seus erros e tornar-se ainda mais competitivo.

Ele pode ter negado sua proposta em função do preço, prazo, atendimento, modelo de comercialização. Você não vai saber se não perguntar:

• Por que ele não comprou com você?

• Com quem ele comprou?

• Ele comprou outro item diferente do oferecido por sua empresa que resolveu o problema dele? Qual?

E um alerta: caso o número de negócios perdidos comece a afetar o desempenho da empresa, alguma coisa está muito errada. Talvez a oferta esteja equivocada e a empresa precise corrigir o rumo rapidamente. Melhore a assertividade das áreas de marketing e vendas e garanta lucros em vez de problemas.

Leandro C. Lopes é executivo da L3CRM, empresa especializada em Gestão de Relacionamento com Cliente, consultoria e treinamentos.



Os desafios de tornar a tecnologia acessível à população

Vivemos uma realidade em que os avanços tecnológicos passaram a pautar nosso comportamento e nossa sociedade.


O uso do celular, até para telefonar

Setenta e sete por cento dos brasileiros utilizam o smartphone para pagar contas, transferir dinheiro e outros serviços bancários.


Canto para uma cidade surda

O Minas Tênis Clube deu ao Pacífico Mascarenhas o que a cidade de Belo Horizonte deve ao Clube da Esquina; um cantinho construído pelo respeito, gratidão, admiração, reconhecimento, apreço e amor.


Como acaso tornou famoso notável compositor

Antes de alcançar a celebridade, e a enorme fortuna, Verdi, passou muitas dificuldades financeiras.


Gugu e a fragilidade da vida

A sabedoria aconselha foco no equilíbrio emocional e espiritual diante da fragilidade e fugacidade da vida.


Quando o muro caiu

O Brasil se preparava para o segundo turno das eleições presidenciais, entre o metalúrgico socialista Luís Inácio Lula da Silva e a incógnita liberal salvacionista Fernando Collor de Melo, quando a televisão anunciou a queda do muro de Berlim.


Identidade pessoal e identidade familiar

Cada família gesta a sua identidade, ainda que algumas vezes, de forma inconsciente.


Desprezo e ingratidão

Não sei o que dói mais: se a ingratidão se o desprezo.


A classe esquecida pelo governo

O fato é que a classe média acaba por ser a classe esquecida pelo governo.


O STF em defesa de quem?

A UIF, antigo COAF, foi criada como uma unidade do Ministério da Justiça (hoje, no BACEN) para fazer uma coisa muito simples: receber dos bancos notificações de que alguém teria realizado uma transação suspeita, anormal.


O prazer da leitura

Ao contrário do que se possa pensar, não tenho muitos amigos. Também não são muitos os conhecidos.


Desmoralização do SFT

A moralidade e a segurança jurídica justificam a continuidade da prisão em segunda instância. A mudança desta postura favorece a impunidade dos poderosos e endinheirados.