Portal O Debate
Grupo WhatsApp

O que o Brasil vai ter após a pandemia do Covid-19

O que o Brasil vai ter após a pandemia do Covid-19

15/07/2020 J. A. Puppio

As nações mais adiantadas em tecnologia do mundo, estão superconcentradas em encontrar a cura desta pandemia.

Para nós do Brasil,“Falta honestidade dos Políticos” em colocarem o dinheiro que foi colocado pelo Governo Federal a disposição dos governadores e prefeitos, no lugar certo.

Ou seja, nosso país tem total condições de superar essa crise humanitária e econômica com recursos que já estão em mãos de políticos.

Cada solução tomada por governos honestos como a Coreia do Sul onde nada parou, mas o governo central colocou a disposição de toda a população testes do Covid-19 em todo território da Coreia e somente as pessoas que estivessem doentes eram colocadas em hospitais.

No Brasil onde 40% do congresso (Câmara e Senado) ainda são do governo anterior, bem como o supremo tribunal onde dos 11 ministros, 6 foram nomeados pelo governo anterior, o governo federal foi obrigado a não liderar as ações contra a pandemia, mas a  delegar para os governadores e prefeitos as ações, e na verdade paralisaram o pais inteiro o que vai nos trazer uma recessão jamais vista no País.

Mesmo assim, o governo federal liberou um montante de dinheiro que poderia ajudar muito, mas os líderes que são governadores e prefeitos conseguiram desaparecer com toda verba sem terem feito quase nada contra a pandemia.

Mas teremos, com toda certeza, uma distribuição de nossa economia, trazendo aproximadamente 20 milhões de desempregados e 29 milhões de pessoas sem casa para morar, além de 40 milhões de pobres e pedintes.

Se nossos políticos não deixarem de ser gananciosos e ladrões do dinheiro do povo, a solução para o País não virá.

Se houver uma ação efetiva, no entanto, a população poderá sofrer menos, pois nosso país somente com nossos produtos na área de Agro, podemos alimentar 1,6 bilhões de seres humanos conforme a ministra da Agricultura.

A imprensa ainda carrega consigo todos os defeitos dos governos anteriores, o que é escondido da população, que nos últimos 20 anos os governadores conseguiram empobrecer 40% da nossa população com impostos absurdos, conforme segue:

Botijão de Gás R$ 42,00 (Brasil), R$6,00 (Argentina), R$ 4,00 (USA)

Água/m3 R$ 0,90 (Brasil), R$ 0,30 (Argentina) e R$ 28,00 (USA)

Automóvel médio R$ 80.000 (Brasil), R$ 40,000 (Argentina) e R$ 38.000 (EUA)

O político brasileiro conseguiu colocar uma taxa de imposto que mata por ano mais que qualquer pandemia, enchentes, bala perdida e acidentes de trânsito.

Nosso país já chegou a criar 1 milhão de novas empresas por ano, mas o imposto assassino mata 1,5 milhões de empresas por ano.

Para melhor esclarecer, poderemos comparar os países que são próximos do nosso e qual é a carga tributária da população que trabalha.

USA 6%

Argentina 16%

Chile 18%

México 21%

Colômbia 22%

Brasil 56% (Temos muitos impostos uns sobre os outros)

A maior herança (maldita) foi deixada pelos últimos 20 anos pelos governos anteriores.

Na realidade nossos políticos antigos necessitam de uma completa reciclagem neste momento atual, eliminando: a corrupção, os desvios do dinheiro do povo e passando por um processo de renovação completo, sem politicagem mas com inteligência, com trabalho honesto para assim podermos combater as pandemias que vierem pela frente.

* J. A. Puppio é empresário, diretor presidente da Air Safety e autor do livro “Impossível é o que não se tentou”.

Fonte: Vervi Assessoria



Análise de dados e a saúde dos colaboradores nas empresas

Como a análise de dados está ajudando empresas a melhorar a saúde dos colaboradores.


16 senadores suplentes, sem votos, gozam das benesses no Senado

Quando o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), pretende colocar em votação Emenda Constitucional para acabar com a figura de SENADOR SUPLENTE?


Há tempos são os jovens que adoecem

Há alguns anos o Netflix lançou uma série chamada “Thirteen Reasons Why”, ou, em tradução livre, “As Treze Razões”.


Administração estratégica: desafios para o sucesso em seu escritório jurídico

Nos últimos 20 anos o mercado jurídico mudou significativamente.


Qual o melhor negócio: investir em ações ou abrir a própria empresa?

Ser um empresário ou empresária de sucesso é o sonho de muitas pessoas.


Intercooperação: qual sua importância no pós- pandemia?

Nos últimos dois anos, o mundo enfrentou a maior crise sanitária dos últimos 100 anos.


STF e a Espada de Dâmocles

O Poder Judiciário, o Ministério Público e a Polícia Investigativa são responsáveis pela persecução penal.


Lista tríplice, risco ao pacto federativo

Desde o tempo de Brasil-Colônia, a lista tríplice tem sido o instrumento para a nomeação de promotores e procuradores do Ministério Público.


ESG: prioridade da indústria e um mar de oportunidades

Uma pesquisa divulgada recentemente pelo IBM Institute for Business Value mostra que a sustentabilidade tem ocupado um lugar diferenciado no ranking de prioridades de CEOs pelo mundo se comparado a levantamentos anteriores.


Como conciliar negócios e família?

“O segredo para vencer todas as metas e propostas é colocar a família em primeiro lugar.”, diz a co-fundadora da Minucci RP, Vivienne Ikeda.


O limite do assédio moral e suas consequências

De maneira geral, relacionamento interpessoal sempre foi um grande desafio para o mundo corporativo, sobretudo no que tange aos valores éticos e morais, uma vez que cada indivíduo traz consigo bagagens baseadas nas próprias experiências, emoções e no repertório cultural particular.


TSE, STF e a censura prévia

Sabe-se que a liberdade de expressão é um dos mais fortes pilares da democracia.