Portal O Debate
Grupo WhatsApp

O self-service de Business Intelligence

O self-service de Business Intelligence

19/02/2013 Patricia Sodré e Paulo Miranda Porto Filho

Você já ouviu falar em BI pessoal ou BI self-service? Trata-se de uma nova tendência no mercado de plataformas de BI que tem como objetivo aproximar a análise de dados do dia a dia dos executivos, sem a necessidade de comprometer muito tempo e muitos profissionais das áreas de TI.

A ideia principal desse novo enfoque é fornecer aos usuários ferramentas que sejam de fácil instalação e configuração, fáceis de aprender e simples de usar. Em termos de capacidade, essas soluções devem fornecer funcionalidades de geração de relatórios, criação de gráficos, correlações entre informações provenientes de fontes diferentes, análise de cenários, entre outras.

Uma das principais motivações para a criação desse novo enfoque é diminuir a constante necessidade de consumir recursos (tempo e pessoas) do time de TI todas as vezes que os usuários de negócio precisam fazer alterações em seus ambientes de BI para suportar novas necessidades do mercado.

Os requisitos de BI mudam mais rápido do que um modelo de suporte de TI centralizada pode sustentar. Mesmo com aplicações e projetos seguindo as melhores práticas de desenvolvimento em BI, as empresas ainda lutam para transformar aplicações de BI rápidas o suficiente para atender requisitos de negócios em constante mutação.

Em algumas semanas, o mundo pode mudar completamente devido a uma súbita fusão e/aquisição, uma nova ameaça competitiva, uma nova estrutura de gestão ou novos requisitos de compliance e de órgãos reguladores. Na maioria das vezes em que as áreas usuárias solicitam para a TI alguma alteração no ambiente de BI o prazo de entrega esperado é bem menor do que o tempo hábil que a área de TI necessita para implementar a mudança.

Ao adotar uma solução de BI self-service, é possível realizar por conta própria boa parte das mudanças, tais como criação de novos relatórios, painéis de gráficos, análise de cenários etc. Com essa maior independência, o time de TI fica com mais tempo disponível para atuar na implementação de mudanças mais críticas e complexas, melhorando assim o prazo de entrega dessas alterações. A implementação do BI self-service resulta, ainda, na redução de tempo no estabelecimento de requisitos e parâmetros para geração de relatórios e análises, que muitas vezes não são compreendidos pelas áreas de TI.

Dessa forma, a adoção de uma plataforma de BI self-service, tende a trazer benefícios não só para as áreas de negócio, mas também para as equipes de TI, que passarão a atender melhor seus clientes internos. Outra vantagem da plataforma é a facilidade da manipulação de dados off-line (fora de suas redes corporativas e até mesmo fora da internet).

O intuito é facilitar análises Ad-hoc (consultas rápidas com uma finalidade específica) utilizando visões materializadas (pré-armazenadas em seus próprios dispositivos) e com o poder de cruzar esses dados com planilhas externa, além de possibilitar consultas de dados sem a necessidade de qualquer meio de conexão.

As plataformas de BI self-service são mais leves, flexíveis e de fácil aprendizado, o que reduz drasticamente o custo e o tempo de implantação de projetos de BI. A consistência e a qualidade dos dados provenientes de projetos desse porte são notavelmente superiores, tendo em vista que o desenvolvimento da camada de apresentação está nas mãos de seus próprios consumidores.

Um desafio para desmitificar o BI é aplicação adequada das regras de segurança da informação e portabilidade dos dados, uma vez quebrada essa barreira, essa plataforma só tem a crescer juntamente com as empresas que a adotarem.

*Patricia Sodré é gerente de produtos na eWave do Brasil, especialista em gestão de projetos de Business Intelligence e professora do SENAI e da FIT - Faculdade Impacta de Tecnologia.

*Paulo Miranda Porto Filho é diretor de marketing e alianças na eWave do Brasil.



Brasil, amado pelo povo e dividido pelos governantes

As autoridades vivem bem protegidas, enquanto o restante da população sofre os efeitos da insegurança urbana.

Autor: Samuel Hanan


Custos da saúde aumentam e não existe uma perspectiva que possa diminuir

Recente levantamento realizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) indica que os brasileiros estão gastando menos com serviços de saúde privada, como consultas e planos de saúde, mas desembolsando mais com medicamentos.

Autor: Mara Machado


O Renascimento

Hoje completa 2 anos que venci uma cirurgia complexa e perigosa que me devolveu a vida quase plena. Este depoimento são lembranças que gostaria que ficasse registrado em agradecimento a Deus, a minha família e a vários amigos que ficaram ao meu lado.

Autor: Eduardo Carvalhaes Nobre


Argentina e Venezuela são alertas para países que ainda são ricos hoje

No meu novo livro How Nations Escape Poverty, mostro como as nações escapam da pobreza, mas também tenho alguns comentários sobre como países que antes eram muito ricos se tornaram pobres.

Autor: Rainer Zitelmann


Como a integração entre indústria e universidade pode trazer benefícios

A parceria entre instituições de ensino e a indústria na área de pesquisa científica é uma prática consolidada no mercado que já rendeu diversas inovações em áreas como TI e farmacêutica.

Autor: Thiago Turcato


Marcas de um passado ainda presente

Há quem diga que a infância é esquecida, que nada daquele nosso passado importa. Será mesmo?

Autor: Paula Toyneti Benalia


Quais são os problemas que o perfeccionismo causa?

No mundo complexo e exigente em que vivemos, é fácil se deparar com um padrão implacável de perfeição.

Autor: Thereza Cristina Moraes


De quem é a América?

Meu filho tinha oito anos de idade quando veio me perguntar: “papai, por que os americanos dizem que só eles vivem na América?”.

Autor: Leonardo de Moraes


Como lidar com a dura realidade

Se olharmos para os acontecimentos apresentados nos telejornais veremos imagens de ações terríveis praticadas por pessoas que jamais se poderia imaginar que fossem capazes de decair tanto.

Autor: Benedicto Ismael Camargo Dutra


O aumento da corrupção no país: Brasil, que país é este?

Recentemente, a revista The Economist, talvez a mais importante publicação sobre a economia do mundo, mostrou, um retrato vergonhoso para o Brasil no que diz respeito ao aumento da corrupção no país, avaliação feita pela Transparência Internacional, que mede a corrupção em todos os países do mundo.

Autor: Ives Gandra da Silva Martins


O voto jovem nas eleições de 2024

O voto para menores de 18 anos é opcional no Brasil e um direito de todos os adolescentes com 17 ou 16 anos completos na data da eleição.

Autor: Wilson Pedroso


Um novo e desafiador ano

Janeiro passou. Agora, conseguimos ter uma ideia melhor do que 2024 reserva para o setor de telecomunicações, um dos pilares mais dinâmicos e relevante da economia.

Autor: Rafael Siqueira