Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Os médicos de ontem e de hoje

Os médicos de ontem e de hoje

17/03/2020 Humberto Pinho da Silva

Quando nas derradeiras décadas do século passado, escrevi num periódico portuense, crónica sobre os médicos, comparei, os actuais, com os de outrora – do tempo da minha meninice.

Entre os vários pareceres, que então, recebi, um, foi do Prof. Doutor José Ruiz Almeida Garrett (Médico), tecendo oportunas considerações, com as quais concordei, quase na totalidade.

Asseverava, então, nesse artigo, que o médico-sacerdote, quase se perdeu na socialização da medicina.

Os médicos tornaram-se funcionários. O que chamamos: “Médico da Família” não passa de técnico, que atende indiferente, milhares de doentes; doentes que o não escolheram, nem foram escolhidos.

Antigamente, o médico, não “dispensava” os doentes, como hoje muitos o fazem, para os hospitais, se podia realizar o tratamento: no consultório ou em visita domiciliária.

Ainda conheci esses homens excepcionais, verdadeiros sacerdotes. Cuidavam do doente, da família, e quantas vezes, preocupavam-se, ainda com os seus problemas financeiros, Procurando obter emprego, se estavam desempregados.

Um desses, era o velho Dr. Pedrosa (meu médico de criança,) que morava em Gaia. Levantava-se, frequentemente, em plena noite, para acudir a doente gravemente enfermo, que aflito o chamava pelo telefone.

Mas, nem só o Dr. Pedrosa Júnior, se preocupava com as dificuldades dos seus doentes. O mesmo fazia o pediatra Dr. Ferreira Leite. Extenuado, por dia de intenso e árduo trabalho, nunca recusava sua presença, na casa dos doentes, mesmo em plena noite, de madrugada.

E o bondoso Dr. Rocha Paris, e mais recentemente, o Dr. Salvador Ribeiro, ao realizarem visitas domiciliarias, muitas vezes, deixavam, debaixo da receita, a quantia necessária para adquirirem os medicamentos prescritos.

Compreendo, como observou o Prof. Doutor José Garrett, que a medicina socializou-se; e ainda bem, como era desejo do Dr. Eugénio Fontes – personagem fictícia de: “Olhai os Lírios do Campo” do grande gaúcho Érico Veríssimo, – homem bom e grande humanista.

Mas foi pena, que esses antigos médicos, tão humanos, tenham desaparecido, quase para sempre. Foi pena…

Não eram apenas médicos; eram amigos, companheiros presentes nas horas difíceis dos seus doentes, deixando sempre, palavras: tranquilas, animadoras e confortantes.

Verdadeiros e dedicados sacerdotes da medicina.

* Humberto Pinho da Silva

Fonte: Humberto Pinho da Silva



O bullying retorna a sala de aula

Os últimos anos trouxeram intensa mudança para o universo escolar.

O bullying retorna a sala de aula

Ser mãe é padecer… de cansaço?

Há um ditado que afirma que “ser mãe é padecer no paraíso”, remetendo às contraditórias emoções que seriam desencadeadas pelas vivências cotidianas da maternidade.

Ser mãe é padecer… de cansaço?

Polícia liberada para trabalhar como sabe

Os contumazes amantes da desordem e defensores intransigentes dos criminosos torceram o nariz quando o governador Rodrigo Garcia determinou o aumento do número de policiais nas ruas (a cidade de São Paulo aumentou de 5 mil para 9.740 o número de policiais em ação) e declarou que quem levantar arma contra a polícia vai levar bala.


Eleições e os bélicos conflitos entre os Poderes

O Presidente da República, Jair Bolsonaro, e, agora, as Forças Armadas estão aumentando a ofensiva contra a transparência e a segurança do processo eleitoral no Brasil.


Os amores de Salazar

O conceito que se tem de Salazar, é de político solitário, déspota e por vezes impiedoso. Mas seria o estadista, realmente, assim?


Expectativa de grande crescimento

Em função da pandemia causada pela covid-19, os anos de 2020 e 2021 foram bastante desafiadores, particularmente para a indústria de máquinas e equipamentos.


A importância da diversificação de investimentos em diferentes segmentos

Mesmo com os desafios impostos por dois anos de pandemia, o volume de investimentos para iniciativas brasileiras em 2021 foi expressivo.


Muito além do chip da beleza

Você, com certeza, nos últimos meses já ouviu falar do famoso “chip” da beleza.


Educação para poucos é o avesso de si

Intitulado “Reimagining our futures together: A new social contract for education”, um estudo recente da Unesco é categórico logo nas primeiras páginas: “Nossa humanidade e Planeta Terra estão sob ameaça”.


Mãe: Florescer é não se esquecer de viver!

Tenho experimentado que o “traço de mãe”, plantado por Deus no coração de cada mulher que Ele criou, vai além da capacidade de gerar filhos, biologicamente.

Mãe: Florescer é não se esquecer de viver!

Bullying: da vítima ao espectador

O bullying é um tipo particular de violência, caracterizado por agressões sistemáticas, repetitivas e intencionais, contra um ou mais indivíduos que se encontram em desigualdade de poder, gerando sofrimento para as vítimas, agressores e comunidade.


Desafios e oportunidades para o saneamento

Considerado um dos menos atrativos na infraestrutura, o setor de saneamento passa por uma profunda mudança de paradigma com a aprovação da Lei 14.026/2020.

Desafios e oportunidades para o saneamento