Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Os otimistas do ano novo

Os otimistas do ano novo

30/12/2015 Flávio Melo Ribeiro

O réveillon, mais do que a noite da virada do ano, é um símbolo de renovação.

Não é uma noite como as outras, as pessoas a tomam como um recomeço, um período em que podem iniciar novos projetos.

Isso tudo com muita alegria, regada a espumantes e confraternizações com familiares e amigos.

Uma noite mágica, pois embora o tempo não pare, a contagem do tempo em forma de ano possibilitou ao ser humano vivenciar ciclos de 365 dias, criando a esperança da mudança.

A semana que antecede a virado do ano é o momento de as pessoas avaliarem o ano que passou, suas atividades, sucessos e fracassos.

Momento propício para planejar o próximo, dizer que ele será diferente e criar uma atmosfera otimista.

A esperança enche de otimismo o imaginário das pessoas, mesmo que dure apenas a noite da virada.

É nesse período que se diz que vai mudar as ações, fazer dieta, trabalhar mais, buscar novas oportunidades, rever comportamentos que têm lhe trazido dificuldades, entre outras promessas.

Os próximos 12 meses possibilitam uma visão otimista de realização e, com isso, a virada de página do ano que passou, deixando para trás as amarguras, as frustrações e mesmo a falta de iniciativa.

A semana anterior ao réveillon já é passado, está muito distante, já faz parte do ano passado. É como que por feitiço, o ano anterior é algo fechado, acabado e distante.

Dessa forma, ocorrem o desapego e a possibilidade de viver o ano novo como um recomeço. Isso ocorre naturalmente na nossa sociedade, essa virada psicológica do ano que traz energia para novas relações e projetos.

As autoavaliações geralmente são silenciosas, mas os novos projetos são anunciados, principalmente quando estão em formas de ideias.

A pessoa se enche de esperança e acredita que realmente o próximo ano será diferente, mesmo quando ela não está disposta a fazer diferente.

Muitas pessoas são incoerentes, querem resultados diferentes no ano vindouro, mas se mantêm fazendo as mesmas coisas da mesma forma.

Principalmente quando estão insatisfeitos com suas vidas e respectivas relações, desejam a realização, mas continuam iguais.

Mas como garantir a mudança nesses novos projetos? Esse será o tema do próximo artigo.

* Flávio Melo Ribeiro é psicólogo.



O fim da reeleição de governantes

Está tramitando pelo Congresso Nacional mais um projeto que revoga a reeleição de Presidente da República, Governador de Estado e Prefeito Municipal.

Autor: Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves


PEC das drogas

O que esperar com a sua aprovação?

Autor: Marcelo Aith


PEC do Quinquênio simboliza a metástase dos privilégios no Brasil

Aprovar a PEC significará premiar, sem justificativa plausível, uma determinada categoria.

Autor: Samuel Hanan


O jovem e o voto

Encerrou-se no dia 8 de maio o prazo para que jovens de 16 e 17 anos pudessem se habilitar como eleitores para as eleições municipais deste ano.

Autor: Daniel Medeiros


Um mundo fragmentado

Em fevereiro deste ano completaram-se dois anos desde a invasão russa à Ucrânia.

Autor: João Alfredo Lopes Nyegray


Leitores em extinção

Ontem, finalmente, tive um dia inteiro de atendimento on-line, na minha casa.

Autor: Marco Antonio Spinelli


Solidariedade: a Luz de uma tragédia

Todos nós, ou melhor dizendo, a grande maioria de nós, está muito sensibilizado com o que está sendo vivido pela população do Rio Grande do Sul.

Autor: Renata Nascimento


Os fios da liberdade e o resistir da vida

A inferioridade do racismo é observada até nos comentários sobre os cabelos.

Autor: Livia Marques


Violência urbana no Brasil, uma guerra desprezada

Reportagem recente do jornal O Estado de S. Paulo, publicada no dia 3 de março, revela que existem pelo menos 72 facções criminosas nas prisões brasileiras.

Autor: Samuel Hanan


Mundo de mentiras

O ser humano se afastou daquilo que devia ser e criou um mundo de mentiras. Em geral o viver passou a ser artificial.

Autor: Benedicto Ismael Camargo Dutra


Um País em busca de equilíbrio e paz

O ambiente político-institucional brasileiro não poderia passar por um tempo mais complicado do que o atual.

Autor: Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves


Nem Nem: retratos do Brasil

Um recente relatório da OCDE coloca o Brasil em segundo lugar entre os países com maior número de jovens que não trabalham e nem estudam.

Autor: Daniel Medeiros