Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Os ventos da mudança política

Os ventos da mudança política

21/09/2012 Dirceu Cardoso Gonçalves

O horário gratuito de propaganda eleitoral na TV chega a superar o “Jornal Nacional” em pontos de audiência. Essa a grande novidade dos últimos tempos.

As inserções, cujos críticos dizem não despertar o interesse do telespectador, estão alcançando índices invejáveis. A aceitação do meio eletrônico mostra a evolução da sociedade, que está se politizando e preocupada em conhecer os candidatos, analisar suas propostas, seu passado e, principalmente, ver se o seu preferido têm algum envolvimento com corrupção.

Nos últimos anos tem aumentado o número de eleitores que buscam avidamente na mídia tradicional dos jornais e revistas as informações sobre o movimento político eleitoral. E agora, além de atentarem para o horário gratuito de rádio e tv, ainda estão aí, à sua disposição, os e-mails e as redes sociais, que ganham impulso na difusão da mensagem eleitoral e, cada dia mais, constituem o instrumento de trabalho, educação e lazer de expressiva parcela do eleitorado, especialmente os mais jovens.

Essas mídias passam a despertar o interesse e a fomentar a difusão das mensagens e o debate das ideias, antes restrito aos comícios e à imprensa escrita. Seu bom direcionamento está conduzindo a sociedade ao sonhado estágio de consciência e participação, fundamental para o bom exercício do voto. Não devem se esquecer, também, dos acervos dos jornais e revistas, hoje disponíveis na internet.

Basta o eleitor neles navegar para pesquisar o passado do seu candidato e, encontrando algo que o desabone, mudar o voto.. Durante anos, a população tem sido bombardeada por acontecimentos que motivam seu amadurecimento e a marcha rumo à participação e à moralidade. Depois de sucessivos escândalos onde os protagonistas acabaram se safando da punição por diferentes razões, o povo mobilizou-se e enfiou goela-abaixo de senadores e deputados do Congresso Nacional o projeto da Ficha Limpa, que já impediu alguns e deverá deixar muitos maus políticos fora nas próximas eleições.

O Supremo Tribunal Federal, com o julgamento do mensalão, ora em andamento, dá mostras de como deve funcionar o Poder Judiciário livre e independente. E o próprio governo federal, apesar das amarras e injunções políticas a que é sujeito, também tem se empenhado na faxina. As pesquisas no âmbito da campanha eleitoral municipal dos grandes centros vêm demonstrando que, no clima de resgate político e moral que acabou se implantando no país, o povo parece agir mais livre e por vontade própria, pouco se importando com partidos e legendas políticas.

Partidos, grupos fortes e figurões da política têm sido preteridos em troca da mensagem mais condizentes com as aspirações da comunidade. Sem dúvida, está nascendo e se cristalizando uma nova mentalidade, com todas as condições de passar o país a limpo e formar uma nova classe política, mais preocupada em discutir e resolver os problemas da comunidade e livre do nefasto voto de cabresto e da infame compra de votos.

O povo, bem informado, jamais será enganado. É preciso aproveitar os ventos que sopram por mudanças e, com eles, mudar para melhor a nossa política e o país. O eleitor precisa ter motivos para voltar a acreditar  que político é sério, honesto e trabalhador e, a partir daí, com a arma do seu voto, expulsar do meio todos os enganadores, corruptos e mistificadores...

Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves – dirigente da ASPOMIL (Associação de Assist. Social dos Policiais Militares de São Paulo).



Marcas de um passado ainda presente

Há quem diga que a infância é esquecida, que nada daquele nosso passado importa. Será mesmo?

Autor: Paula Toyneti Benalia


Quais são os problemas que o perfeccionismo causa?

No mundo complexo e exigente em que vivemos, é fácil se deparar com um padrão implacável de perfeição.

Autor: Thereza Cristina Moraes


De quem é a América?

Meu filho tinha oito anos de idade quando veio me perguntar: “papai, por que os americanos dizem que só eles vivem na América?”.

Autor: Leonardo de Moraes


Como lidar com a dura realidade

Se olharmos para os acontecimentos apresentados nos telejornais veremos imagens de ações terríveis praticadas por pessoas que jamais se poderia imaginar que fossem capazes de decair tanto.

Autor: Benedicto Ismael Camargo Dutra


O aumento da corrupção no país: Brasil, que país é este?

Recentemente, a revista The Economist, talvez a mais importante publicação sobre a economia do mundo, mostrou, um retrato vergonhoso para o Brasil no que diz respeito ao aumento da corrupção no país, avaliação feita pela Transparência Internacional, que mede a corrupção em todos os países do mundo.

Autor: Ives Gandra da Silva Martins


O voto jovem nas eleições de 2024

O voto para menores de 18 anos é opcional no Brasil e um direito de todos os adolescentes com 17 ou 16 anos completos na data da eleição.

Autor: Wilson Pedroso


Um novo e desafiador ano

Janeiro passou. Agora, conseguimos ter uma ideia melhor do que 2024 reserva para o setor de telecomunicações, um dos pilares mais dinâmicos e relevante da economia.

Autor: Rafael Siqueira


Desafios da proteção de dados e a fraude na saúde

Segundo o Instituto de Estudos de Saúde Suplementar (IESS) R$ 34 bilhões dos gastos das operadoras médico-hospitalares com contas e exames, em 2022, foram consumidos indevidamente por fraudes, como, por exemplo, reembolso sem desembolso, além de desperdícios com procedimentos desnecessários no país.

Autor: Claudia Machado


Os avanços tecnológicos e as perspectivas para profissionais da área tributária

Não é de hoje que a transformação digital vem impactando diversas profissões.

Autor: Fernando Silvestre


Inteligência Artificial Generativa e o investimento em pesquisa no Brasil

Nos últimos meses, temos testemunhado avanços significativos na área da inteligência artificial (IA), especialmente com o surgimento da inteligência artificial generativa.

Autor: Celso Hartmann


Oppenheimer e Prometeu

Quando eu saí do cinema após ter visto “Oppenheimer” a primeira vez, falei para meu filho: “É Oscar de Melhor Filme, Melhor Ator, Melhor Ator Coadjuvante”.

Autor: Marco Antonio Spinelli


Interferência política e a desvalorização da Petrobras

Recentemente, o presidente Lula chamou o mercado de voraz por causa das quedas no valor das ações da Petrobras equivalentes a aproximadamente 60 bilhões de reais.

Autor: Ives Gandra da Silva Martins