Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Padre Gabriel – prefácio do livro

Padre Gabriel – prefácio do livro

22/02/2021 João Baptista Herkenhoff

Fui convidado a escrever o prefácio do livro que reúne cartas do Padre Gabriel Maire, endereçadas a amigos, companheiros de ideal e instituições diversas, principalmente da França, país onde Gabriel nasceu e de onde veio para sua missão no Terceiro Mundo.

Nas cartas (uma por mês), o sacerdote relata sua vida e seu trabalho em Vitória. Na verdade não se tratava apenas da cidade de Vitória, capital do Espírito Santo, mas sim da Grande Vitória, que abrange municípios vizinhos.

Foi na periferia de Vitória, nos bairros pobres, que Gabriel anunciou o Reino de Justiça e foi no território da periferia que ele foi assassinado.

Reunidas em livro, as cartas, datadas e temporais, assumem a feição de documentos fora do domínio do tempo, perpétuas, destinadas ao escaninho da História.

A meu ver podemos destacar um tríplice legado na vida do Padre Gabriel: o legado teológico, o político e o humanista. Há uma conexão entre esses três ângulos. Nós os distinguimos apenas para efeito de análise.

No aspecto teológico, creio que o sacerdócio de Gabriel caracterizou-se pelo compromisso radical. Essa radicalidade é bem visível na frase que pronunciou quando começou a receber ameaças de que seria assassinado: “Prefiro morrer pela Vida a viver pela morte.”

No ângulo político, a lição fundamental de Gaby é o universalismo da missão evangélica. Gabriel abandonou o conforto de uma vida estável na França para dedicar-se ao povo mais humilde e sofrido, na periferia da Grande Vitória.

Veio com opção feita: a opção pelos pobres e a consequente inserção nas Comunidades Eclesiais de Base. Abraçou o sentido universal da caridade, a ideia de que o Amor não tem fronteiras.

Lembro-me da manhã em que os despejados de Rosa da Penha, abrigados na Catedral de Vitória, deixavam aquele templo em direção às terras que o Governo destinara a eles.

Vi com meus olhos o espanto do Padre Gabriel, recém-chegado da França, diante de tudo aquilo. Testemunhei o instante em que Gabriel subiu num dos caminhões, junto com os despejados, para aquela viagem de esperança, pois que um novo bairro popular surgiria.

O terceiro legado de Gabriel Maire foi o humanismo. O humanismo como essência da vida. O humanismo que se debruça diante do outro porque o outro é ser humano.

O humanismo que não vê poder, que não distingue riqueza, que não discrimina ninguém porque o próximo é sempre o irmão. O humanismo que fazia de Gaby uma pessoa doce, afável, solidária, humilde, alegre, sorridente, feliz.

Parabéns a todos aqueles que tornaram possível a edição deste livro. Que ato de Justiça à memória de Gabriel!

Que lição de Teologia encarnada, tão importante num tempo em que circula por toda parte uma falsa teologia, que olha para as nuvens e não tem compromisso com a transformação do mundo.

* João Baptista Herkenhoff é juiz de Direito aposentado (ES) e escritor.

Para adquirir LIVROS clique aqui…



Cavalo Caramelo e quando a água baixar

O final de Abril e o começo de Maio foram marcados pelo pior desastre ecológico da história do Rio Grande do Sul, com inundações, mortes e milhares de desabrigados e de pessoas ilhadas.

Autor: Marco Antonio Spinelli

Cavalo Caramelo e quando a água baixar

O fim da reeleição de governantes

Está tramitando pelo Congresso Nacional mais um projeto que revoga a reeleição de Presidente da República, Governador de Estado e Prefeito Municipal.

Autor: Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves


PEC das drogas

O que esperar com a sua aprovação?

Autor: Marcelo Aith


PEC do Quinquênio simboliza a metástase dos privilégios no Brasil

Aprovar a PEC significará premiar, sem justificativa plausível, uma determinada categoria.

Autor: Samuel Hanan


O jovem e o voto

Encerrou-se no dia 8 de maio o prazo para que jovens de 16 e 17 anos pudessem se habilitar como eleitores para as eleições municipais deste ano.

Autor: Daniel Medeiros


Um mundo fragmentado

Em fevereiro deste ano completaram-se dois anos desde a invasão russa à Ucrânia.

Autor: João Alfredo Lopes Nyegray


Leitores em extinção

Ontem, finalmente, tive um dia inteiro de atendimento on-line, na minha casa.

Autor: Marco Antonio Spinelli


Solidariedade: a Luz de uma tragédia

Todos nós, ou melhor dizendo, a grande maioria de nós, está muito sensibilizado com o que está sendo vivido pela população do Rio Grande do Sul.

Autor: Renata Nascimento


Os fios da liberdade e o resistir da vida

A inferioridade do racismo é observada até nos comentários sobre os cabelos.

Autor: Livia Marques


Violência urbana no Brasil, uma guerra desprezada

Reportagem recente do jornal O Estado de S. Paulo, publicada no dia 3 de março, revela que existem pelo menos 72 facções criminosas nas prisões brasileiras.

Autor: Samuel Hanan


Mundo de mentiras

O ser humano se afastou daquilo que devia ser e criou um mundo de mentiras. Em geral o viver passou a ser artificial.

Autor: Benedicto Ismael Camargo Dutra


Um País em busca de equilíbrio e paz

O ambiente político-institucional brasileiro não poderia passar por um tempo mais complicado do que o atual.

Autor: Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves