Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Pai rico, filho nobre e neto pobre

Pai rico, filho nobre e neto pobre

20/01/2017 Fernando Pinho

É necessária uma melhor preparação dos herdeiros para que haja um processo bem estruturado de sucessão familiar.

Pai rico, filho nobre e neto pobre

As últimas três décadas deixaram marcas profundas no processo de transmissão de heranças no Brasil, gerando uma brutal dilapidação de patrimônios e consequente empobrecimento das famílias outrora abastadas.

Pelo que se observa, a origem dos problemas foi e continua sendo a total ausência de preparo dos futuros herdeiros, visando à assunção das heranças, bem como uma incapacidade dos pais em passar aos respectivos filhos valores morais, éticos e técnicos visando capacitá-los à empreitada.

Criou-se um mito de que herdeiro não precisa capacitar-se. Basta receber o legado e gastá-lo sem nenhum critério objetivo. Ingenuidade infantil!!! A preparação dos herdeiros para um processo bem estruturado de sucessão familiar envolve muito trabalho de todos, além da contratação de bons profissionais para assessoria, aliados ao empenho pessoal de cada herdeiro, objetivando obter alta capacitação.

É estarrecedor observar que esses "candidatos a herdeiros" têm uma rotina de vida totalmente inadequada em relação à que deveriam ter. O que mais ocorre é encontrar pessoas com baixo nível de escolaridade, falta de leitura consistente de bons jornais, revistas e livros de boa qualidade, ausência de princípios básicos de organização da vida pessoal, não participação em eventos ligados à análise dos ambientes sócio/político/econômico, carência de visão internacional do mundo dos negócios, além da já velha e conhecida falta de fluência em idiomas estrangeiros.

Ainda há uma outra grave lacuna na formação profissional, que é a ignorância absoluta no tocante ao conhecimento dos fundamentos de Psicologia Econômica, o que faz com que essas pessoas tornem-se presas fáceis do consumismo desenfreado (instinto de manada), induzido por bem urdidas técnicas de propaganda, além do mau uso do tempo dito ocioso. Despreparo total!!!

A não-percepção do fato de que o Brasil mudou continua e continuará levando muitas famílias à ruína financeira, ao mesmo tempo que abrirá um leque de oportunidades para os que estiverem preparados para os novos tempos (infelizmente poucos).

Os próximos 2 ou 3 anos deverão ser de muita austeridade econômica no país, tanto no âmbito das Finanças Públicas, quanto dos entes privados, já que os estragos provocados pela permanentemente claudicante heterodoxia financeira (denominada Nova Matriz Econômica) foram imensos.

Exatamente como ocorreu e continua ocorrendo em Cuba, Argentina, Venezuela, Equador e Rússia. Para quem percebeu os problemas que claramente avizinhavam-se nos últimos anos e capitalizou-se, inicia-se um ótimo período para a conclusão de bons negócios e assim aumentar os patrimônios, com baixo nível de risco.

Parafraseando o bilionário norte-americano Warren Buffett, no livro “A Bola de Neve - Warren Buffett e o Negócio da Vida” – (Editora Sextante): “É nas ressacas que descobre-se quem estava nadando sem roupa”. Quem tiver perspicácia será bem sucedido, pois nada como uma boa crise para “diferenciar os homens dos meninos”.

* Fernando Pinho é economista e consultor financeiro da Prospering Consultoria.



Gentileza na política é possível?

Promover a gentileza na política é um desafio, até porque Maquiavel entendia que tal virtude não cabe nas discussões políticas.

Autor: Domingos Sávio Telles


Biden, Haley e Trump: as prévias das eleições nos EUA

Os estadunidenses vão às urnas neste ano para eleger – ou reeleger – aquele que comandará a nação mais poderosa do planeta pelos próximos quatro anos.

Autor: João Alfredo Lopes Nyegray


Trabalhadores de aplicativos: necessidades e vulnerabilidades diferentes

A tecnologia é uma realidade cotidiana irreversível. As plataformas, potencializadas pelos reflexos da pandemia da Covid-19, estão inseridas nas principais atividades da vida humana.

Autor: Ricardo Pereira de Freitas Guimarães


O que é direita? O que é esquerda?

O Brasil sofreu uma enorme polarização política nos últimos anos; mas afinal, o que é esquerda ou direita na política?

Autor: Leonardo de Moraes


Reparação mecânica e as tendências para 2024

No agitado mundo automotivo, as tendências e expectativas para 2024 prometem transformar o mercado de reparação de veículos.

Autor: Paulo Miranda


Política não evoluiu no período pós-redemocratização

O que preocupa é a impressão de que no Brasil não mais existem pessoas dedicadas, honestas e com boas intenções dispostas a entrar na política.

Autor: Luiz Carlos Borges da Silveira


Manifestação da paulista: exemplo de civilidade e democracia

Vivenciamos no último domingo, 25/02/2024, um dos maiores espetáculos da democracia.

Autor: Bady Curi Neto


Rio 459 anos: batalhas deram origem à capital carioca

Diversas lutas e conquistas deram origem à capital carioca. Começo pelo dia em que Estácio de Sá venceu uma grande batalha contra os nativos que viviam no território da atual cidade do Rio de Janeiro.

Autor: Víktor Waewell


Números da economia no governo Lula

Déficit de 231 bilhões de reais: um furo extraordinário.

Autor: Ives Gandra da Silva Martins


Lá vai Maria

Lata d’água na cabeça Lá vai Maria Lá vai Maria

Autor: Osvaldo Luiz Silva


O combate ao etarismo em favor da dignidade da pessoa idosa

É fundamental compreender que o envelhecimento é um processo natural e que todos nós, se tivermos a sorte de viver tempo suficiente, nos tornaremos idosos.

Autor: André Naves


Qual é o futuro do ser humano?

No planeta Terra a vida tem sido, em grande parte, moldada por materialistas que examinam a situação, planejam, estabelecem os objetivos e os põem em execução.

Autor: Benedicto Ismael Camargo Dutra