Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Pandemia deve intensificar transações de M&A no ensino superior privado no Brasil

Pandemia deve intensificar transações de M&A no ensino superior privado no Brasil

25/09/2020 Guilherme Stuart

O uso recorrente da tecnologia das comunicações on-line deve acelerar o processo de seleção natural corporativa na educação.

Isso já aconteceu em outros setores como, por exemplo, na disputa entre o Uber e taxistas no transporte urbano e com o pioneirismo da Amazon no varejo, que incluiu a possibilidade de compras ao alcance de um clique em seu e-commerce.

Tais ações trouxeram uma relevante experiência virtual para os clientes e transformaram o ambiente competitivo dos seus respectivos mercados, possibilitando às companhias mais adaptadas a chave para conquistarem a preferência dos consumidores.

O isolamento social provocado pela pandemia da Covid-19 enfatizou aos usuários contumazes a importância da comunicação on-line, e trouxe aos leigos uma experiência inovadora que solucionaria o impedimento da troca presencial no trabalho e na educação formal.

Majoritariamente incipiente em suas resoluções técnicas e aplicações, o modelo educacional foi obrigado a fazer uso da internet e seu aparato tecnológico para prosseguir ministrando seus conteúdos.

A pandemia, portanto, obrigou o experimento massivo das aulas on-line em todos os níveis educacionais.

Em um curto espaço de tempo foi necessário superar limitações e resistências, tanto dos profissionais quanto de alunos.

É risível imaginar que a faculdade seja apenas um sistema de entrega de cursos que ocorre dentro de uma sala de aula.

Existem fontes de valores, como o convívio social e o senso de pertencimento a um determinado grupo, que ainda tornam a experiência presencial extremamente relevante.

Ainda assim, o ensino on-line se mostra eficiente e de baixo custo na democratização de conteúdo de qualidade, escancarando as diferenças entre os professores excelentes dos inabilitados.

O EAD, visto às vezes com certo desdém pelo ensino formal, tende a se qualificar, ganhar musculatura e impor-se como opção de enorme impacto quantitativo a preços acessíveis, além de fomentar a empregabilidade e renda, tão necessárias.

Sob a ótica de M&A, é possível, senão provável, que ocorra uma seleção natural acelerada entre as instituições de ensino à distância e que poucas empresas de grande escala e conteúdo de qualidade sobrevivam, já que a busca pelas melhores vai ser efetiva.

Deve-se considerar, também, que faculdades presenciais poderão oferecer um ensino híbrido, capaz de apresentar convenientemente o tema da matéria de maneira on-line, muitas vezes produzido por um excelente professor não-titular, complementado pela aula presencial, aberta principalmente para a resolução de exercícios, debates e compartilhamento de ideias.

Aquelas instituições que não solucionarem a equação preço X qualidade, rapidamente terão dificuldades de percurso e sobrevivência.

Ironicamente, a pandemia se tornou um agente de aceleração de mudanças que podem trazer enormes benefícios para a educação brasileira. Essa é a minha torcida.

* Guilherme Stuart é sócio da RGS Partners, uma das principais boutiques especializadas em fusões e aquisições de médias empresas do Brasil.

Fonte: Motim - conteúdo criativo



Primeiro semestre: como estão as metas traçadas para 2024?

O que mais escutamos nas conversas é: “Já estamos em junho! E daqui a pouco é Natal!”

Autor: Elaine Ribeiro


Proliferação de municípios, caminho tortuoso

Este é um ano de eleições municipais no Brasil. Serão eleitos 5.570 prefeitos, igual número de vice-prefeitos e milhares de vereadores.

Autor: Samuel Hanan


“Vaquinha virtual” nas eleições de 2024

A campanha para as eleições municipais de 2024 ainda não foi iniciada de fato, mas o financiamento coletivo já está autorizado.

Autor: Wilson Pedroso


Cotas na residência médica: igualdade x equidade

Um grande amigo médico, respeitado, professor, preceptor de Residentes Médicos (com letras maiúsculas), indignado com uma reportagem publicada, em periódico do jornal Estado de São Paulo, no dia 05 do corrente mês, enviou-me uma cópia, requestando que, após a leitura, tecesse os comentários opinativos.

Autor: Bady Curi Neto


O impacto das enchentes no RS para a balança comercial brasileira

Nas últimas semanas, o Brasil tem acompanhado com apreensão os estragos causados pelas enchentes no Rio Grande do Sul.

Autor: André Barros


A força do voluntariado nas eleições

As eleições de 2022 contaram com mais de 1,8 milhão de mesários e mesárias, que trabalharam nos municípios de todo o país. Desse total, 893 mil foram voluntários.

Autor: Wilson Pedroso


A força da colaboração municipal

Quando voltamos nossos olhares para os municípios brasileiros espalhados pelo país, notamos que as paisagens e as culturas são diversas, assim como as capacidades e a forma de funcionamento das redes de ensino, especialmente aquelas de pequeno e médio porte.

Autor: Maíra Weber


As transformações universais que afetam a paz

Recentemente a Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo (ALESP) aprovou projeto proposto pelo governo estadual paulista para a criação de escola cívico-militar.

Autor: Benedicto Ismael Camargo Dutra


Por um governo a favor do Brasil

A República Federativa do Brasil, formada pela união indissolúvel dos estados, dos municípios e do Distrito Federal, constitui-se em estado democrático de direito e tem como fundamentos a soberania, a cidadania, a dignidade da pessoa humana, os valores sociais do trabalho, da livre iniciativa e do pluralismo político.

Autor: Samuel Hanan


Coração de Stalker

Stalking vem do Inglês e significa Perseguição. Uma perseguição obsessiva, implacável, com envolvimento amoroso e uma tentativa perversa de controle.

Autor: Marco Antonio Spinelli


Na crise, informação

“Na gestão da crise, é muito importante a informação.” Com esta sentença afirmativa, o governador do Rio Grande do Sul abriu sua participação no Roda Viva, da TV Cultura.

Autor: Glenda Cury


Hiperconectividade: desafio ou poder da geração Alpha?

Qual adulto diante de um enigma tecnológico não recorreu ao jovem mais próximo? Afinal, “eles já nasceram com o celular!”.

Autor: Jacqueline Vargas