Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Para não se cair em heresias

Para não se cair em heresias

04/02/2019 Humberto Pinho da Silva

Atualmente, seguir os ensinamentos de Jesus é para muita boa gente: excentricidade.

Na missa solene de abertura do Conclave, que elegeu o Papa Francisco, Joseph Ratzingar, na homília, disse: “Ter uma fé, segundo o Credo da Igreja, é hoje, com frequência, etiquetado como fundamentalismo. O relativismo, ou seja o deixar levar-se daqui para ali, por qualquer vento de doutrina, parece como a única atitude dos tempos modernos.”

Atualmente, seguir os ensinamentos de Jesus, reunidos no Novo Testamento, é, para muita boa gente: excentricidade. Na nossa época, muitos cristãos, humanizaram Deus; e criaram doutrina a seu gosto.

Certo sacerdote (não católico,) com quem convivi durante anos, disse-me: que há passagens e até Epistolas, que melhor era esquecê-las (!); porque não se enquadram no contexto bíblico, ou são antiquadas!!! …

Concordo que há conselhos – não de Deus, mas dos homens, – que podem e devem ser interpretados como modas ou costumes, que nada têm de doutrinário. Vg: o uso de cobrir a cabeça, durante o culto; mas o Decálogo e as sentenças de Cristo, são imutáveis. Se as alterarmos ou adaptamo-las ao nosso modo de ver, continuamos a ser religiosos, mas não cristãos.

Uma coisa é ser religioso; outra, é ser cristão, e seguir – sem duvidar os ensinamentos de Jesus e de Seu Pai. Há quem frequente o templo – uns, por conviveu; outros, por ser bom ou parecer bem, – acredite, mas adapta, os Mandamentos, de harmonia com sua conduta.

Alterar as indicações que Cristo ensinou, em Israel, e registadas pelos Apóstolos, é cair em heresia. Essa tentação, esse desejo, verifica-se desde o primórdio do cristianismo, dando origem a seitas.

Infelizmente, a maioria das Igrejas – Católica e Evangélicas, – são escrupulosas em seguir o Decálogo e a doutrina ensinada por Jesus. Certo é, que existem divergências; mas no essencial, encontram-se de acordo.

Recomenda-se, aos fiéis, confrontar o ensino da sua Confissão, com a Bíblia. Mas, a Bíblia, se não é católica, seja editada pelas Sociedades Bíblicas, para não se correr o risco de traduções ou pontuações, que alterem o pensamento de quem A escreveu, inspirado por Deus.

Não basta ser religioso; quase todos os homens são; é preciso: aceitar Cristo. Aceitar Cristo, não é só rezar a Deus Pai, mas seguir – o melhor possível, – a doutrina do Homem de Nazaré.

Digo o melhor possível, porque todos somos imperfeitos. Tentemos, pelo menos, não ser “duplos”: crentes no templo agnósticos na vida. Porque, o crente, tanto o é no templo, como: na vida familiar, na empresa, na política e no desporto…; é-o em toda os atos e atitudes.

Nunca esqueça: Quem nos salva é Cristo, e não a Igreja.

* Humberto Pinho da Silva

Fonte: Humberto Pinho da Silva 



Marcas de um passado ainda presente

Há quem diga que a infância é esquecida, que nada daquele nosso passado importa. Será mesmo?

Autor: Paula Toyneti Benalia


Quais são os problemas que o perfeccionismo causa?

No mundo complexo e exigente em que vivemos, é fácil se deparar com um padrão implacável de perfeição.

Autor: Thereza Cristina Moraes


De quem é a América?

Meu filho tinha oito anos de idade quando veio me perguntar: “papai, por que os americanos dizem que só eles vivem na América?”.

Autor: Leonardo de Moraes


Como lidar com a dura realidade

Se olharmos para os acontecimentos apresentados nos telejornais veremos imagens de ações terríveis praticadas por pessoas que jamais se poderia imaginar que fossem capazes de decair tanto.

Autor: Benedicto Ismael Camargo Dutra


O aumento da corrupção no país: Brasil, que país é este?

Recentemente, a revista The Economist, talvez a mais importante publicação sobre a economia do mundo, mostrou, um retrato vergonhoso para o Brasil no que diz respeito ao aumento da corrupção no país, avaliação feita pela Transparência Internacional, que mede a corrupção em todos os países do mundo.

Autor: Ives Gandra da Silva Martins


O voto jovem nas eleições de 2024

O voto para menores de 18 anos é opcional no Brasil e um direito de todos os adolescentes com 17 ou 16 anos completos na data da eleição.

Autor: Wilson Pedroso


Um novo e desafiador ano

Janeiro passou. Agora, conseguimos ter uma ideia melhor do que 2024 reserva para o setor de telecomunicações, um dos pilares mais dinâmicos e relevante da economia.

Autor: Rafael Siqueira


Desafios da proteção de dados e a fraude na saúde

Segundo o Instituto de Estudos de Saúde Suplementar (IESS) R$ 34 bilhões dos gastos das operadoras médico-hospitalares com contas e exames, em 2022, foram consumidos indevidamente por fraudes, como, por exemplo, reembolso sem desembolso, além de desperdícios com procedimentos desnecessários no país.

Autor: Claudia Machado


Os avanços tecnológicos e as perspectivas para profissionais da área tributária

Não é de hoje que a transformação digital vem impactando diversas profissões.

Autor: Fernando Silvestre


Inteligência Artificial Generativa e o investimento em pesquisa no Brasil

Nos últimos meses, temos testemunhado avanços significativos na área da inteligência artificial (IA), especialmente com o surgimento da inteligência artificial generativa.

Autor: Celso Hartmann


Oppenheimer e Prometeu

Quando eu saí do cinema após ter visto “Oppenheimer” a primeira vez, falei para meu filho: “É Oscar de Melhor Filme, Melhor Ator, Melhor Ator Coadjuvante”.

Autor: Marco Antonio Spinelli


Interferência política e a desvalorização da Petrobras

Recentemente, o presidente Lula chamou o mercado de voraz por causa das quedas no valor das ações da Petrobras equivalentes a aproximadamente 60 bilhões de reais.

Autor: Ives Gandra da Silva Martins