Portal O Debate
Grupo WhatsApp

P=MxG: quando o peso do tributo é muito, fica difícil suportar

P=MxG: quando o peso do tributo é muito, fica difícil suportar

25/07/2013 Bruno Coelho

Falar sobre carga tributária chega a ser estranho para um profissional de marketing. Porém, isso afeta muitos nessa área, e eu não sou exceção.

Falando de valores, o impostômetro chegava a quase 4 bilhões no momento em que este texto foi escrito, advindos de diferentes fontes. Pesado, não é? Certamente, se esses valores fossem revertidos em prol da sociedade brasileira, não reclamaríamos.

Mas não é esta a questão principal deste artigo; falaremos deste peso no mercado da distribuição. Imagine um distribuidor ou canal de tecnologia que vende produtos e serviços para diferentes estados, origens e naturezas, além daquelas que participam de licitações. Agora pense na complexidade fiscal envolvida. Como é possível, mesmo vacinados e mestres na arte da adaptação e do improviso, atingir os objetivos traçados e continuar na difícil missão de empreender?

A questão é que o governo se baseia em alguns dados e se esquece de elementos da cadeia, ou mesmo não conhece a operação a fundo, a ponto de fazer algo que englobe todos os fatores necessários sem prejudicar alguma parte. O peso desta carga é muito difícil de ser sustentado, pois o retorno é lento (quando existe) e todos os processos são, na visão geral, complicadores de um sistema já complexo. Newton já dizia que o peso é igual à massa multiplicada pela gravidade (P=MxG), mas se esqueceu do Brasil, onde essa equação é muito mais complexa.

*Bruno Coelho é gerente de marketing da AGIS, uma das maiores distribuidoras de informática do país.



As histórias que o padre conta

“Até a metade vai parecer que irá dar errado, mas depois dá certo!”

Autor: Dimas Künsch


Vulnerabilidades masculinas: o tema proibido

É desafiador para mim escrever sobre este tema, já que sou um gênero feminino ainda que com certa energia masculina dentro de mim, aliás como todos os seres, que tem ambas as energias dentro de si, feminina e masculina.

Autor: Viviane Gago


Entre o barril de petróleo e o de pólvora

O mundo começou a semana preocupado com o Oriente Médio.

Autor: Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves


Nome comum pode ser bom, mas às vezes complica!

O nosso nome, primeira terceirização que fazemos na vida, é uma escolha que pode trazer as consequências mais diversas.

Autor: Antônio Marcos Ferreira


A Cilada do Narcisista

Nelson Rodrigues descrevia em suas crônicas as pessoas enamoradas de si mesmas com o termo: “Ele está em furioso enamoramento de si mesmo”.

Autor: Marco Antonio Spinelli


Brasil, amado pelo povo e dividido pelos governantes

As autoridades vivem bem protegidas, enquanto o restante da população sofre os efeitos da insegurança urbana.

Autor: Samuel Hanan


Custos da saúde aumentam e não existe uma perspectiva que possa diminuir

Recente levantamento realizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) indica que os brasileiros estão gastando menos com serviços de saúde privada, como consultas e planos de saúde, mas desembolsando mais com medicamentos.

Autor: Mara Machado


O Renascimento

Hoje completa 2 anos que venci uma cirurgia complexa e perigosa que me devolveu a vida quase plena. Este depoimento são lembranças que gostaria que ficasse registrado em agradecimento a Deus, a minha família e a vários amigos que ficaram ao meu lado.

Autor: Eduardo Carvalhaes Nobre


Argentina e Venezuela são alertas para países que ainda são ricos hoje

No meu novo livro How Nations Escape Poverty, mostro como as nações escapam da pobreza, mas também tenho alguns comentários sobre como países que antes eram muito ricos se tornaram pobres.

Autor: Rainer Zitelmann


Marcas de um passado ainda presente

Há quem diga que a infância é esquecida, que nada daquele nosso passado importa. Será mesmo?

Autor: Paula Toyneti Benalia


Quais são os problemas que o perfeccionismo causa?

No mundo complexo e exigente em que vivemos, é fácil se deparar com um padrão implacável de perfeição.

Autor: Thereza Cristina Moraes


De quem é a América?

Meu filho tinha oito anos de idade quando veio me perguntar: “papai, por que os americanos dizem que só eles vivem na América?”.

Autor: Leonardo de Moraes