Portal O Debate
Grupo WhatsApp


Políticos priorizam interesse próprio, não do país

Políticos priorizam interesse próprio, não do país

06/01/2017 Luiz Carlos Borges da Silveira

Os políticos haverão de compreender que a prioridade é o trabalho em favor do povo.

Políticos priorizam interesse próprio, não do país

A classe política brasileira passa a certeza que o objetivo que a move é o puro interesse político-eleitoral sem importar-se com o país em si.

Os políticos sempre em busca de cargos e de poder, dedicam tempo em conchavos, negociações e arranjos. Puro oportunismo.

Comento este detalhe porque recentemente um ex-ministro de Fernando Henrique Cardoso teve a ousadia de escrever artigo em jornal de circulação nacional para lançar a candidatura do ex-presidente em 2018, algo inoportuno que deixou a impressão de querer se aproveitar da situação, colocando o ex-presidente como uma espécie de salvador da Pátria.

A manifestação foi tão despropositada que o próprio FHC divulgou nota afirmando que ‘nunca cogitou, não cogita, nem cogitará’ disso, ou seja, desautorizou o oportunista e bajulador ex-assessor. Agora mesmo temos visto o atual presidente da Câmara Federal (que substituiu Eduardo Cunha) lançar precipitadamente sua candidatura à reeleição.

No momento em que o governo tenta levar sua atuação sem ebulições políticas, essa decisão de Rodrigo Maia criou um problema para o governo e deflagrou antecipadamente o processo provocando, claro, manifestação de grupos contrários que pretendem indicar um candidato.

Foi criado clima de disputa no âmbito do Congresso, o que em nada contribui para a estabilidade política. A eleição presidencial de 2018 também está na ordem das especulações de grupos interesseiros. As lideranças tucanas estão em velada disputa interna, porque os principais nomes – Aécio Neves, Geraldo Alckmin e José Serra fazem articulações buscando ser o candidato do partido.

Por que isso acontece, se qualquer cidadão sabe que o momento é de entendimento político para tirar o país da crise econômica e colocá-lo no bom caminho institucional? Acontece que os políticos ainda não aprenderam que em primeiro lugar está o país, estão os brasileiros que sofrem com os desmandos políticos e administrativos.

Acredito, e tenho plena convicção, que a atual geração política está perdida. Portanto é necessário banir as velhas práticas e conceitos. Para isso, é urgente renovar. E como o eleitor pode mudar? Primeiro, ele próprio assumir o direito e dever de votar e renovar; segundo, precisa assumir a decisão de participar da política, pois a omissão nada resolve.

O eleitor deve ter plena consciência que a política brasileira somente mudará se as mentes, os políticos e as práticas nefastas forem afastados. Quando o eleitor der esse claro recado, confirmado nas urnas, os políticos haverão de compreender que a prioridade é o trabalho em favor do povo e haverão de entender também que se assim não agirem, serão refugados nas urnas.

Porém, reafirmo isso tudo depende de o eleitor usar bem sua poderosa arma democrática: voto!

* Luiz Carlos Borges da Silveira é empresário, médico e professor. Foi Ministro da Saúde e Deputado Federal.



O “Golpe do WhatsApp” e o roubo da conta no aplicativo

Caso você seja vítima desse golpe, deve imediatamente entrar em contato com o WhatsApp para informar que alguém está utilizando a sua conta.


Reflexão sobre a democracia

Deambulava numa manhã de domingo, na Praça da Batalha, no Porto, quando perpassei por sujeito, elegantemente trajado: calça e casaco azul-marinho, camisa branca, gravata cinza.


Como não errar ao investir?

Muitas pessoas têm receio em falar sobre os seus investimentos, pois ainda é um grande tabu falar sobre dinheiro.


Para uma sociedade melhor

No tempo da minha juventude, conheci mocinha, de origem modesta, mas rica de inteligência, esperteza e perspicácia.


Fake (old) News

Tanto a existência das fake news quanto a expressão em si, já existem há muito tempo.


Por que os professores de Humanas são de “esquerda”?

Quero começar essa reflexão com uma resposta simples: não!


Como revestir a casa de forma prática e com menor custo

Nos últimos anos, uma das novidades de maior destaque se traduz no surgimento dos revestimentos inteligentes.


O livro e a cultura

29 de outubro é o Dia do Livro. 5 de novembro é o Dia da Cultura.


Os controversos e suas controvérsias

O ano de 2019 tem sido, sem dúvidas, muito fértil para os noticiários políticos internacionais.


A demora do Poder Legislativo em não regular a prisão em segunda instância

Os parlamentares federais são exclusivamente culpados por ter o STF procedido à revisão da prisão em segunda instância.


Os limites e a liberdade na educação

Crianças precisam de limites, seja para a sua saúde e segurança, ou para ajudá-las a reconhecer os seus sentimentos.


É impossível devolver a liberdade perdida ao cidadão

O ministro do STF Marco Aurélio, em seu voto contra a prisão em segundo grau, declarou que “é impossível devolver a liberdade perdida ao cidadão”.