Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Por que contratar uma consultoria?

Por que contratar uma consultoria?

28/02/2013 Edison Cunha

O empreendedor e empresário muitas vezes sentem-se como um ente solitário e incompreendido pelos seus colaboradores por não conseguir expressar suas angústias, ou mesmo, ter alguém com quem dialogar e expor suas ideias.

Nesses momentos, ter a iniciativa de recorrer a um consultor ou consultoria pode fazer a diferença entre permanecer com os problemas e dúvidas ou procurar uma solução que mitigue os riscos e armadilhas do modelo de gestão.

Entretanto, essa não é uma decisão fácil para a grande maioria dos empresários, principalmente para aqueles não familiarizados com as boas práticas de gestão no mundo empresarial. Aqueles que decidem seguir por esse caminho, por vezes erram ao escolher a opção mais “caseira” do consultor amigo da família ou conhecido de alguém muito próximo, sem analisar a experiência e o conhecimento desse profissional.

Para aqueles que optarem em fazer uma escolha consciente e baseada nos atributos necessários para obter uma consultoria que agregue valor, permanece a possibilidade de repensar seu modelo de gestão e adotar uma postura que valorize suas vantagens competitivas e sua visão empreendedora. Estar preparado para receber uma consultoria significa estar aberto para vivenciar as mudanças que possam ocorrer. Que mudanças são essas? Nos processos de trabalho, por exemplo.

A necessidade por inovar ganhou uma dimensão especial neste momento, fazendo com que as empresas repensem seus processos, sua abordagem mercadológica, seus produtos e seu modelo organizacional. Sem dúvida, a empresa que possui processos ágeis e orientados ao seu mercado e aos clientes, está preparada para adaptar-se às mudanças do cenário econômico. Outra mudança é na forma de encarar o mercado. No mundo atual dos negócios, aquele que empreende deve ter a capacidade de interpretar os avanços da sociedade e antecipar-se aos movimentos do mercado, projetando seu empreendimento para os novos tempos.

A estratégia também é um ponto de mudança. Para reposicionar a empresa para conquistar as oportunidades e crescer de forma sustentável, alguns aspectos de gestão passam a adquirir uma importância maior e ocupar a mente dos empresários como planejar para atender a demanda; definir metas e objetivos; capacitar os recursos humanos; monitorar o mercado para identificar oportunidades e reorganizar os negócios e a estratégia de atuação. A liderança das pessoas é mais um ponto que pode mudanças.

O papel da liderança é fundamental ao êxito da gestão participativa para criar um ambiente adequado ao florescimento das ideias, eliminando os obstáculos à criação e, principalmente, indicando a direção e os rumos que a empresa está tomando em sua estratégia, para melhor direcionar os esforços de todos. Nesse aspecto, a redução de níveis hierárquicos, com o objetivo de sustentar as estratégias e processos, tende a melhorar a coordenação do trabalho e tornar a organização mais ágil e flexível.

Todas essas mudanças fazem parte do escopo de atuação de uma consultoria e, para que ela seja eficiente em sua aplicabilidade, existem alguns requisitos básicos de acompanhamento. O plano de trabalho é um deles. É necessário que no início dos trabalhos o consultor explicite o cronograma que irá seguir com as etapas do projeto e produtos a serem gerados. Outro requisito é a capacidade de adequação às mudanças. Os itens relacionados no plano de trabalho devem contribuir para realizar as mudanças no modelo de gestão, alinhadas às boas práticas de mercado.

O treinamento das pessoas envolvidas é um dos principais requisitos. As mudanças não acontecem sem o envolvimento das pessoas, portanto, é importante o treinamento das pessoas direta e indiretamente envolvidas nas mudanças. Também deve-se implantar indicadores de desempenho. Esses indicadores são os principais balizadores para monitorar o desempenho da organização, são eles que mensurarão se a empresa está no caminho estabelecido nos planos de ação validados pela direção.

Por último, mas não menos importante, a confidencialidade e sigilo da informação. A consultoria deve adotar todas as medidas necessárias a preservação do sigilo com relação às atividades e informações de seus clientes, inclusive na guarda de documentos e na manutenção da fidelidade de seus funcionários. A consultoria tem como objetivos transferir conhecimento e experiências e orientar a organização, utilizando ferramentas de gestão e metodologias consagradas, entretanto, vale ressaltar que para o êxito do trabalho caberá a empresa e suas lideranças a assimilação desses conceitos e sua aplicabilidade no dia-a-dia da operação.

*Edison Cunha é consultor da Trevisan Gestão & Consultoria (TG&C).



Administração estratégica: desafios para o sucesso em seu escritório jurídico

Nos últimos 20 anos o mercado jurídico mudou significativamente.


Qual o melhor negócio: investir em ações ou abrir a própria empresa?

Ser um empresário ou empresária de sucesso é o sonho de muitas pessoas.


Intercooperação: qual sua importância no pós- pandemia?

Nos últimos dois anos, o mundo enfrentou a maior crise sanitária dos últimos 100 anos.


STF e a Espada de Dâmocles

O Poder Judiciário, o Ministério Público e a Polícia Investigativa são responsáveis pela persecução penal.


Lista tríplice, risco ao pacto federativo

Desde o tempo de Brasil-Colônia, a lista tríplice tem sido o instrumento para a nomeação de promotores e procuradores do Ministério Público.


ESG: prioridade da indústria e um mar de oportunidades

Uma pesquisa divulgada recentemente pelo IBM Institute for Business Value mostra que a sustentabilidade tem ocupado um lugar diferenciado no ranking de prioridades de CEOs pelo mundo se comparado a levantamentos anteriores.


Como conciliar negócios e família?

“O segredo para vencer todas as metas e propostas é colocar a família em primeiro lugar.”, diz a co-fundadora da Minucci RP, Vivienne Ikeda.


O limite do assédio moral e suas consequências

De maneira geral, relacionamento interpessoal sempre foi um grande desafio para o mundo corporativo, sobretudo no que tange aos valores éticos e morais, uma vez que cada indivíduo traz consigo bagagens baseadas nas próprias experiências, emoções e no repertório cultural particular.


TSE, STF e a censura prévia

Sabe-se que a liberdade de expressão é um dos mais fortes pilares da democracia.


Sociedade civil e a defesa da democracia

As últimas aparições e discursos do presidente da República vêm provocando uma nova onda de empresários, instituições e figuras públicas em defesa da democracia e do sistema eleitoral no Brasil.


Para além do juramento de Hipócrates: a ética na prática médica

“Passarei a minha vida e praticarei a minha arte pura e santamente. Em quantas casas entrar, fá-lo-ei só para a utilidade dos doentes, abstendo-me de todo o mal voluntário e de toda voluntária maleficência e de qualquer outra ação corruptora, tanto em relação a mulheres quanto a jovens.” (Juramento de Hipócrates).


O sentido da educação

A educação requer uma formação pessoal, capaz de fazer cada ser humano estar aberto à vida, procurando compreender o seu significado, especialmente na relação com o próximo.