Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Primeiras impressões do novo presidente do TST assustam empresários

Primeiras impressões do novo presidente do TST assustam empresários

03/02/2023 André Almeida

A primeira entrevista do novo Presidente do Tribunal Superior do Trabalho (TST), Lelio Bentes Correa, teve uma recepção fria e preocupante no mercado.

As falas do ministro sobre o vínculo empregatício do trabalho por aplicativos foi a primeira grande surpresa.

Mas o presidente da Corte Superior Trabalhista avançou e afirmou também que direitos trabalhistas não atrapalham a economia e não trazem óbice a novas vagas.

E mais, segundo o atual presidente “a justiça do trabalho é a que mais concilia em todo o país.” O presidente é oriundo do Ministério Público do Trabalho, onde ingressou em 1989, sendo nomeado para o TST em 2003.

Aparentemente, o ministro não parece perceber que regularizar os trabalhadores de aplicativos pode gerar uma fuga em massa das empresas deste setor, assim como irá provocar um custo muito maior para os empresários locais que utilizam essa mão de obra, o que certamente irá acarretar aumento de preços e perda de lucratividade.

Esse reconhecimento de vínculo entre empregado e as plataformas digitais (grandes players do mercado como Ifood, Uber, dentre outros) irá mudar o planejamento estratégico dessas grandes empresas e inclusive poderá inviabilizar o próprio modelo de negócios no Brasil.

Outro aspecto que gerou grande repercussão no meio empresarial foi a afirmação de que os direitos trabalhistas supostamente não atrapalhariam a economia brasileira, ignorando o fato de que a folha de pagamento pode representar entre 10% e 15% das receitas de uma empresa do comércio, chegando até a 20% no setor de serviços.

As grandes economias mundiais não possuem esse custo. Ainda que nas indústrias haja particularidades que devem ser analisadas (empresas instaladas no Polo Industrial de Manaus, por exemplo, gozam de alguns benefícios que reduzem seu custo), as despesas com direitos trabalhistas, que envolvem o grau de tecnologia despendido em seu processo produtivo, jamais podem ser ignoradas e nem excluídas da conta final.

Nem mesmo a afirmação de que supostamente “a justiça do trabalho é a que mais concilia em todo o país”, se apresenta verossímil, já que o Ministro não aparenta levar em consideração o pano de fundo que envolve processos trabalhistas.

As aventuras jurídicas, criadas pelo simples fato de que o empregado não tem nada a perder, provocam processos em série.

Há casos clássicos, onde a mudança de endereço comercial da empresa, dentro da mesma cidade, provocou pedido de rescisão indireta do contrato de trabalho sob a alegação de que tempo despendido no trânsito ficara maior. Esse foi um processo em que houve “conciliação”.

As frases do Presidente do TST se tornam preocupantes porque aparentam ignorar os custos do mercado produtivo, afugentam os empresários que movem a economia e certamente provocarão desemprego, perda de arrecadação e elevação de gastos públicos.

* André Almeida é advogado especialista em Direito do Trabalho e sócio do escritório Almeida, Barretto e Bonates Advogados.

Para mais informações sobre trabalho clique aqui…

Publique seu texto em nosso site que o Google vai te achar!

Fonte: Ex-Libris Comunicação Integrada



Dia Bissexto

A cada quatro anos, a humanidade recebe um presente – um presente especial que não pode ser forjado, comprado, fabricado ou devolvido – o presente do tempo.

Autor: Júlia Roscoe


O casamento e a política relacional

Uma amiga querida vem relatando nas mesas de boteco a saga de seu filho, que vem tendo anos de relação estável com uma moça, um pouco mais velha, que tem uma espécie de agenda relacional bastante diferente do rapaz.

Autor: Marco Antonio Spinelli


O que esperar do mercado imobiliálio em 2024

Após uma forte queda em 2022, o mercado imobiliário brasileiro vem se recuperando e o ano de 2023 mostrou este avanço de forma consistente.

Autor: Claudia Frazão


Brasileiros unidos por um sentimento: a descrença nacional

Um sentimento – que já perdura algum tempo, a propósito - toma conta de muitos brasileiros: a descrença com o seu próprio país.

Autor: Samuel Hanan


Procurando o infinito

Vocês conhecem a história do dragãozinho que procurava sem parar o infinito? Não? Então vou te contar. Era uma vez….

Autor: Eduardo Carvalhaes Nobre


A reforma tributária é mesmo Robin Hood?

O texto da reforma tributária aprovado no Congresso Nacional no fim de dezembro encerrou uma novela iniciada há mais de 40 anos.

Autor: Igor Montalvão


Administrar as cheias, obrigação de Governo

A revolução climática que vemos enfrentando é assustadora e mundial. Incêndios de grandes proporções, secas devastadoras, tempestades não vistas durante décadas e uma série de desarranjos que fazem a população sofrer.

Autor: Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves


Escravidão Voluntária

Nossa única revolução possível é a da Consciência. Comer com consciência. Respirar com consciência. Consumir com consciência.

Autor: Marco Antonio Spinelli


Viver desequilibrado

Na Criação, somos todos peregrinos com a oportunidade de evoluir. Os homens criaram o dinheiro e a civilização do dinheiro, sem ele nada se faz.

Autor: Benedicto Ismael Camargo Dutra


Mar Vermelho: o cenário atual do frete marítimo e seus reflexos globais

Como bem sabemos, a crise bélica no Mar Vermelho trouxe consigo uma onda de mudanças significativas no mercado de frete marítimo nesse início de 2024.

Autor: Larry Carvalho


O suposto golpe. É preciso provas…

Somos contrários a toda e qualquer solução de força, especialmente ao rompimento da ordem constitucional e dos parâmetros da democracia.

Autor: Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves


Oportunidade de marketing ou marketing oportunista?

No carnaval de 2024, foi postada a notícia sobre o "Brahma Phone" onde serão distribuídas 800 unidades de celulares antigos para os participantes das festas de carnaval.

Autor: Patricia Punder