Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Professor sem titulação e políticos sem educação formal

Professor sem titulação e políticos sem educação formal

30/08/2011 Julio César Cardoso

O senador Aloysio Nunes Ferreira (PSDB/SP) protocolou um requerimento para que o PLS 220/2010 seja reexaminado pela Comissão de Educação, Cultura e Esporte antes de ir para o Plenário.

O projeto permite a professores sem titulação de mestre e doutores serem contratados por universidades. Para Aloysio Nunes, o PL 220/2010 é um “retrocesso, contrário ao interesse público”. Pois a ”Lei de Diretrizes e Bases trouxe enorme avanço ao exigir que 30% dos docentes das universidades tenham titulação mínima ao nível de mestrado e doutorado, como forma de capacitar os profissionais que serão colocados no mercado de trabalho.” De acordo com o senador, o Estado investe muitos recursos na formação de mestres e doutores, e a eliminação dessa exigência, impede que a sociedade tenha o retorno dos seus investimentos e melhor qualificação profissional, sobretudo nas áreas de tecnologia e engenharia, que trata o projeto.

O líder do PSDB no Senado, Álvaro Dias (PR), é o relator do projeto. Nessa mesma linha de investimento em educação, passo a comentar o ingresso de candidato no Parlamento Nacional. Exige-se hoje, e é orientação de política educacional, que o indivíduo tenha boa formação escolar para exercer a sua profissão. Até para concurso de gari, exige-se formação escolar. E isso é muito salutar, pois país que não se preocupa com a educação está fadado ao subdesenvolvimento. Mas não se pode aceita mais que um candidato ao Legislativo Nacional não tenha os pré-requisitos de boa formação escolar para exercer mandato político. A nossa Constituição precisa ser atualizada. Todos os dias os políticos estão propondo PEC para isso, PEC para aquilo, só não propõem PEC para impedir o ingresso de semianalfabetos ou sem formação escolar no Legislativo Nacional.

É inadmissível que as exigências culturais, que são feitas para os demais cidadãos poderem ingressar no mercado de trabalho, não são também exigidas para os candidatos poderem disputar cargos eletivos ao Legislativo Nacional. Aqui reside um grande paradoxo, que os senhores políticos têm de corrigir imediatamente. É uma vergonha termos um Parlamento constituído por pessoas sem nenhuma qualificação educacional e cultural e que vão discutir e propor leis. O ilustre senador Aloysio Nunes tem que tomar frente e encetar movimento, no Senado, para corrigir tamanha incongruência de parlamentar sem educação formal no Legislativo Nacional. Os exemplos presentes de políticos sem formação educacional formal devem ser postos em quadro de extinção. O Parlamento, em consonância com a ordem educacional e cultural vigente de que todos devam ter formação escolar, não deveria aceitar mais candidatos que não tivessem, no mínimo, a conclusão do segundo grau.

Júlio César Cardoso* é Bacharel em Direito e servidor federal aposentado.



Argentina e Venezuela são alertas para países que ainda são ricos hoje

No meu novo livro How Nations Escape Poverty, mostro como as nações escapam da pobreza, mas também tenho alguns comentários sobre como países que antes eram muito ricos se tornaram pobres.

Autor: Rainer Zitelmann


Como a integração entre indústria e universidade pode trazer benefícios

A parceria entre instituições de ensino e a indústria na área de pesquisa científica é uma prática consolidada no mercado que já rendeu diversas inovações em áreas como TI e farmacêutica.

Autor: Thiago Turcato


Marcas de um passado ainda presente

Há quem diga que a infância é esquecida, que nada daquele nosso passado importa. Será mesmo?

Autor: Paula Toyneti Benalia


Quais são os problemas que o perfeccionismo causa?

No mundo complexo e exigente em que vivemos, é fácil se deparar com um padrão implacável de perfeição.

Autor: Thereza Cristina Moraes


De quem é a América?

Meu filho tinha oito anos de idade quando veio me perguntar: “papai, por que os americanos dizem que só eles vivem na América?”.

Autor: Leonardo de Moraes


Como lidar com a dura realidade

Se olharmos para os acontecimentos apresentados nos telejornais veremos imagens de ações terríveis praticadas por pessoas que jamais se poderia imaginar que fossem capazes de decair tanto.

Autor: Benedicto Ismael Camargo Dutra


O aumento da corrupção no país: Brasil, que país é este?

Recentemente, a revista The Economist, talvez a mais importante publicação sobre a economia do mundo, mostrou, um retrato vergonhoso para o Brasil no que diz respeito ao aumento da corrupção no país, avaliação feita pela Transparência Internacional, que mede a corrupção em todos os países do mundo.

Autor: Ives Gandra da Silva Martins


O voto jovem nas eleições de 2024

O voto para menores de 18 anos é opcional no Brasil e um direito de todos os adolescentes com 17 ou 16 anos completos na data da eleição.

Autor: Wilson Pedroso


Um novo e desafiador ano

Janeiro passou. Agora, conseguimos ter uma ideia melhor do que 2024 reserva para o setor de telecomunicações, um dos pilares mais dinâmicos e relevante da economia.

Autor: Rafael Siqueira


Desafios da proteção de dados e a fraude na saúde

Segundo o Instituto de Estudos de Saúde Suplementar (IESS) R$ 34 bilhões dos gastos das operadoras médico-hospitalares com contas e exames, em 2022, foram consumidos indevidamente por fraudes, como, por exemplo, reembolso sem desembolso, além de desperdícios com procedimentos desnecessários no país.

Autor: Claudia Machado


Os avanços tecnológicos e as perspectivas para profissionais da área tributária

Não é de hoje que a transformação digital vem impactando diversas profissões.

Autor: Fernando Silvestre


Inteligência Artificial Generativa e o investimento em pesquisa no Brasil

Nos últimos meses, temos testemunhado avanços significativos na área da inteligência artificial (IA), especialmente com o surgimento da inteligência artificial generativa.

Autor: Celso Hartmann