Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Programa Trainee, ainda vale a pena?

Programa Trainee, ainda vale a pena?

04/10/2013 Renato Maggieri

Nesta época do ano muitas empresas de grande porte, nacionais e multinacionais, abrem vagas para Programas de Trainees – uma excelente maneira de seleção de talentos para as posições gerenciais em médio e longo prazo.

Agora, por exemplo, há mais de 50 companhias selecionando candidatos a centenas de oportunidades. Este tipo de programa compreende uma forma específica de seleção, contratação, treinamento, desenvolvimento profissional e retenção de talentos.

Existem muitas vantagens às empresas que utilizam esta forma de gestão de talentos, entre elas: processo seletivo longo e cuidadoso, uma vez que o candidato sabe que está sendo analisado e testado durante todo o seu tempo como trainee e garantia de preparação de profissionais para longo prazo, de forma que se revelam nesses programas, bons gerentes, diretores e até sócios em alguns casos.

Além disso, o fato de não possuírem experiência anterior, serem contratados sem vícios e moldados segundo os valores da organização contratante, também é positivo às empresas. Outra vantagem é a atração de talentos com grande potencial de carreira. Considerando que os candidatos ao programa, em sua maioria, nasceram após 1980 e, segundo conceitos de sociologia, pertencem à Geração Y – que também pode ser chamada de geração do milênio.

Essa geração se desenvolveu em uma época de grandes avanços tecnológicos e prosperidade econômica e recebeu dos pais presentes e atenção, o que fomentou a autoestima. Os jovens da Geração Y cresceram em meio a muita ação, estimulados por atividades, fazendo tarefas múltiplas e hoje, candidatos, estão acostumados a conseguirem o que querem e lutam por salários ambiciosos desde cedo, o que os impulsiona a serem obstinados por resultados.

Sob o ponto de vista dos trainees, vejo vantagens ainda mais relevantes, como entrar na empresa pela porta da frente, com um tapete vermelho estendido. Exatamente o oposto que acontece no início da carreira, quando geralmente se inicia em subposições e sem muita perspectiva de crescimento.

A vivência de um forte processo de treinamento, muitas vezes acompanhado de um programa de mentoring - que visa o desenvolvimento profissional monitorado e com muito feedback, durante um bom tempo o trainee ganha pra aprender - e estar incluído em um plano de carreira encadeado, com etapas de desenvolvimento claras e geralmente com tempos bem definidos. Além disso, possibilidade de crescimento profissional relativamente rápido, se comparado às carreiras desenvolvidas sem o programa, salários atrativos no médio e longo prazo.

Como tudo, algumas desvantagens em relação aos programas devem ser citadas, como por exemplo, perder os profissionais do processo para outras empresas, antes mesmo de terem galgado todas as posições originalmente previstas pelo programa. É comum que os jovens desta geração troquem de emprego com frequência em busca de oportunidades que ofereçam mais desafios e crescimento profissional. Sempre digo que “quem é bom pra empresa também é bom pra concorrência.”

E ainda o risco de criar, dentro da empresa, uma competição extremada, ou ainda, um senso de que os trainees são os queridinhos pela importância e a quantidade de treinamentos que eles recebem. Para o trainee, além da dificuldade de ser selecionado para um desses programas, não vejo desvantagens, muito pelo contrário. Atualmente, como consultor, trabalho no desenvolvimento desse tipo de programa para empresas e tenho visto empresas e jovens talentos fazendo excelentes conexões em uma saudável relação ganha x ganha.

De fato, sou um entusiasta desse tipo de projeto, especialmente pelo fato de ter tido o privilégio de ter sido trainee e de hoje poder dividir minha vida profissional em antes de e depois do programa que participei. Seguindo a tendência da maior parte daqueles que um dia foram trainees, eu não permaneci por um longo tempo na empresa que me contratou, mas no tempo em que lá estive, me desenvolvi significativamente e tenho plena convicção de que ajudei a empresa a prosperar.

*Renato Maggieri é palestrante e consultor de negócios, apaixonado por empreendedorismo e decidiu aplicar seus conhecimentos em comportamento voltados para resultados em benefício dos empreendedores, ajudando-os a potencializarem seus lucros.



Marcas de um passado ainda presente

Há quem diga que a infância é esquecida, que nada daquele nosso passado importa. Será mesmo?

Autor: Paula Toyneti Benalia


Quais são os problemas que o perfeccionismo causa?

No mundo complexo e exigente em que vivemos, é fácil se deparar com um padrão implacável de perfeição.

Autor: Thereza Cristina Moraes


De quem é a América?

Meu filho tinha oito anos de idade quando veio me perguntar: “papai, por que os americanos dizem que só eles vivem na América?”.

Autor: Leonardo de Moraes


Como lidar com a dura realidade

Se olharmos para os acontecimentos apresentados nos telejornais veremos imagens de ações terríveis praticadas por pessoas que jamais se poderia imaginar que fossem capazes de decair tanto.

Autor: Benedicto Ismael Camargo Dutra


O aumento da corrupção no país: Brasil, que país é este?

Recentemente, a revista The Economist, talvez a mais importante publicação sobre a economia do mundo, mostrou, um retrato vergonhoso para o Brasil no que diz respeito ao aumento da corrupção no país, avaliação feita pela Transparência Internacional, que mede a corrupção em todos os países do mundo.

Autor: Ives Gandra da Silva Martins


O voto jovem nas eleições de 2024

O voto para menores de 18 anos é opcional no Brasil e um direito de todos os adolescentes com 17 ou 16 anos completos na data da eleição.

Autor: Wilson Pedroso


Um novo e desafiador ano

Janeiro passou. Agora, conseguimos ter uma ideia melhor do que 2024 reserva para o setor de telecomunicações, um dos pilares mais dinâmicos e relevante da economia.

Autor: Rafael Siqueira


Desafios da proteção de dados e a fraude na saúde

Segundo o Instituto de Estudos de Saúde Suplementar (IESS) R$ 34 bilhões dos gastos das operadoras médico-hospitalares com contas e exames, em 2022, foram consumidos indevidamente por fraudes, como, por exemplo, reembolso sem desembolso, além de desperdícios com procedimentos desnecessários no país.

Autor: Claudia Machado


Os avanços tecnológicos e as perspectivas para profissionais da área tributária

Não é de hoje que a transformação digital vem impactando diversas profissões.

Autor: Fernando Silvestre


Inteligência Artificial Generativa e o investimento em pesquisa no Brasil

Nos últimos meses, temos testemunhado avanços significativos na área da inteligência artificial (IA), especialmente com o surgimento da inteligência artificial generativa.

Autor: Celso Hartmann


Oppenheimer e Prometeu

Quando eu saí do cinema após ter visto “Oppenheimer” a primeira vez, falei para meu filho: “É Oscar de Melhor Filme, Melhor Ator, Melhor Ator Coadjuvante”.

Autor: Marco Antonio Spinelli


Interferência política e a desvalorização da Petrobras

Recentemente, o presidente Lula chamou o mercado de voraz por causa das quedas no valor das ações da Petrobras equivalentes a aproximadamente 60 bilhões de reais.

Autor: Ives Gandra da Silva Martins