Portal O Debate
Grupo WhatsApp


Qual o impacto da internet nas vendas?

Qual o impacto da internet nas vendas?

12/09/2012 Enio Klein

A simbiose entre comunicação e informação permitiu a maior revolução das últimas décadas: a internet. Ela impactou todos os aspectos de nossa vida pessoal e profissional de uma forma impossível de calcular.

Com a área de vendas não poderia ser diferente: hoje, o vendedor atualiza suas informações, encaminha providências e faz reuniões onde quer que esteja. Com o apoio de notebooks, smartphones e tablets, o uso da internet quebrou todas as barreiras.

Hoje, estando conectado, o vendedor tem acesso a todos os arquivos, processos e às pessoas necessárias para manter o esforço de vendas no caminho certo. É praticamente regra hoje encontrar acesso à internet em hotéis e saguões de aeroportos através de conexões sem fio (wireless). Isso sem contar a banda larga sem fio oferecida pelas operadoras de telefonia celular, que tornou a internet “portátil” e acessível à maioria das pessoas.

Além disso, a internet provocou uma importante mudança no papel dos vendedores. Cada vez mais, estes profissionais se tornam “consultores” dos produtos e serviços que vendem. O desafio das empresas é trabalhar no modelo de remuneração dos vendedores à luz deste novo posicionamento. E se, por um lado, a internet fornece à área de vendas um imenso ferramental para conhecer o comportamento de seu mercado, por outro, permite a disseminação do conhecimento sobre produtos e serviços, passando ao potencial cliente o entendimento prévio e conhecimento da concorrência.

Este conhecimento dá ao consumidor ou cliente o poder de trocar experiências com outras pessoas e fazer as escolhas que bem entender. Esse cenário traz às áreas de vendas o desafio da excelência, já que com o mundo virtual, o cliente está mais exigente e as empresas estão bem mais vulneráveis. No caso das ferramentas de gestão de clientes, como o CRM, o impacto da internet também foi grande.

Estes sistemas, que evoluíram a partir da sofisticação dos recursos tecnológicos, estão novamente dando um salto qualitativo. “Rastros” deixados pelos clientes em sua navegação, assim como a participação em redes sociais , blogs e fóruns, informam, de maneira direta, gostos, comportamentos e anseios que passam a ser aproveitados pelas empresas, através das novas funcionalidades que estas ferramentas passam a disponibilizar.

O cenário para o desenvolvimento destes sistemas mudou e, atualmente, eles passam a estar completamente integrados ao ambiente da internet. Existem ferramentas livres para monitorar redes sociais, construir lojas na internet, entre outras.

Opções como o “software livre” ou até mesmo os preços mais atrativos fazem com que se caia na tentação de se tomar a parte pelo todo e, dependendo da situação, o tiro sai pela culatra se a solução que a empresa busca não é tão específica ou pontual.

Resumindo, é fato que o mundo virtual mudou a relação cliente/empresa: transformou o ponto de vista do cliente, tornando-o cada vez mais crítico e exigente, e, consequentemente, obrigou às empresas a inovarem constantemente, proporcionando evolução não só nos produtos, mas principalmente na maneira de atender e se relacionar com este cliente.

Enio Klein, gerente geral nas operações de vendas da SalesWays no Brasil e professor nas disciplinas de Vendas e Marketing da Business School São Paulo.



Os desafios de tornar a tecnologia acessível à população

Vivemos uma realidade em que os avanços tecnológicos passaram a pautar nosso comportamento e nossa sociedade.


O uso do celular, até para telefonar

Setenta e sete por cento dos brasileiros utilizam o smartphone para pagar contas, transferir dinheiro e outros serviços bancários.


Canto para uma cidade surda

O Minas Tênis Clube deu ao Pacífico Mascarenhas o que a cidade de Belo Horizonte deve ao Clube da Esquina; um cantinho construído pelo respeito, gratidão, admiração, reconhecimento, apreço e amor.


Como acaso tornou famoso notável compositor

Antes de alcançar a celebridade, e a enorme fortuna, Verdi, passou muitas dificuldades financeiras.


Gugu e a fragilidade da vida

A sabedoria aconselha foco no equilíbrio emocional e espiritual diante da fragilidade e fugacidade da vida.


Quando o muro caiu

O Brasil se preparava para o segundo turno das eleições presidenciais, entre o metalúrgico socialista Luís Inácio Lula da Silva e a incógnita liberal salvacionista Fernando Collor de Melo, quando a televisão anunciou a queda do muro de Berlim.


Identidade pessoal e identidade familiar

Cada família gesta a sua identidade, ainda que algumas vezes, de forma inconsciente.


Desprezo e ingratidão

Não sei o que dói mais: se a ingratidão se o desprezo.


A classe esquecida pelo governo

O fato é que a classe média acaba por ser a classe esquecida pelo governo.


O STF em defesa de quem?

A UIF, antigo COAF, foi criada como uma unidade do Ministério da Justiça (hoje, no BACEN) para fazer uma coisa muito simples: receber dos bancos notificações de que alguém teria realizado uma transação suspeita, anormal.


O prazer da leitura

Ao contrário do que se possa pensar, não tenho muitos amigos. Também não são muitos os conhecidos.


Desmoralização do SFT

A moralidade e a segurança jurídica justificam a continuidade da prisão em segunda instância. A mudança desta postura favorece a impunidade dos poderosos e endinheirados.