Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Quando desistir de uma franquia?

Quando desistir de uma franquia?

02/08/2014 Nadia Korosue

O mais difícil você conseguiu: juntou todo o dinheiro para investir em uma franquia. Isso é o que parecia mais complicado. Agora, com todo o mercado na sua frente, você pode colocar as mãos na massa e ver qual entre as diversas marcas disponíveis é a melhor.

Agora, é só escolher uma e finalmente seguir o seu sonho de empreender. A situação não é simples assim. O que pouquíssimos textos sobre franquias vão contar é que esse momento é bastante delicado. Especialmente por mexer no lado emocional do empreendedor e seu sonho, esse momento exige muita calma. É nesta hora que uma atitude precipitada pode custar muito caro lá na frente.

Para ajudar nesse processo, há três passos básicos. O primeiro é checar o manual da franquia, documento em que consta a experiência do franqueador, para entender o básico de como as coisas funcionam. Depois, é o momento de conversar com outros franqueados. Por fim, pesquisar na internet a fama da franquia. Depois que você fez isso, certos sinais, como os listados abaixo, podem mostrar que não é a hora de apostar as suas fichas. Confira:

Reclamação de usuários - É óbvio: o sucesso de uma marca depende da aceitação dos consumidores. Empresas que recebem inúmeras reclamações de usuários por conta dos seus produtos e serviços têm dois caminhos a seguir: ou elas mudam de postura para inverter o jogo ou podem se preparar para fechar as portas. Hoje, com a ajuda da internet, as reclamações em uma rede social, por exemplo, tomam proporções muito maiores do que no boca a boca e podem atingir um número inimaginável de pessoas.

Não são poucos os sites dedicados a abrir espaços para consumidores prestar queixas da qualidade de uma empresa. Você pode aproveitar isso a seu favor. Pesquise sobre a marca que você pensa em escolher na internet. Se houver inúmeras reclamações, de pessoas que colocaram seus nomes reais, é bom pensar duas vezes antes de adquirir essa franquia.

Estrutura de suporte - Não se preocupe apenas com o nome da marca e no segmento em que ela atua. É preciso pensar também como será após a assinatura do contrato. O franqueador tem condições de dar o suporte necessário para a sua franquia se estabelecer no mercado? Ele informa com antecedência como serão feitos os treinamentos e cursos de reciclagem? Para tirar essas dúvidas, converse com alguns franqueados mais antigos. Se as respostas forem desanimadoras, procure outra franquia para investir.

Taxas cobradas - Lembre-se que o custo total da aquisição do negócio não se limita apenas à taxa de franquia e ao investimento do ponto comercial. A maioria das franquias cobra, mensalmente, taxa de royalties e de publicidade. Veja qual é a média do mercado. Se os valores forem muito maiores, não pense duas vezes em fugir do contrato.

Experiência do franqueador - Outro fator que pesa muito na hora de escolher uma franquia é a experiência do franqueador. Vamos supor que a marca apresente todos os sinais essenciais para obter sucesso, só que ela não tem experiência no mercado e, muito menos, com o modelo de franquias. Será que o franqueador sabe como enfrentar um momento de crise? A resposta é incerta, pois ele nunca passou por isso. Então, a falta de experiência do franqueador pode ser um risco que você precisa levar em consideração.

*Nadia Korosue é administradora de empresas, especialista em projetos, sócia da GOAKIRA, consultoria especializada em franquias e varejo.



Liderança desengajada é obstáculo para uma gestão de mudanças eficaz

O mundo tem experimentado transformações como nunca antes, impulsionadas por inovações tecnológicas, crises econômicas e transições geracionais, dentre outros acontecimentos.

Autor: Francisco Loureiro


Neoindustrialização e a nova política industrial

Com uma indústria mais produtiva e competitiva, com equilíbrio fiscal, ganha o Brasil e a sociedade.

Autor: Gino Paulucci Jr.


O fim da ‘saidinha’, um avanço

O Senado Federal, finalmente, aprovou o projeto que acaba com a ‘saidinha’ (ou ‘saidão’) que vem colocando nas ruas milhares de detentos, em todo o país, durante os cinco principais feriados do ano.

Autor: Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves


O Brasil e a quarta chance de deixar a população mais rica

O Brasil é perseguido por uma sina de jogar fora as oportunidades. Sempre ouvimos falar que o Brasil é o país do futuro. Um futuro que nunca alcançamos. Vamos relembrar as chances perdidas.

Autor: J.A. Puppio


Dia Bissexto

A cada quatro anos, a humanidade recebe um presente – um presente especial que não pode ser forjado, comprado, fabricado ou devolvido – o presente do tempo.

Autor: Júlia Roscoe


O casamento e a política relacional

Uma amiga querida vem relatando nas mesas de boteco a saga de seu filho, que vem tendo anos de relação estável com uma moça, um pouco mais velha, que tem uma espécie de agenda relacional bastante diferente do rapaz.

Autor: Marco Antonio Spinelli


O que esperar do mercado imobiliálio em 2024

Após uma forte queda em 2022, o mercado imobiliário brasileiro vem se recuperando e o ano de 2023 mostrou este avanço de forma consistente.

Autor: Claudia Frazão


Brasileiros unidos por um sentimento: a descrença nacional

Um sentimento – que já perdura algum tempo, a propósito - toma conta de muitos brasileiros: a descrença com o seu próprio país.

Autor: Samuel Hanan


Procurando o infinito

Vocês conhecem a história do dragãozinho que procurava sem parar o infinito? Não? Então vou te contar. Era uma vez….

Autor: Eduardo Carvalhaes Nobre


A reforma tributária é mesmo Robin Hood?

O texto da reforma tributária aprovado no Congresso Nacional no fim de dezembro encerrou uma novela iniciada há mais de 40 anos.

Autor: Igor Montalvão


Administrar as cheias, obrigação de Governo

A revolução climática que vemos enfrentando é assustadora e mundial. Incêndios de grandes proporções, secas devastadoras, tempestades não vistas durante décadas e uma série de desarranjos que fazem a população sofrer.

Autor: Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves


Escravidão Voluntária

Nossa única revolução possível é a da Consciência. Comer com consciência. Respirar com consciência. Consumir com consciência.

Autor: Marco Antonio Spinelli