Portal O Debate
Grupo WhatsApp


Quando o telefone toca…

Quando o telefone toca…

21/01/2020 Humberto Pinho da Silva

A cada passo sou massacrado: ouço o telefone tilintar. Corro para atender.

Do outro lado da linha, voz muito suave, muito tratada, muito gentil, surge: “Venho oferecer-lhe um novo serviço; ou não pode contribuir para a nossa Instituição?”

Num almoço de amigos, falava-se de “pragas” – “pragas” modernas, do século XXI. Então, o Gabriel, rapaz das arábias – rapaz do meu tempo, – saiu-se com esta, que é, certamente, pior que as sete pragas do Egipto.

Dia destas, retilintou o telemóvel (celular, como dizem nossos amigos brasileiros,) e escutou, lengalenga, impingindo-lhe novo serviço.

Como lhe disse, que não estava interessado, a simpática menina, perguntou-lhe, se não queria aumentar a velocidade da Internet. Respondeu-lhe: “a que tenho chega”.

E por ai adiante, impingiu-lhe: filmes, documentários, desporto, programas para a infância…A tudo disse: que não.

Cansado, já pedia a todas as alminhas que o deixasse em paz… – “Mas…não gosta de televisão?” – perguntou-lhe voz levemente sensual.

Desesperado, ameaçou desligar. Invocou afazeres; apelou para a sua idade; mas nada. Tinha que comprar…fosse o que fosse. Irritado, desligou.

A desventura do Gabriel, não foi surpresa; alguns dos presentes, lamentaram terem atendido idênticas chamadas.

Outrora, não vai muitos anos, raras vezes telefonavam para solicitar contributos; agora, parece moda: pedir por tudo e por nada.

Raro dia, que não receba mensagens: de supermercados, lojas comerciais, até farmácias! …; oferecendo serviços e promoções! …

O telefone, que era aparelho utilíssimo, a ponto de não o podermos dispensar, passou a se “praga” que nos persegue, como sombra.

Com o velho terrim-terrim, ou com música pop, não param de nos incomodar, na: sala de aula, no hospital, na reunião familiar ou de negócios… até na igreja!

Quem parará este desvario?

* Humberto Pinho da Silva

Fonte: Humberto Pinho da Silva



Vencido o primeiro desafio da LGPD

A Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) regulamenta o tratamento de dados de pessoas físicas nas suas mais variadas aplicações e ambientes.


Telemedicina, fortalecimento do SUS e um primeiro balanço da pandemia

Mudam-se os tempos, mudam-se as vontades, alertou Camões. Todo o mundo é feito de mudanças.


Médico: uma profissão de risco

Estudar medicina é o sonho de muito estudantes, desde o cursinho o futuro médico se dedica a estudar para conseguir entrar no super concorrido curso de medicina.


Como a quarentena provocou o êxodo urbano para cidades que oferecem mais qualidade de vida

A pandemia e as medidas de isolamento social fizeram com que as pessoas precisassem adaptar a rotina de trabalho, estudos, lazer e até de saúde, trazendo estas atividades para dentro de casa.


A era do fogo chegou

Pantanal, um dos biomas com maior biodiversidade do mundo, já teve 16% de todo território queimando.


Autoconhecimento: uma regra de ouro da vida

Há quem os critique, há quem os ame; eles já me resgataram do fundo poço e lhes sou grata: os livros de autoajuda.


Você tem curso universitário?

Naquela macia manhã de domingo, fui com meu pai, à missa, na igreja de Santíssima Trindade.


Voto é interesse. Não é direito, nem dever…

A partir desta quarta-feira (16), os mais de 5600 municípios brasileiros já conhecem os homens e mulheres que pretendem governá-los ou ser vereadores entre 01/01/2021 e 31/12/2025.


7 tendências em Analytics que estão mudando a área financeira

Segundo a consultoria McKinsey, mais de 90% dos 50 principais bancos do mundo utilizam, de forma avançada, a tecnologia de análise de dados, também conhecida como Analytics.


Para matar a sede por informação, Estatística!

É quase um clichê em Administração afirmar que a gestão e a tomada de decisão devem ter suporte em dados e informações.


Surgem os candidatos. Escolham o melhor…

Termina na quarta-feira, dia 16, o prazo para as coligações e partidos políticos escolherem, em convenção, seus candidatos a prefeito e vereador, para as eleições que este ano, por conta da Covid 19, foram adiadas de outubro para novembro.


Pela manutenção do teto de gastos

Limitar as despesas públicas para evitar que o Governo gaste mais do que tenha capacidade de arrecadar e de pagar.