Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Quem não gosta de agosto?

Quem não gosta de agosto?

07/08/2019 Daniel Medeiros

Agosto já nasceu meio gauche: Otávio Augusto quis um mês com seu nome, meio invejoso com Júlio César, que já tinha o seu.

Resolveu chamar o mês sextilis de seu e deu-lhe o nome de agosto. E ainda acrescentou um dia a mais, para não ficar menor que o julho do Júlio.

Daí esses serem os dois únicos meses consecutivos com 31 dias. Mas em julho tem as férias escolares. Já agosto, que desgosto.

Como sabemos, agosto não tem feriado. Tá certo que dia primeiro é o dia do selo e que o dia 5 é o dia do Santo Osvaldo de Nortúmbria. Aliás, dia 6 é o dia de São Salvador do Mundo.

Outro importante destaque é o dia 13, que é o dia do canhoto. E quando dia 13 cai na sexta feira, é um dos dias mais azarados do ano. Mas, por alguma razão obscura, nenhuma dessas datas permite ao cidadão exausto um descanso extra.

Em agosto já caiu muito avião. O último foi em 2014, quando morreu o candidato a presidente Eduardo Campos. O maior foi em 1985, quando um Boeing bateu no Monte Takamagahara, perto de Tóquio, matando 520 pessoas.

Em agosto também ocorreram acidentes automobilísticos trágicos. Num dia 31, em 1997, morreu a princesa Diana. Em um dia 22, em 1976, morreu o ex-presidente Juscelino Kubitschek.

Em agosto ocorreram fatos históricos pra ninguém botar defeito. Em 1968, no dia 21, os soviéticos invadiram a Tchecoslováquia, episódio conhecido como o fim da “primavera de Praga”.

No dia 13, em 1961, os comunistas alemães começaram a construir o muro de Berlim, maior símbolo da Guerra Fria. Em 1974, em um dia 8, o presidente americano Richard Nixon renunciou, na esteira do escândalo de Watergate.

No dia 24, em 1954, Getúlio deu um tiro no peito. No dia 25, em 1961, Jânio renunciou à presidência, apenas 7 meses após ser empossado.

Elvis Presley morreu em agosto. Marilyn Monroe também. Trotsky, um dos líderes da Revolução Russa, levou uma picaretada na cabeça quando estava exilado no México e morreu, também em agosto.

Em 1900, o filósofo Nietzsche também foi dessa para melhor, em agosto. Até o lutador de boxe Rocky Marciano, que nunca perdeu uma luta na carreira, perdeu para agosto. Morreu em 1969.

Em agosto, as cachorras ficam ainda mais férteis e os cachorros brigam mais, largando mordidas para todos os lados. O governo costuma fazer campanha pela vacinação contra a raiva canina nessa época. É o “mês do cachorro louco”.

Que gosto é esse de prestar atenção pra tudo o que acontece de ruim em agosto? Na verdade, trata-se apenas de superstição, uma brincadeira que acabou virando mania. Não há nenhuma razão para não gostar de agosto.

Se o mês de agosto pudesse se defender, certamente citaria: “prefiro os que me criticam, porque me corrigem, aos que me elogiam, porque me estragam”. O autor da frase? Santo Agostinho.

* Daniel Medeiros é doutor em Educação Histórica pela UFPR, consultor, palestrante e professor de História e Filosofia no Curso Positivo.

Fonte: Central Press



Nome comum pode ser bom, mas às vezes complica!

O nosso nome, primeira terceirização que fazemos na vida, é uma escolha que pode trazer as consequências mais diversas.

Autor: Antônio Marcos Ferreira


A Cilada do Narcisista

Nelson Rodrigues descrevia em suas crônicas as pessoas enamoradas de si mesmas com o termo: “Ele está em furioso enamoramento de si mesmo”.

Autor: Marco Antonio Spinelli


Brasil, amado pelo povo e dividido pelos governantes

As autoridades vivem bem protegidas, enquanto o restante da população sofre os efeitos da insegurança urbana.

Autor: Samuel Hanan


Custos da saúde aumentam e não existe uma perspectiva que possa diminuir

Recente levantamento realizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) indica que os brasileiros estão gastando menos com serviços de saúde privada, como consultas e planos de saúde, mas desembolsando mais com medicamentos.

Autor: Mara Machado


O Renascimento

Hoje completa 2 anos que venci uma cirurgia complexa e perigosa que me devolveu a vida quase plena. Este depoimento são lembranças que gostaria que ficasse registrado em agradecimento a Deus, a minha família e a vários amigos que ficaram ao meu lado.

Autor: Eduardo Carvalhaes Nobre


Argentina e Venezuela são alertas para países que ainda são ricos hoje

No meu novo livro How Nations Escape Poverty, mostro como as nações escapam da pobreza, mas também tenho alguns comentários sobre como países que antes eram muito ricos se tornaram pobres.

Autor: Rainer Zitelmann


Marcas de um passado ainda presente

Há quem diga que a infância é esquecida, que nada daquele nosso passado importa. Será mesmo?

Autor: Paula Toyneti Benalia


Quais são os problemas que o perfeccionismo causa?

No mundo complexo e exigente em que vivemos, é fácil se deparar com um padrão implacável de perfeição.

Autor: Thereza Cristina Moraes


De quem é a América?

Meu filho tinha oito anos de idade quando veio me perguntar: “papai, por que os americanos dizem que só eles vivem na América?”.

Autor: Leonardo de Moraes


Como lidar com a dura realidade

Se olharmos para os acontecimentos apresentados nos telejornais veremos imagens de ações terríveis praticadas por pessoas que jamais se poderia imaginar que fossem capazes de decair tanto.

Autor: Benedicto Ismael Camargo Dutra


O aumento da corrupção no país: Brasil, que país é este?

Recentemente, a revista The Economist, talvez a mais importante publicação sobre a economia do mundo, mostrou, um retrato vergonhoso para o Brasil no que diz respeito ao aumento da corrupção no país, avaliação feita pela Transparência Internacional, que mede a corrupção em todos os países do mundo.

Autor: Ives Gandra da Silva Martins


O voto jovem nas eleições de 2024

O voto para menores de 18 anos é opcional no Brasil e um direito de todos os adolescentes com 17 ou 16 anos completos na data da eleição.

Autor: Wilson Pedroso