Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Resultados de seus investimentos

Resultados de seus investimentos

10/06/2021 Carlos Lopes

Frequentemente, investidores se veem sobressaltados com os movimentos de mercado e são tentados a mudar de posições em seus investimentos.

Todavia, há uma tônica bastante difundida entre profissionais do mercado financeiro e de capitais que em inúmeros momentos o melhor a fazer é não fazer nada.

Na verdade, a tônica está calcada na ideia de que investimentos devem estar atrelados aos horizontes, de médio e longo prazos, e respaldados nos fundamentos de suas escolhas, bem como atrelados ao perfil do investidor.

Sendo assim, o que é necessário entender para estar confortável nas eventuais situações adversas de mercado?

Entender o custo de oportunidade do capital é muito importante, pois ele é o preço que se paga por estar investindo em alguma coisa em detrimento de outra. A escolha por um determinado investimento é ao mesmo tempo a renúncia de outro.

Assim, é importante que o custo de oportunidade do capital esteja em consonância com o perfil do investidor, isto é, a escolha dos investimentos deve estar de mãos dadas com o perfil de cada um.

Geralmente, os investimentos, quando estão calcados em fundamentos e atrelados ao custo de oportunidade do capital e ao perfil do investidor, agem no sentido de dar cautela e racionalidade às decisões a serem tomadas.

As escolhas bem-feitas acabam protegendo os investidores de fatores emocionais que, comumente, os levam a alterar investimentos de forma precipitada.

Por outro lado, isto não significa dizer que as escolhas feitas a priori não devam ser, jamais, modificadas. Longe disso, mesmo porque a boa gestão de recursos deve, necessariamente, monitorar sempre os movimentos de mercado, fundamentos e resultados alcançados.

Não obstante, o alerta é para não sermos contraproducentes ou afoitos. Na maioria das vezes, conforme há vasta literatura acerca do assunto, os ansiosos não maximizam o custo de oportunidade do capital.

Neste aspecto, muitos investidores ainda carecem de entendimento daquilo que é prioritário na hora de investir, isto é, saber precisar qual é o seu perfil, quais são seus objetivos e quais os caminhos a serem seguidos para alcançá-los.

Por exemplo, na hora de investir em fundos de investimentos, não basta olhar apenas rentabilidades passadas de curto prazo.

É importante estender o período analítico, perceber como a equipe de gestão conduziu o fundo em diferentes cenários econômicos, políticos e de mercados. É importante, ademais, ter em mente que resultados passados não são garantia de rendimentos futuros.

Por isto, a necessidade de outras métricas de avaliação, tais como analisar o histórico profissional do gestor e de sua equipe, a relação de risco versus retorno do fundo, política de investimento, tributação, taxas de administração e de performances, etc.

É interessante também se ater que não existe a certeza ou a prerrogativa de que um bom investimento realizado no passado, o será também no futuro.

É bastante comum vermos investimentos defasados pelos movimentos e dinâmica de mercado sem que nenhuma atitude, proativa ou reativa, seja tomada para correção.

Indiferente aos segmentos de mercado de renda fixa, renda variável, fundos, etc., revisitar a estratégia e os fundamentos dos investimentos é sempre primordial!

Contudo, estando certo do racional utilizado na escolha, você saberá controlar a ansiedade para não ficar trocando de posições desnecessárias e, também, para corrigir o rumo da nau, caso a rota esteja errada.

Entretanto, não se esqueça: resultados consistentes no longo prazo devem ser seus pilares.

* Carlos Lopes é economista, mestre em Economia Empresarial, assessor de investimentos na Aspen Investimentos e sócio responsável da Aspen Educacional.

Para mais informações sobre investimentos clique aqui…

Publique seu texto em nosso site que o Google vai te achar!

Fonte: Naves Coelho Comunicação



Trabalhadores de aplicativos: necessidades e vulnerabilidades diferentes

A tecnologia é uma realidade cotidiana irreversível. As plataformas, potencializadas pelos reflexos da pandemia da Covid-19, estão inseridas nas principais atividades da vida humana.

Autor: Ricardo Pereira de Freitas Guimarães


O que é direita? O que é esquerda?

O Brasil sofreu uma enorme polarização política nos últimos anos; mas afinal, o que é esquerda ou direita na política?

Autor: Leonardo de Moraes


Reparação mecânica e as tendências para 2024

No agitado mundo automotivo, as tendências e expectativas para 2024 prometem transformar o mercado de reparação de veículos.

Autor: Paulo Miranda


Política não evoluiu no período pós-redemocratização

O que preocupa é a impressão de que no Brasil não mais existem pessoas dedicadas, honestas e com boas intenções dispostas a entrar na política.

Autor: Luiz Carlos Borges da Silveira


Manifestação da paulista: exemplo de civilidade e democracia

Vivenciamos no último domingo, 25/02/2024, um dos maiores espetáculos da democracia.

Autor: Bady Curi Neto


Rio 459 anos: batalhas deram origem à capital carioca

Diversas lutas e conquistas deram origem à capital carioca. Começo pelo dia em que Estácio de Sá venceu uma grande batalha contra os nativos que viviam no território da atual cidade do Rio de Janeiro.

Autor: Víktor Waewell


Números da economia no governo Lula

Déficit de 231 bilhões de reais: um furo extraordinário.

Autor: Ives Gandra da Silva Martins


Lá vai Maria

Lata d’água na cabeça Lá vai Maria Lá vai Maria

Autor: Osvaldo Luiz Silva


O combate ao etarismo em favor da dignidade da pessoa idosa

É fundamental compreender que o envelhecimento é um processo natural e que todos nós, se tivermos a sorte de viver tempo suficiente, nos tornaremos idosos.

Autor: André Naves


Qual é o futuro do ser humano?

No planeta Terra a vida tem sido, em grande parte, moldada por materialistas que examinam a situação, planejam, estabelecem os objetivos e os põem em execução.

Autor: Benedicto Ismael Camargo Dutra


Liderança desengajada é obstáculo para uma gestão de mudanças eficaz

O mundo tem experimentado transformações como nunca antes, impulsionadas por inovações tecnológicas, crises econômicas e transições geracionais, dentre outros acontecimentos.

Autor: Francisco Loureiro


Neoindustrialização e a nova política industrial

Com uma indústria mais produtiva e competitiva, com equilíbrio fiscal, ganha o Brasil e a sociedade.

Autor: Gino Paulucci Jr.