Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Revolução na psiquiatria

Revolução na psiquiatria

11/03/2019 Oscar D'Ambrosio

Um dos destaques da psiquiatria brasileira é Nise da Silveira (1905 -1999).

Foi uma das primeiras mulheres a se graduar em Medicina no Brasil e manteve correspondência com o psicanalista Gustav Jung devido ao trabalho que realizou no Centro Psiquiátrico Nacional Pedro II, no Engenho de Dentro, no Rio de Janeiro.

Contrária aos tratamentos comuns na época, como a lobotomia e os eletrochoques, realizou um trabalho baseado na terapia ocupacional por meio da arte. Nesse sentido, contou com a parceria do artista plástico Almir Mavignier e, com o apoio para a divulgação dos resultados obtidos, de um dos maiores críticos de arte do país, Mario Pedrosa.

Essas são algumas das questões que surgem com vigor no filme “Nise: O coração da loucura”. Dirigido por Roberto Berliner e com atuação soberba de Glória Pires no papel título, a obra mostra como, em 1946, por ser contrária aos métodos tradicionais da época, a médica foi literalmente “encostada” para atuar na terapia ocupacional, atividade então menosprezada nos hospitais e clínicas.

A Seção de Terapêutica Ocupacional de Nise, porém, revolucionou a psiquiatria nacional. Como mostra o filme, ela auxiliou internos como Adelina Gomes, Carlos Pertuis, Emygdio de Barros e Octávio Inácio a encontrarem ou reencontrarem a sua voz visual.

O trabalho da psiquiatra resultou, em 1952, na fundação do Museu de Imagens do Inconsciente, no RJ. A instituição é um centro de estudo e pesquisa destinado à preservação dos trabalhos produzidos nos ateliês de modelagem e pintura que Nise criou na instituição.

A reunião e estudo desse material constitui uma documentação que abriu novas possibilidades para uma compreensão mais profunda do universo interior do esquizofrênico.

Presa pelos seus ideais comunistas junto com outros militantes, como o escritor Graciliano Ramos, Nise também foi pioneira em enxergar o valor terapêutico da interação de pacientes com animais.

Desse modo, com o entendimento de que os internos de Engenho de Dentro deveriam ser tratados como pessoas e não como pacientes sem esperança, como traz à tona o filme, ela garantiu seu lugar na medicina nacional.

O maior mérito da médica está em mostrar como a atividade artística pode colaborar para reatar os vínculos dos esquizofrênicos com aquilo que costumamos chamar de realidade. Expressões simbólicas e criatividade são duas das palavras-chave nesse processo, que precisa ser a toda hora revalorizado.

* Oscar D´Ambrosio é jornalista pela USP, mestre em Artes Visuais pela Unesp, graduado em Letras (Português e Inglês) e doutor em Educação, Arte e História da Cultura pela Universidade Presbiteriana Mackenzie e Gerente de Comunicação e Marketing da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo.

Fonte: Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo



Proliferação de municípios, caminho tortuoso

Este é um ano de eleições municipais no Brasil. Serão eleitos 5.570 prefeitos, igual número de vice-prefeitos e milhares de vereadores.

Autor: Samuel Hanan


“Vaquinha virtual” nas eleições de 2024

A campanha para as eleições municipais de 2024 ainda não foi iniciada de fato, mas o financiamento coletivo já está autorizado.

Autor: Wilson Pedroso


Cotas na residência médica: igualdade x equidade

Um grande amigo médico, respeitado, professor, preceptor de Residentes Médicos (com letras maiúsculas), indignado com uma reportagem publicada, em periódico do jornal Estado de São Paulo, no dia 05 do corrente mês, enviou-me uma cópia, requestando que, após a leitura, tecesse os comentários opinativos.

Autor: Bady Curi Neto


O impacto das enchentes no RS para a balança comercial brasileira

Nas últimas semanas, o Brasil tem acompanhado com apreensão os estragos causados pelas enchentes no Rio Grande do Sul.

Autor: André Barros


A força do voluntariado nas eleições

As eleições de 2022 contaram com mais de 1,8 milhão de mesários e mesárias, que trabalharam nos municípios de todo o país. Desse total, 893 mil foram voluntários.

Autor: Wilson Pedroso


A força da colaboração municipal

Quando voltamos nossos olhares para os municípios brasileiros espalhados pelo país, notamos que as paisagens e as culturas são diversas, assim como as capacidades e a forma de funcionamento das redes de ensino, especialmente aquelas de pequeno e médio porte.

Autor: Maíra Weber


As transformações universais que afetam a paz

Recentemente a Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo (ALESP) aprovou projeto proposto pelo governo estadual paulista para a criação de escola cívico-militar.

Autor: Benedicto Ismael Camargo Dutra


Por um governo a favor do Brasil

A República Federativa do Brasil, formada pela união indissolúvel dos estados, dos municípios e do Distrito Federal, constitui-se em estado democrático de direito e tem como fundamentos a soberania, a cidadania, a dignidade da pessoa humana, os valores sociais do trabalho, da livre iniciativa e do pluralismo político.

Autor: Samuel Hanan


Coração de Stalker

Stalking vem do Inglês e significa Perseguição. Uma perseguição obsessiva, implacável, com envolvimento amoroso e uma tentativa perversa de controle.

Autor: Marco Antonio Spinelli


Na crise, informação

“Na gestão da crise, é muito importante a informação.” Com esta sentença afirmativa, o governador do Rio Grande do Sul abriu sua participação no Roda Viva, da TV Cultura.

Autor: Glenda Cury


Hiperconectividade: desafio ou poder da geração Alpha?

Qual adulto diante de um enigma tecnológico não recorreu ao jovem mais próximo? Afinal, “eles já nasceram com o celular!”.

Autor: Jacqueline Vargas


Governar não é negar direitos para distribuir favores

Ao se referir a governos, o economista e escritor norte-americano Harry Browne (1917/1986) disse que o governo é bom em uma coisa.

Autor: Samuel Hanan