Portal O Debate
Grupo WhatsApp


Revolução na psiquiatria

Revolução na psiquiatria

11/03/2019 Oscar D'Ambrosio

Um dos destaques da psiquiatria brasileira é Nise da Silveira (1905 -1999).

Foi uma das primeiras mulheres a se graduar em Medicina no Brasil e manteve correspondência com o psicanalista Gustav Jung devido ao trabalho que realizou no Centro Psiquiátrico Nacional Pedro II, no Engenho de Dentro, no Rio de Janeiro.

Contrária aos tratamentos comuns na época, como a lobotomia e os eletrochoques, realizou um trabalho baseado na terapia ocupacional por meio da arte. Nesse sentido, contou com a parceria do artista plástico Almir Mavignier e, com o apoio para a divulgação dos resultados obtidos, de um dos maiores críticos de arte do país, Mario Pedrosa.

Essas são algumas das questões que surgem com vigor no filme “Nise: O coração da loucura”. Dirigido por Roberto Berliner e com atuação soberba de Glória Pires no papel título, a obra mostra como, em 1946, por ser contrária aos métodos tradicionais da época, a médica foi literalmente “encostada” para atuar na terapia ocupacional, atividade então menosprezada nos hospitais e clínicas.

A Seção de Terapêutica Ocupacional de Nise, porém, revolucionou a psiquiatria nacional. Como mostra o filme, ela auxiliou internos como Adelina Gomes, Carlos Pertuis, Emygdio de Barros e Octávio Inácio a encontrarem ou reencontrarem a sua voz visual.

O trabalho da psiquiatra resultou, em 1952, na fundação do Museu de Imagens do Inconsciente, no RJ. A instituição é um centro de estudo e pesquisa destinado à preservação dos trabalhos produzidos nos ateliês de modelagem e pintura que Nise criou na instituição.

A reunião e estudo desse material constitui uma documentação que abriu novas possibilidades para uma compreensão mais profunda do universo interior do esquizofrênico.

Presa pelos seus ideais comunistas junto com outros militantes, como o escritor Graciliano Ramos, Nise também foi pioneira em enxergar o valor terapêutico da interação de pacientes com animais.

Desse modo, com o entendimento de que os internos de Engenho de Dentro deveriam ser tratados como pessoas e não como pacientes sem esperança, como traz à tona o filme, ela garantiu seu lugar na medicina nacional.

O maior mérito da médica está em mostrar como a atividade artística pode colaborar para reatar os vínculos dos esquizofrênicos com aquilo que costumamos chamar de realidade. Expressões simbólicas e criatividade são duas das palavras-chave nesse processo, que precisa ser a toda hora revalorizado.

* Oscar D´Ambrosio é jornalista pela USP, mestre em Artes Visuais pela Unesp, graduado em Letras (Português e Inglês) e doutor em Educação, Arte e História da Cultura pela Universidade Presbiteriana Mackenzie e Gerente de Comunicação e Marketing da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo.

Fonte: Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo



O Caminho de Saint-Hilaire

Augustin François César Prouvençal de Saint-Hilaire, o botânico francês que ficou conhecido mundialmente apenas como Saint-Hilaire, explorou, entre os anos de 1816 e 1822, a parte central do Brasil colônia e um pouco do sul.


Verdade: qual nos libertará?

Conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará.


Vergonha: um orgulho familiar

Ouso iniciar a reflexão sobre o sentimento de vergonha pela adaptação da célebre frase: diga-me do que tens vergonha, que eu te direi quem és!


O povo brasileiro está triste

Vivemos um momento único na história do Brasil. Passamos atualmente por uma crise sem precedentes.


Por que sua organização desafia as leis da física

Organizações são como seres vivos. Ambos desafiam as leis da termodinâmica e tentam reter a energia, cuja tendência natural da entropia é fazer com que se dissipe.


Será que o franciscano tinha razão?

Quando estive em Roma, conheci sacerdote, que estava hospedado no Convento anexo à Basílica de Santo António, na via Mariana.


O gestor educacional na era da inovação: lugar da teoria e da prática

Maquiavel em sua obra celebre “O Príncipe” preconiza que para conhecer a natureza do povo é necessário ser príncipe, e para conhecer a natureza dos príncipes é necessário ser do povo.


Desenvolvimento de carreira: cuide sempre de você!

Atuo há mais de vinte anos como headhunter e em projetos de desenvolvimento de lideranças e carreiras com executivos e profissionais especializados.


A ilusão da egolatria: você sabe com quem está falando?

Episódios de pessoas que se julgam superiores e acima da lei, infelizmente têm se tornado comuns na sociedade brasileira.


O rádio, a TV e a “live”

Os brasileiros de média (ou avançada) idade, viveram no tempo em que o rádio era o todo poderoso meio de comunicação.


Tão próximos e tão distantes

Não há dúvidas de que a internet mudou a realidade da maior parte do mundo.


Onde querem colocar o dinheiro da Educação?

No país de bons brasileiros perguntamos: onde querem colocar o dinheiro da Educação?