Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Salah: craque em driblar preconceitos

Salah: craque em driblar preconceitos

04/06/2018 Ali Zoghbi

Tornou-se um símbolo contra aqueles que insistem generalizar e discriminar os seguidores do Islam.

O atacante egípcio Mohamed Salah, atacante do Liverpool de 25 anos, não vem ganhando fama apenas por ter feito mais de 40 gols em 52 jogos da Champions League. Tampouco por ter chegado à final deste que é o melhor campeonato interclubes do mundo ou por ter conseguido a classificação de seu país para a Copa do Mundo da Rússia após 28 anos.

Não são apenas seus dribles dentro de campo, as cabeceadas e chutes certeiros que vêm mexendo com as pessoas de todo o mundo. Ele é mais do que isso: tornou-se um símbolo contra aqueles que insistem generalizar e discriminar os seguidores do Islam.

Sim, Salah é muçulmano. Mora em Liverpool, na Inglaterra, e segundo declarou recentemente Abdul Hamid, um dos curadores da restauração da mesquita mais antiga do Reino Unido, ele frequenta várias mesquitas da cidade, sempre de forma discreta.

Comemora seus gols ajoelhando-se e apontando para o céu, em sinal de devoção. E segundo reportagens publicadas em jornais ingleses, seguirá normalmente o jejum neste mês sagrado para os muçulmanos, o Ramadan, que recorda a revelação feita por Deus ao profeta Muhammad.

Hamid, de 42 anos, nascido e criado em Londres, lembrou de um amigo de escola que era negro e muçulmano. Ele jogou no West Ham nos anos 80, mas sofreu tanto racismo e preconceito da própria torcida do time que deixou o clube. Era uma época em que muçulmanos tinham de evitar os arredores de West Ham, Chelsea e Millwall, declarou.

Com Salah é diferente... São matérias na imprensa não só sobre o seu talento no futebol, mas também, sobre as ações sociais que promove em sua cidade natal, Nagrig, que fica a 130 km do Cairo. Ele iniciou a construção de um hospital e de uma escola para meninas.

Em outra escola do centro da cidade, agora rebatizada com seu nome, financiou a construção de um campo que de futebol e equipou a academia. Doou mais de R$ 4,7 milhões em equipamentos médicos para o Hospital Universitário de Tanta, localizado no norte do país.

Este jovem muçulmano conseguiu atrair mais de 11 milhões de seguidores no Instagram e outros 5 milhões no Twitter. Por meio do futebol, vem mostrando que somos todos iguais e que a religião não pode ser uma barreira para separar pessoas. Muito menos um rótulo.

Como brasileiro, muçulmano e amante do futebol, confesso que fico feliz ao ver Mohamed Salah mudando o conceito que as pessoas têm do Islam. Fico mais feliz ainda, quando a fanática torcida do Liverpool entoa o canto que já se tornou mundialmente conhecido: "Se ele é bom o suficiente para você / Ele é bom o suficiente para mim / Se ele fizer mais alguns gols / Então eu serei muçulmano também / Ele está sentado em uma mesquita / É lá que eu quero estar". Obrigado, Salah!

* Ali Zoghbi é jornalista, vice-presidente da Federação das Associações Muçulmanas do Brasil – FAMBRAS.

Fonte: Em Pauta Comunicação



O casamento e a política relacional

Uma amiga querida vem relatando nas mesas de boteco a saga de seu filho, que vem tendo anos de relação estável com uma moça, um pouco mais velha, que tem uma espécie de agenda relacional bastante diferente do rapaz.

Autor: Marco Antonio Spinelli


O que esperar do mercado imobiliálio em 2024

Após uma forte queda em 2022, o mercado imobiliário brasileiro vem se recuperando e o ano de 2023 mostrou este avanço de forma consistente.

Autor: Claudia Frazão


Brasileiros unidos por um sentimento: a descrença nacional

Um sentimento – que já perdura algum tempo, a propósito - toma conta de muitos brasileiros: a descrença com o seu próprio país.

Autor: Samuel Hanan


Procurando o infinito

Vocês conhecem a história do dragãozinho que procurava sem parar o infinito? Não? Então vou te contar. Era uma vez….

Autor: Eduardo Carvalhaes Nobre


A reforma tributária é mesmo Robin Hood?

O texto da reforma tributária aprovado no Congresso Nacional no fim de dezembro encerrou uma novela iniciada há mais de 40 anos.

Autor: Igor Montalvão


Administrar as cheias, obrigação de Governo

A revolução climática que vemos enfrentando é assustadora e mundial. Incêndios de grandes proporções, secas devastadoras, tempestades não vistas durante décadas e uma série de desarranjos que fazem a população sofrer.

Autor: Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves


Escravidão Voluntária

Nossa única revolução possível é a da Consciência. Comer com consciência. Respirar com consciência. Consumir com consciência.

Autor: Marco Antonio Spinelli


Viver desequilibrado

Na Criação, somos todos peregrinos com a oportunidade de evoluir. Os homens criaram o dinheiro e a civilização do dinheiro, sem ele nada se faz.

Autor: Benedicto Ismael Camargo Dutra


Mar Vermelho: o cenário atual do frete marítimo e seus reflexos globais

Como bem sabemos, a crise bélica no Mar Vermelho trouxe consigo uma onda de mudanças significativas no mercado de frete marítimo nesse início de 2024.

Autor: Larry Carvalho


O suposto golpe. É preciso provas…

Somos contrários a toda e qualquer solução de força, especialmente ao rompimento da ordem constitucional e dos parâmetros da democracia.

Autor: Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves


Oportunidade de marketing ou marketing oportunista?

No carnaval de 2024, foi postada a notícia sobre o "Brahma Phone" onde serão distribuídas 800 unidades de celulares antigos para os participantes das festas de carnaval.

Autor: Patricia Punder


O gato que caiu dentro das latas de tinta

Todas as histórias começam com Era uma Vez… A minha não vai ser diferente.

Autor: Eduardo Carvalhaes Nobre