Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Se pactos produzirem avanços, manifestações serão vitoriosas!

Se pactos produzirem avanços, manifestações serão vitoriosas!

02/07/2013 Antoninho Marmo Trevisan

Os cinco pactos propostos pela presidente Dilma Rousseff, na reunião com prefeitos das capitais e governadores de Estado, traduzem e sintetizam a voz das ruas, que ecoa na presente onda de manifestações em todo o Brasil, à medida que contemplam prioridades como saúde, educação, mobilidade, responsabilidade fiscal e o aperfeiçoamento do sistema político.

As propostas atendem, também, aos anseios dos setores produtivos, que há tempos vêm sinalizando aos governos da União, unidades federativas e Poder Legislativo a necessidade desses avanços. A reforma política é fundamental. Nela será possível solucionar de vez algumas questões e avançar em outras, como o financiamento público ou não das campanhas eleitorais, a fidelidade partidária e as eleições distritais mistas para o Parlamento.

Com relação ao pacto da responsabilidade fiscal, é decisivo que toda a Federação adira, garantindo-se a redução das despesas públicas e, portanto, mais dinheiro para investimentos do Governo Federal, estados e prefeituras, bem como menor pressão inflacionária. Quanto à educação, o clamor popular parece já ter sensibilizado o Congresso Nacional, pois foi aprovada, na Câmara dos Deputados, a proposta, que já havia sido apresentada há algum tempo pela presidente, de destinar 100% dos royalties do petróleo ao ensino.

Essa medida é democrática, pois beneficia igualmente todo o País e atende à prioridade número um de qualquer nação, que é prover escolaridade de qualidade ao seu povo. No tocante à saúde, parece muito pertinente o pedido de Dilma a governadores e prefeitos para que agilizem os investimentos já contratados em hospitais, unidades de pronto-atendimento e unidades básicas, além de ampliar a adesão de hospitais filantrópicos ao programa do Ministério da Saúde que troca dívidas por mais atendimento.

A “importação” de médicos para trabalhar especificamente no SUS complementa a proposta, mas ficou muito claro que isso somente será feito quando se esgotar a possibilidade de preencher as vagas com profissionais brasileiros. Finalmente, o pacto pela mobilidade poderá ser um grande salto nos transportes e fator de impulso econômico, a partir dos investimentos anunciados de 50 bilhões de reais e ampliação das desonerações do PIS-Cofins sobre o óleo diesel dos ônibus e a energia elétrica consumida por metrô e trens.

Se estados e municípios também reduzirem seus impostos, a medida pode até ser mais eficaz. Tal desoneração, porém, só é viável se combinada com o cumprimento do pacto fiscal. Caso a União, estados e municípios convertam esses cinco pactos em ações concretas, as manifestações do povo brasileiro irão constituir-se em uma página importante dos futuros livros de história. Este momento deve ser entendido com humildade e sabedoria por nossos governantes, lideranças empresariais e laborais, formadores de opinião e entidades de classe.

Porém, não pode ser visto como ruptura, mas sim como mais um passo de consolidação e avanço da democracia em nosso país. Como foi, aliás, a campanha das “Diretas Já”, nas quais, há 29 anos, milhões de pessoas, muito mais do que agora, marcharam em prol do direito de votar, de modo pacífico e sem qualquer ato de vandalismo e saques. A violência, a baderna e o atentado contra os patrimônios privados e públicos contrastam com as legítimas manifestações da sociedade e devem ser punidos na forma da lei.

*Antoninho Marmo Trevisan é o presidente da Trevisan Escola de Negócios, membro do Conselho Superior do MBC (Movimento Brasil Competitivo) e do CDES (Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social da Presidência da República).



Senado e STF colidem sobre descriminalizar a maconha

O Senado aprovou, em dois turnos, a PEC (Proposta de Emenda Constitucional) das Drogas, que classifica como crime a compra, guarda ou porte de entorpecentes.

Autor: Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves


As histórias que o padre conta

“Até a metade vai parecer que irá dar errado, mas depois dá certo!”

Autor: Dimas Künsch


Vulnerabilidades masculinas: o tema proibido

É desafiador para mim escrever sobre este tema, já que sou um gênero feminino ainda que com certa energia masculina dentro de mim, aliás como todos os seres, que tem ambas as energias dentro de si, feminina e masculina.

Autor: Viviane Gago


Entre o barril de petróleo e o de pólvora

O mundo começou a semana preocupado com o Oriente Médio.

Autor: Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves


Nome comum pode ser bom, mas às vezes complica!

O nosso nome, primeira terceirização que fazemos na vida, é uma escolha que pode trazer as consequências mais diversas.

Autor: Antônio Marcos Ferreira


A Cilada do Narcisista

Nelson Rodrigues descrevia em suas crônicas as pessoas enamoradas de si mesmas com o termo: “Ele está em furioso enamoramento de si mesmo”.

Autor: Marco Antonio Spinelli


Brasil, amado pelo povo e dividido pelos governantes

As autoridades vivem bem protegidas, enquanto o restante da população sofre os efeitos da insegurança urbana.

Autor: Samuel Hanan


Custos da saúde aumentam e não existe uma perspectiva que possa diminuir

Recente levantamento realizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) indica que os brasileiros estão gastando menos com serviços de saúde privada, como consultas e planos de saúde, mas desembolsando mais com medicamentos.

Autor: Mara Machado


O Renascimento

Hoje completa 2 anos que venci uma cirurgia complexa e perigosa que me devolveu a vida quase plena. Este depoimento são lembranças que gostaria que ficasse registrado em agradecimento a Deus, a minha família e a vários amigos que ficaram ao meu lado.

Autor: Eduardo Carvalhaes Nobre


Argentina e Venezuela são alertas para países que ainda são ricos hoje

No meu novo livro How Nations Escape Poverty, mostro como as nações escapam da pobreza, mas também tenho alguns comentários sobre como países que antes eram muito ricos se tornaram pobres.

Autor: Rainer Zitelmann


Marcas de um passado ainda presente

Há quem diga que a infância é esquecida, que nada daquele nosso passado importa. Será mesmo?

Autor: Paula Toyneti Benalia


Quais são os problemas que o perfeccionismo causa?

No mundo complexo e exigente em que vivemos, é fácil se deparar com um padrão implacável de perfeição.

Autor: Thereza Cristina Moraes