Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Sobre tolerância e aceitação

Sobre tolerância e aceitação

10/08/2014 Roberto Lacerda Barricelli

Tolerar é não colocar a opinião do outro, ou as atitudes, no mesmo nível de seus valores e ideias.

Dizer que é possível aceitar aquilo com o qual discorda sem que haja coerção para tanto, e neste ponto entra a padronização dos valores individuais, é uma contradição em si. O famoso argumento auto-refutável, ao qual basta indicar o erro básico de lógica.

Alguns dizem que aceitação não exige que se coloque o outro no mesmo nível de nossos valores individuais e ideias. Há aqui uma clara confusão entre tolerância e aceitação. Tolerar é justamente não colocar a opinião do outro, ou as atitudes, no mesmo nível de seus valores e ideias, contudo, não iniciando agressão contra esse outro por causa de tais atitudes e opiniões.

Essa diferenciação básica entre tolerância e aceitação consta, inclusive, no livro "Carta sobre a tolerância", de John Locke, quando faz uma defesa na qual defende que o indivíduo deve ter respeitado o direito de não aceitar a religião do outro, posto que para o primeiro a sua religião seja a ortodoxa, contudo, deve tolerar a religião do segundo, posto que para este a religião ortodoxa seja a sua. Para tal defesa, Locke fala sobre os pagãos, turcos e outros grupos religiosos, dizendo que os demais podem não aceitá-los (principalmente os cristãos), mas que devem ser tolerados.

Neste ponto Locke afirma que jamais será possível entregarmos a um magistrado um poder de reprimir a religião de outrem por considerá-la não-ortodoxa, cujo tal poder o mesmo ou outro magistrado não possa utilizar para reprimir a nossa religião por ser diferente em determinado momento da dele e, portanto, naquele determinado momento considerá-la não-ortodoxa, ou considerar a própria religião dele (magistrado) a única ortodoxa.

O mesmo conceito se aplica a aceitação e tolerância entre quaisquer "diferentes", seja por questões de etnia, gênero, orientação sexual, condição física e mental, etc, conceito este que por si já demonstra a ilegitimidade do fomento à luta de classes como da própria teoria de luta de classes e estabelece também a ilegitimidade de se utilizar do poder coercitivo do Estado para promover fins de grupos de pressão organizados, em detrimento dos interesses de todos os demais grupos, visto que os interesses dos grupos de pressão iniciam agressão contra os direitos naturais, ou algum destes, ou os positivos que destes advém, dos demais grupos existentes, ou de boa parte destes.

* Roberto Lacerda Barricelli é Jornalista, Assessor de Imprensa do Instituto Liberal e Diretor de Comunicação do Instituto Pela Justiça (IPJ).



Liderança desengajada é obstáculo para uma gestão de mudanças eficaz

O mundo tem experimentado transformações como nunca antes, impulsionadas por inovações tecnológicas, crises econômicas e transições geracionais, dentre outros acontecimentos.

Autor: Francisco Loureiro


Neoindustrialização e a nova política industrial

Com uma indústria mais produtiva e competitiva, com equilíbrio fiscal, ganha o Brasil e a sociedade.

Autor: Gino Paulucci Jr.


O fim da ‘saidinha’, um avanço

O Senado Federal, finalmente, aprovou o projeto que acaba com a ‘saidinha’ (ou ‘saidão’) que vem colocando nas ruas milhares de detentos, em todo o país, durante os cinco principais feriados do ano.

Autor: Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves


O Brasil e a quarta chance de deixar a população mais rica

O Brasil é perseguido por uma sina de jogar fora as oportunidades. Sempre ouvimos falar que o Brasil é o país do futuro. Um futuro que nunca alcançamos. Vamos relembrar as chances perdidas.

Autor: J.A. Puppio


Dia Bissexto

A cada quatro anos, a humanidade recebe um presente – um presente especial que não pode ser forjado, comprado, fabricado ou devolvido – o presente do tempo.

Autor: Júlia Roscoe


O casamento e a política relacional

Uma amiga querida vem relatando nas mesas de boteco a saga de seu filho, que vem tendo anos de relação estável com uma moça, um pouco mais velha, que tem uma espécie de agenda relacional bastante diferente do rapaz.

Autor: Marco Antonio Spinelli


O que esperar do mercado imobiliálio em 2024

Após uma forte queda em 2022, o mercado imobiliário brasileiro vem se recuperando e o ano de 2023 mostrou este avanço de forma consistente.

Autor: Claudia Frazão


Brasileiros unidos por um sentimento: a descrença nacional

Um sentimento – que já perdura algum tempo, a propósito - toma conta de muitos brasileiros: a descrença com o seu próprio país.

Autor: Samuel Hanan


Procurando o infinito

Vocês conhecem a história do dragãozinho que procurava sem parar o infinito? Não? Então vou te contar. Era uma vez….

Autor: Eduardo Carvalhaes Nobre


A reforma tributária é mesmo Robin Hood?

O texto da reforma tributária aprovado no Congresso Nacional no fim de dezembro encerrou uma novela iniciada há mais de 40 anos.

Autor: Igor Montalvão


Administrar as cheias, obrigação de Governo

A revolução climática que vemos enfrentando é assustadora e mundial. Incêndios de grandes proporções, secas devastadoras, tempestades não vistas durante décadas e uma série de desarranjos que fazem a população sofrer.

Autor: Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves


Escravidão Voluntária

Nossa única revolução possível é a da Consciência. Comer com consciência. Respirar com consciência. Consumir com consciência.

Autor: Marco Antonio Spinelli