Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Um novo e desafiador ano

Um novo e desafiador ano

08/04/2024 Rafael Siqueira

Janeiro passou. Agora, conseguimos ter uma ideia melhor do que 2024 reserva para o setor de telecomunicações, um dos pilares mais dinâmicos e relevante da economia.

Nesse cenário, uma coisa é certa: o setor encontra-se em uma profunda transformação. No campo corporativo, por exemplo, estamos vendo as empresas buscando uma nova forma de fazer negócios.

Num cenário marcado pela dinâmica de preços e acirrada competição, a disputa entre operadoras de telecomunicações e provedores de serviços de Internet tem resultado na queda dos preços, moldando um cenário de consolidação no setor.

Esse movimento é impulsionado pela crescente demanda por serviços de alta qualidade, substanciais investimentos em infraestrutura e pela entrada de fundos de investimento nos últimos anos.

Um benchmark realizado em São Paulo e no Nordeste do Brasil mostrou uma redução significativa nos preços do Trânsito IP (erosão de preços), com previsão de uma queda de aproximadamente 17% para 2024.

Os operadores, em resposta a essa redução, estão utilizando estratégias baseadas em estatísticas de rede, distribuindo custos de maneira a favorecer componentes como Internet Exchanges (IX), Content Delivery Networks (CDNs) e Pontos de Troca de Tráfego Internacional (PNIs) em relação aos tradicionais upstreams.

Como alternativa, muitas empresas estão olhando com mais atenção aos M&As, as famosas fusões e aquisições, que frequentemente ganham os noticiários.

A consolidação em curso no mercado brasileiro de banda larga fixa é conduzida por seis fundos de Private Equity, visando redução de custos e aumento do EBITDA.

Com 47,2 milhões de acessos ativos, a ANATEL prevê a saída dos fundos ao atingirem 2,36 milhões de assinantes, consolidando 30% do mercado.

Este modelo, focado na eficiência operacional e na otimização de custos é evidenciado por alguns exemplos, como da Desktop, onde dos 1 milhão de assinantes atuais, 470 mil foram obtidos de maneira inorgânica.

E a fusão entre Vero e AmericaNet, que resultou no maior provedor de banda larga fixa do país, com cerca de 1,5 milhão de assinantes.

Os cabos submarinos e Data Centers também deverão assumir um papel essencial na globalização e avanço das telecomunicações nos próximos anos.

Operadoras buscam diversificar serviços e distribuição de receita em infraestrutura, como data centers e redes de fibra ótica, em resposta à crescente demanda por transformação digital.

O setor de Data Centers na América Latina está passando por um período de expansão, evidenciado por uma onda de construções e ampliações, e a previsão é de que esse crescimento se mantenha ao longo de 2024.

Empresas do ramo digital estão ativamente buscando explorar soluções inovadoras para desenvolver novos serviços, otimizar custos e aumentar a flexibilidade nos ambientes globais de Data Center.

Mas os desafios não ficam limitados apenas às fusões e às aquisições. A tecnologia ainda acaba tendo um protagonismo enorme nesse processo e, com certeza, contribuirá para um ano de profundas transformações.

Por exemplo, estamos vendo o advento do 5G e a incorporação de inovações tecnológicas, como a Inteligência Artificial, cujos reflexos ainda não foram sentidos na totalidade.

Especificamente falando da IA, ainda não conseguimos quantificar e qualificar o potencial dessa ferramenta no setor de telecom, mas não há dúvida que quem conseguir “domá-la” antes sairá na frente.

Entendido isso, à medida que adentramos 2024, é imperativo que as empresas desse setor busquem estratégias inovadoras para impulsionar o crescimento, conquistar vantagens competitivas e gerar lucro.

Ou seja, o futuro dos setores de Internet e Telecomunicações serão moldados pela capacidade das empresas em se adaptar rapidamente a um ambiente em constante evolução, aproveitando as tendências emergentes e adotando soluções inovadoras para se manterem competitivas.

* Rafael Siqueira é gestor de pré-sales e pricing na Angola Cables.

Para mais informações sobre setor de telecomunicações clique aqui…

Publique seu texto em nosso site que o Google vai te achar!

Entre para o nosso grupo de notícias no WhatsApp

Fonte: Virta



O fim da reeleição de governantes

Está tramitando pelo Congresso Nacional mais um projeto que revoga a reeleição de Presidente da República, Governador de Estado e Prefeito Municipal.

Autor: Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves


PEC das drogas

O que esperar com a sua aprovação?

Autor: Marcelo Aith


PEC do Quinquênio simboliza a metástase dos privilégios no Brasil

Aprovar a PEC significará premiar, sem justificativa plausível, uma determinada categoria.

Autor: Samuel Hanan


O jovem e o voto

Encerrou-se no dia 8 de maio o prazo para que jovens de 16 e 17 anos pudessem se habilitar como eleitores para as eleições municipais deste ano.

Autor: Daniel Medeiros


Um mundo fragmentado

Em fevereiro deste ano completaram-se dois anos desde a invasão russa à Ucrânia.

Autor: João Alfredo Lopes Nyegray


Leitores em extinção

Ontem, finalmente, tive um dia inteiro de atendimento on-line, na minha casa.

Autor: Marco Antonio Spinelli


Solidariedade: a Luz de uma tragédia

Todos nós, ou melhor dizendo, a grande maioria de nós, está muito sensibilizado com o que está sendo vivido pela população do Rio Grande do Sul.

Autor: Renata Nascimento


Os fios da liberdade e o resistir da vida

A inferioridade do racismo é observada até nos comentários sobre os cabelos.

Autor: Livia Marques


Violência urbana no Brasil, uma guerra desprezada

Reportagem recente do jornal O Estado de S. Paulo, publicada no dia 3 de março, revela que existem pelo menos 72 facções criminosas nas prisões brasileiras.

Autor: Samuel Hanan


Mundo de mentiras

O ser humano se afastou daquilo que devia ser e criou um mundo de mentiras. Em geral o viver passou a ser artificial.

Autor: Benedicto Ismael Camargo Dutra


Um País em busca de equilíbrio e paz

O ambiente político-institucional brasileiro não poderia passar por um tempo mais complicado do que o atual.

Autor: Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves


Nem Nem: retratos do Brasil

Um recente relatório da OCDE coloca o Brasil em segundo lugar entre os países com maior número de jovens que não trabalham e nem estudam.

Autor: Daniel Medeiros