Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Vagas de garagem em condomínios: um problema recorrente

Vagas de garagem em condomínios: um problema recorrente

03/11/2022 Ivo Cairrão

Um dos maiores problemas de muitos condomínios, e dissabores entre os seus moradores, é a qualidade das garagens, seu tamanho e trafegabilidade.

Constantemente, questionamos o motivo deste conhecido problema permanecer ao longo do tempo e manter-se nos novos empreendimentos em construção ou recentemente entregues.

É notório que a quantidade de vagas “vende” mais fácil em um empreendimento, por ter melhor mercado. No entanto, quando o usuário comprador é inserido na realidade do dia a dia, percebe que se tivesse duas boas vagas, seria muito melhor do que três ou quatro ruins.

Além disso, percebe que os ajustes não são tão fáceis, pois envolvem projeto, aprovações em órgãos públicos, altos custos com consultores especializados, além de ajuste na convenção com 100% de aprovação.

Trazendo um exemplo da realidade: se no espaço de “três” ou “quatro” vagas – ditas ruins - fossem feitas “apenas” duas, os moradores:

- Conseguiriam colocar seus carros de tamanho médio (talvez até grandes) sem dificuldade;
- Teriam melhor trafegabilidade na garagem;
- Não teriam – em alguns condomínios – o custo de manobristas 24h durante todos os dias;
- Não seria necessário o rodízio de vagas – conceito que, em minha opinião, está próximo do ridículo: “este ano tenho vagas ruins, mas no ano que vem terei vagas menos ruins”.

Quais os motivos deste desconforto?

Um dos principais motivos é que as incorporadoras tendem a seguir, rigorosamente, o que dita a legislação quanto ao “tamanho mínimo” das vagas, o que pode tornar as vagas estreitas em alguns casos. 

A lei nº 11.228/92 da Prefeitura de São Paulo considera como referência para definição de vagas os seguintes parâmetros: pequenas com 2,10m de altura, 2,00m de largura e 4,20m de comprimento, vagas médias devem ter 2,10m de altura, 2,10m de largura por 4,70m de comprimento e vagas grandes devem possuir 2,30m de altura, 2,50m de largura por 5,50m de comprimento.

Um segundo motivo, não menos grave, é a eventual orientação dos especialistas em vendas de imóveis, para que haja mais vagas por apartamento, em vez de qualidade e conforto.

Como este assunto tende a não ser adequado e transparentemente divulgado no momento da venda, muitos compradores – desavisados – acabam fazendo uma compra feliz no primeiro momento e infeliz no segundo, pois encontram dificuldades no futuro, tais como:

- Pagar redesenho do espaço da garagem, na tentativa de tornar “menos pior” a situação;
- Ter que arcar com custos e esperas de manobristas;
- Se sujeitar a esperar sua vez para ter acesso ao seu veículo – muitas vezes o manobrista tem fila para buscar o veículo.

Para solucionar o problema, o ideal seria que as construtoras seguissem a legislação proposta por cada local com uma flexibilidade maior, que priorizasse a qualidade das vagas ao invés da quantidade. 

Além da prática de transparência com relação às vagas na hora de vender o imóvel, o custo de manobristas seria reduzido, enquanto a qualidade de vida e de convivência dos moradores seria maior.

* Ivo Cairrão é fundador e conselheiro no Grupo IAUDIT.

Para mais informações sobre condomínios clique aqui…

Publique seu texto em nosso site que o Google vai te achar!

Fonte: Agência Contatto



Liderança desengajada é obstáculo para uma gestão de mudanças eficaz

O mundo tem experimentado transformações como nunca antes, impulsionadas por inovações tecnológicas, crises econômicas e transições geracionais, dentre outros acontecimentos.

Autor: Francisco Loureiro


Neoindustrialização e a nova política industrial

Com uma indústria mais produtiva e competitiva, com equilíbrio fiscal, ganha o Brasil e a sociedade.

Autor: Gino Paulucci Jr.


O fim da ‘saidinha’, um avanço

O Senado Federal, finalmente, aprovou o projeto que acaba com a ‘saidinha’ (ou ‘saidão’) que vem colocando nas ruas milhares de detentos, em todo o país, durante os cinco principais feriados do ano.

Autor: Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves


O Brasil e a quarta chance de deixar a população mais rica

O Brasil é perseguido por uma sina de jogar fora as oportunidades. Sempre ouvimos falar que o Brasil é o país do futuro. Um futuro que nunca alcançamos. Vamos relembrar as chances perdidas.

Autor: J.A. Puppio


Dia Bissexto

A cada quatro anos, a humanidade recebe um presente – um presente especial que não pode ser forjado, comprado, fabricado ou devolvido – o presente do tempo.

Autor: Júlia Roscoe


O casamento e a política relacional

Uma amiga querida vem relatando nas mesas de boteco a saga de seu filho, que vem tendo anos de relação estável com uma moça, um pouco mais velha, que tem uma espécie de agenda relacional bastante diferente do rapaz.

Autor: Marco Antonio Spinelli


O que esperar do mercado imobiliálio em 2024

Após uma forte queda em 2022, o mercado imobiliário brasileiro vem se recuperando e o ano de 2023 mostrou este avanço de forma consistente.

Autor: Claudia Frazão


Brasileiros unidos por um sentimento: a descrença nacional

Um sentimento – que já perdura algum tempo, a propósito - toma conta de muitos brasileiros: a descrença com o seu próprio país.

Autor: Samuel Hanan


Procurando o infinito

Vocês conhecem a história do dragãozinho que procurava sem parar o infinito? Não? Então vou te contar. Era uma vez….

Autor: Eduardo Carvalhaes Nobre


A reforma tributária é mesmo Robin Hood?

O texto da reforma tributária aprovado no Congresso Nacional no fim de dezembro encerrou uma novela iniciada há mais de 40 anos.

Autor: Igor Montalvão


Administrar as cheias, obrigação de Governo

A revolução climática que vemos enfrentando é assustadora e mundial. Incêndios de grandes proporções, secas devastadoras, tempestades não vistas durante décadas e uma série de desarranjos que fazem a população sofrer.

Autor: Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves


Escravidão Voluntária

Nossa única revolução possível é a da Consciência. Comer com consciência. Respirar com consciência. Consumir com consciência.

Autor: Marco Antonio Spinelli