Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Vai sair do papel? Reforma Tributária deve ter votação rápida

Vai sair do papel? Reforma Tributária deve ter votação rápida

20/10/2021 Tadeu Saint’ Clair

Estamos a um ano das eleições nacionais. Isso pode soar como pouco tempo, mas, considerando o panorama político, é sensato dizer que ainda não aconteceu nada em termos de definições partidárias.

Se por um lado ainda estaria cedo para falar sobre o assunto, por outro, esta é uma das pautas que mais vem afetando a Reforma Tributária.

Há uma enorme pressão no Congresso para que a PEC seja votada ainda este ano, a toque de caixa mesmo, para não invadir a agenda eleitoral.

Em tese, todos os pontos divergentes da Reforma foram resolvidos em comum acordo com o Palácio do Planalto.

Até por isso, o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), quer uma votação rápida da versão final do projeto, elaborada pelo relator Roberto Rocha (PSDB-MA).

Os discursos levam a crer que tudo está mais ou menos nos conformes, como se a votação no Congresso caminhasse para um evento meramente protocolar.

Dada a amplitude da proposta, essa pressa preocupa, mas é inevitável. Deputados e senadores parecem ter se lembrado só agora que 2022 é ano pra deixar os compromissos parlamentares de lado diante de problemas supostamente maiores, que são suas próprias reeleições.

Não foi assim nos meses anteriores, quando houve um calor nas discussões que impactavam principalmente os investidores.

As principais divergências foram sobre a taxação dos dividendos, parte do lucro apurado por uma sociedade anônima, e que deve ser fatiada proporcionalmente entre os acionistas.

Atualmente, os dividendos são livres de tributos para os acionistas, cabendo uma taxação somente à empresa, antes de apurar a fatia do lucro que será dividida.

Mas a equipe econômica do governo tratou de inserir no texto-base uma taxação de 20%. Depois de um cansativo cabo-de-guerra com o Planalto, os congressistas conseguiram bater o martelo em 15%.

Longe de entusiasmar o mercado. Preliminarmente, há uma expectativa de fuga dos investimentos em lucros e dividendos, o que pode afetar o balanço financeiro de grandes empresas S.A.

Além disso, a promessa de simplificação dos tributos brasileiros, que por sinal era a principal bandeira da Reforma Tributária, ficou apenas no palanque.

Em alguns aspectos, a PEC virou uma enorme perda de tempo. Mexeram em números, em percentuais, em alíquotas, mas não na essência.

Os mecanismos e critérios de tributação de pessoas físicas (embora tenham aumentado a faixa de isenção para declaração de IR) e jurídicas permanecerão no mesmo patamar de antes: confusos, indigestos e insossos. É o que vai a votação.

* Tadeu Saint’ Clair é advogado que atua há mais de 10 anos junto a concessionárias e permissionárias de serviços público.

Para mais informações sobre Reforma Tributária clique aqui…

Publique seu texto em nosso site que o Google vai te achar!

Fonte: Naves Coelho Comunicação



Dia Bissexto

A cada quatro anos, a humanidade recebe um presente – um presente especial que não pode ser forjado, comprado, fabricado ou devolvido – o presente do tempo.

Autor: Júlia Roscoe


O casamento e a política relacional

Uma amiga querida vem relatando nas mesas de boteco a saga de seu filho, que vem tendo anos de relação estável com uma moça, um pouco mais velha, que tem uma espécie de agenda relacional bastante diferente do rapaz.

Autor: Marco Antonio Spinelli


O que esperar do mercado imobiliálio em 2024

Após uma forte queda em 2022, o mercado imobiliário brasileiro vem se recuperando e o ano de 2023 mostrou este avanço de forma consistente.

Autor: Claudia Frazão


Brasileiros unidos por um sentimento: a descrença nacional

Um sentimento – que já perdura algum tempo, a propósito - toma conta de muitos brasileiros: a descrença com o seu próprio país.

Autor: Samuel Hanan


Procurando o infinito

Vocês conhecem a história do dragãozinho que procurava sem parar o infinito? Não? Então vou te contar. Era uma vez….

Autor: Eduardo Carvalhaes Nobre


A reforma tributária é mesmo Robin Hood?

O texto da reforma tributária aprovado no Congresso Nacional no fim de dezembro encerrou uma novela iniciada há mais de 40 anos.

Autor: Igor Montalvão


Administrar as cheias, obrigação de Governo

A revolução climática que vemos enfrentando é assustadora e mundial. Incêndios de grandes proporções, secas devastadoras, tempestades não vistas durante décadas e uma série de desarranjos que fazem a população sofrer.

Autor: Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves


Escravidão Voluntária

Nossa única revolução possível é a da Consciência. Comer com consciência. Respirar com consciência. Consumir com consciência.

Autor: Marco Antonio Spinelli


Viver desequilibrado

Na Criação, somos todos peregrinos com a oportunidade de evoluir. Os homens criaram o dinheiro e a civilização do dinheiro, sem ele nada se faz.

Autor: Benedicto Ismael Camargo Dutra


Mar Vermelho: o cenário atual do frete marítimo e seus reflexos globais

Como bem sabemos, a crise bélica no Mar Vermelho trouxe consigo uma onda de mudanças significativas no mercado de frete marítimo nesse início de 2024.

Autor: Larry Carvalho


O suposto golpe. É preciso provas…

Somos contrários a toda e qualquer solução de força, especialmente ao rompimento da ordem constitucional e dos parâmetros da democracia.

Autor: Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves


Oportunidade de marketing ou marketing oportunista?

No carnaval de 2024, foi postada a notícia sobre o "Brahma Phone" onde serão distribuídas 800 unidades de celulares antigos para os participantes das festas de carnaval.

Autor: Patricia Punder