Portal O Debate
Grupo WhatsApp


VAR e os lances polêmicos: acabaram os problemas?

VAR e os lances polêmicos: acabaram os problemas?

27/08/2019 João Antonio Rufato

As polêmicas em arbitragem no futebol se confundem com a sua história.

É praticamente impossível em uma roda de discussão sobre o tema não aparecer o assunto arbitragem e seus resultados e, ao final da conversa, possivelmente não haver consenso sobre o tema, principalmente entre os torcedores mais apaixonados.

Mas agora, vejam só, temos uma novidade! Um sistema inovador: a solução para reafirmar e corrigir as dúvidas e questionamentos que permeiam o meio futebolístico.

Pautado pela lógica de diminuição de conflitos e para que se estabeleça o critério mais justo possível nos resultados, o campeonato brasileiro de futebol tem se utilizado de uma nova tecnologia, que visa elucidar as possíveis dúvidas e correções de erros: o árbitro assistente de vídeo, o já popular VAR.

Sistemas de alto custo que são os olhos que os árbitros não têm e que já eram utilizados em vários lugares ao redor do mundo agora operam em terras brasileiras.

A Confederação Brasileira de Futebol, em parceria com os clubes participantes do campeonato brasileiro, implementou este ano a nova medida.

Vale dizer que toda uma estrutura logística, de capacitação e muito treinamento acompanham o pacote.

A partir de agora, as discussões acaloradas serão mais amenas? Muitos chegaram a acreditar que os problemas acabariam como num passe de mágica.

Grande ilusão! Pelo que parece, os problemas continuaram e até mesmo se intensificaram. Depois de algumas rodadas com o sistema em operação, o que era só empolgação passa a ser para alguns um tanto de frustração, incluindo aí torcedores, jogadores e técnicos.

Já é tempo suficiente para uma avaliação, mesmo que inicial, de como o público do futebol tem recebido a novidade, assim como as avaliações feitas por técnicos e jogadores.

Pelo que se percebe, a melhoria das respostas de arbitragem, mesmo com toda essa tecnologia, ainda tem sido pequena e deixado a desejar, pelo menos do ponto de vista do torcedor.

O esporte, com suas caraterísticas próprias, carrega em sua essência a motivação nas pessoas em defender, criticar, opinar e até propor mudanças no sistema de jogo, nas escalações e inclusive na escolha de técnicos, com a capacidade de ver falta, pênalti, impedimentos e gols onde existiu e também onde não existiu.

Em se falando de futebol, isso se dá de forma muito mais intensa, pois além de envolver a prática esportiva em si, as discussões vêm permeadas das paixões compostas pelas cores de seus times.

O momento agora é de acompanhar os próximos passos para então avaliarmos se a tecnologia vai mesmo acalmar os ânimos e efetivamente cumprir o que se propôs.

Ou se os árbitros, utilizando dessa ferramenta, vão continuar os mesmos, decidindo por sua conta e risco e com seus próprios olhos, aqueles mesmos que não veem.

Assim como os torcedores que, vendo o que a imagem não mostrou, seguirão na defesa de seus times, mantendo assim a grande mágica do futebol: a paixão e a defesa incontestável das cores de seu pavilhão.

* João Antonio Rufato é professor especialista nos cursos de Licenciatura e Bacharelado em Educação Física do Centro Universitário Internacional Uninter.

Fonte: Pg1 Comunicação



Um perigoso retrocesso social

PL 6.159 que dispõe sobre o trabalho para portadores de deficiência é um perigoso retrocesso social.


Imperabilidade Inexistente

Bom, para começar este artigo, tenho que confessar que a palavra “imperabilidade” não existe.


O mundo em tensão

As relações entre Estados Unidos e Irã após a morte de Qasem Soleimani.


Quando o telefone toca…

A cada passo sou massacrado: ouço o telefone tilintar. Corro para atender.


O Coringa que te habita

Não é surpresa que o filme “Coringa”, de Joaquim Phoenix e Todd Phillips, tenha obtido 11 indicações ao Oscar.


O fim dos panfletos

O panfleto talvez seja a mais antiga das formas de comunicação.


Correios, se não tiver interessados, fechar…

Privatização é a palavra cabalística do meio político-administrativo.


Trabalho voluntário

Trabalho voluntário é o que se faz por vontade própria e que tem intenção de ajudar o próximo.


Qual a diferença entre casamento e união estável?

Advogada explica como funciona os dois tipos de família


Educação e instrução

Sob frondosa tília, em flor, leio o “Bom Jesus do Monte”, de Camilo.


A hora dos partidos começarem a existir

Temos nada menos que 110 partidos políticos. São 33 registrados e 77 já fundados que aguardam registro no TSE (Tribunal Superior Eleitoral).


Que venha 2020!

Mais um ano termina e a briga política ideológica entre alguns esquerdopatas e o atual governo parece não ter fim.