Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Verão pode piorar o melasma

Verão pode piorar o melasma

08/03/2019 Teresa Noviello

Uma pequena exposição aos raios ultravioletas já é motivo para que o melasma apareça.

Associado à gestação na maioria das situações, o melasma – caracterizado pelo surgimento de manchas escuras ou acastanhadas na pele – tem como principal fator a exposição solar.

Segundo a Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), os anticoncepcionais femininos, a gravidez, a genética e os raios solares fazem parte do grupo de condições que favorecem o seu aparecimento.

Uma pequena exposição aos raios ultravioletas já é motivo para que o melasma apareça ou volte a surgir em pacientes que se trataram anteriormente, sendo assim, os cuidados com a proteção da pele no verão devem ser redobrados.

O melasma não tem cura, mas possui tratamentos capazes de torná-lo praticamente imperceptível. A forma mais eficaz de prevenir a sua volta é o deixando mais estável possível. Apesar de afetar com maior frequência o sexo feminino, as manchas também podem aparecer em homens.

Na maioria dos casos, o rosto é o local que mais apresenta a ocorrência de melasma, no entanto, as manchas também podem afetar partes extrafaciais como os braços, pescoço e colo. Apesar de não ser uma doença ou problema grave de saúde, o melasma atinge a aparência do paciente e, consequentemente, a sua autoestima. As mulheres são as que mais se sentem incomodadas com a hiperpigmentação da pele.

O melasma é uma disfunção da pigmentação da pele, que decorre do acúmulo exagerado de melanina em uma determinada área. Embora não tenha uma cura, já existem no mercado diversos tratamentos que amenizam ou tornam as manchas praticamente invisíveis.

O profissional indicado para realizar a avaliação, diagnosticar o melasma e tratar a condição, é o dermatologista. Somente ele poderá traçar qual o tratamento mais indicado para cada caso.

Existem três tipos de melasma. O epidérmico, quando há depósito de pigmento na camada mais superficial da pele; o dérmico, que atinge a derme, quando o excesso de pigmento se deposita ao redor dos vasos superficiais e profundos; e o misto, que é quando a ultrapigmentação atinge a epiderme e a derme. Então, para cada tipo será elaborado um plano de tratamento.

Atualmente, os tratamentos mais frequentes são os peelings, podendo variar entre superficiais ou que atingem camadas mais profundas da pele; cremes despigmentantes, sendo os mais comuns à base de ácido glicólico, retinóico, azeláico e vitamina C; microagulhamentos, associados a produtos despigmentantes; e lasers específicos.

Em todos os casos a orientação em comum é a fotoproteção. O ponto de partida em todos os tratamentos contra o melasma é a proteção contra os raios solares, infravermelhos e luz visível.

Quem possui o melasma e está em tratamento deverá aplicar um filtro solar específico para o problema. O produto deverá ser receitado pelo dermatologista, que irá detectar qual tipo de filtro e cosmético (spray, creme ou gel) será mais indicado.

* Teresa Noviello é dermatologista e membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia.

Fonte: Naves Coelho Comunicação



Entre o barril de petróleo e o de pólvora

O mundo começou a semana preocupado com o Oriente Médio.

Autor: Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves


Nome comum pode ser bom, mas às vezes complica!

O nosso nome, primeira terceirização que fazemos na vida, é uma escolha que pode trazer as consequências mais diversas.

Autor: Antônio Marcos Ferreira


A Cilada do Narcisista

Nelson Rodrigues descrevia em suas crônicas as pessoas enamoradas de si mesmas com o termo: “Ele está em furioso enamoramento de si mesmo”.

Autor: Marco Antonio Spinelli


Brasil, amado pelo povo e dividido pelos governantes

As autoridades vivem bem protegidas, enquanto o restante da população sofre os efeitos da insegurança urbana.

Autor: Samuel Hanan


Custos da saúde aumentam e não existe uma perspectiva que possa diminuir

Recente levantamento realizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) indica que os brasileiros estão gastando menos com serviços de saúde privada, como consultas e planos de saúde, mas desembolsando mais com medicamentos.

Autor: Mara Machado


O Renascimento

Hoje completa 2 anos que venci uma cirurgia complexa e perigosa que me devolveu a vida quase plena. Este depoimento são lembranças que gostaria que ficasse registrado em agradecimento a Deus, a minha família e a vários amigos que ficaram ao meu lado.

Autor: Eduardo Carvalhaes Nobre


Argentina e Venezuela são alertas para países que ainda são ricos hoje

No meu novo livro How Nations Escape Poverty, mostro como as nações escapam da pobreza, mas também tenho alguns comentários sobre como países que antes eram muito ricos se tornaram pobres.

Autor: Rainer Zitelmann


Marcas de um passado ainda presente

Há quem diga que a infância é esquecida, que nada daquele nosso passado importa. Será mesmo?

Autor: Paula Toyneti Benalia


Quais são os problemas que o perfeccionismo causa?

No mundo complexo e exigente em que vivemos, é fácil se deparar com um padrão implacável de perfeição.

Autor: Thereza Cristina Moraes


De quem é a América?

Meu filho tinha oito anos de idade quando veio me perguntar: “papai, por que os americanos dizem que só eles vivem na América?”.

Autor: Leonardo de Moraes


Como lidar com a dura realidade

Se olharmos para os acontecimentos apresentados nos telejornais veremos imagens de ações terríveis praticadas por pessoas que jamais se poderia imaginar que fossem capazes de decair tanto.

Autor: Benedicto Ismael Camargo Dutra


O aumento da corrupção no país: Brasil, que país é este?

Recentemente, a revista The Economist, talvez a mais importante publicação sobre a economia do mundo, mostrou, um retrato vergonhoso para o Brasil no que diz respeito ao aumento da corrupção no país, avaliação feita pela Transparência Internacional, que mede a corrupção em todos os países do mundo.

Autor: Ives Gandra da Silva Martins