Portal O Debate
Grupo WhatsApp

5 erros cometidos ao treinarem seus vendedores

5 erros cometidos ao treinarem seus vendedores

12/02/2016 Mário Rodrigues

Aprimorar as capacidades é algo fundamental para qualquer profissional, independentemente do seu ramo de atuação.

5 erros cometidos ao treinarem seus vendedores

Imaginem então em uma carreira para a qual não existem cursos universitários nem se exige diploma. Sim, estou me referindo à carreira de vendedor, responsável por empregar milhões de trabalhadores e por movimentar grande parte do dinheiro que circula em um país.

Embora poucas vezes nos atentemos a isso, o fato é que a área de vendas é a única a trazer receita para uma empresa, enquanto todas as outras, sem exceção, só trazem gastos ou investimentos – claro que esses outros profissionais exercem funções importantíssimas, mas aqui o assunto é, exclusivamente, o fato de gerar receita. Mesmo diante desse cenário, muitas companhias, simplesmente, ignoram a necessidade de treinar a sua equipe comercial.

E, quando resolver treinar, cometem muitos erros evitáveis, desperdiçando tempo e dinheiro com algo tão fundamental. Para colaborar com esses gestores, trago aqui algumas dicas para as empresas treinarem os seus vendedores, que podem evitar equívocos e garantir um upgrade nos resultados:

Treinamento não é “estanque”: Muitas companhias só decidem submeter a equipe comercial a capacitações quando as metas não são batidas, quando os resultados não aparecem. Claro que corrigir os pontos falhos é fundamental, mas treinar deve ser algo periódico, que aprimore sempre o que já está bom e, mais que isso, que tenha frequência e consistência. Afinal, desenvolver uma equipe não ocorre do dia para a noite, é preciso profundidade nas ações e alinhamento com as metas da empresa.

Gestor deve também participar do treinamento: O foco da capacitação não pode ser apenas os vendedores que estão na “linha da frente”, o gestor deve participar ativamente e se desenvolver para ficar alinhado com as ferramentas apresentadas para a equipe. Afinal, ele será o responsável por direcionar e apoiar os vendedores na aplicação do aprendizado no dia a dia, além de cumprir o papel de treinador constante da equipe.

Estrutura adequada: Não adianta a equipe receber o treinamento sobre uma plataforma, estratégias ou planos de ação se a empresa não proporcionar meios para o vendedor colocar tudo em prática. É necessário garantir as condições de trabalho ideais para que o vendedor esteja motivado e com recursos disponíveis para realizar as vendas, para fechar negociações.

Técnica ou motivação?: É comum a equipe precisar aperfeiçoar as técnicas, as estratégias, os processos, mas a empresa acaba por contratar um treinamento voltado para o lado motivacional - e vice-versa. Esse erro é muito comum e, obviamente, acaba não resolvendo os problemas. O gestor precisa identificar qual, de fato, é a necessidade dos vendedores para ser assertivo no treinamento.

“Cadê o resultado?”: Dar treinamento a um vendedor para apenas cobrar o resultado pode ter um efeito inverso caso ele não conte com o apoio do gestor. Nesse caso, o treinamento passa a ser motivo de cobrança em vez de ser uma mola propulsora para o desenvolvimento com foco em resultados. Claro que cobrar resultados é uma das funções do gestor, mas apenas cobrar não funciona quando a equipe tem um nível de maturidade baixa.

O que a equipe precisa é de direcionamento, apoio constante, feedback e recursos necessários para performar, fatores que são de responsabilidade diária do gestor. O vendedor bem treinado, que possui as ferramentas necessárias para o trabalho, certamente vai bater metas. É um processo natural.

* Mário Rodrigues é diretor do Instituto Brasileiro de Vendas (IBVendas).



Minas registra mais de 1 milhão de Microempreendedores Individuais

Após 10 anos, desde a implementação da Lei Complementar 128, MEI já são a maioria dos pequenos negócios formalizados no estado.

Minas registra mais de 1 milhão de Microempreendedores Individuais

Cresce abate de bovinos, suínos e frangos, diz IBGE

Foram abatidas 8,08 milhões de cabeças de bovinos no segundo trimestre de 2019.

Cresce abate de bovinos, suínos e frangos, diz IBGE

Cresce a confiança dos consumidores de BH na economia

Indicador voltou a subir no segundo trimestre de 2019. Homens e jovens são os mais confiantes.

Cresce a confiança dos consumidores de BH na economia

Empresários da construção estão mais confiantes

O Índice de Confiança do Empresário da Indústria da Construção de Minas Gerais – ICEICON MG – atingiu 53,8 pontos em julho, crescimento de 3,0 pontos em relação a junho (50,8 pontos).


Empresas e paternidade: uma mudança a ser nutrida

Daqui a cinco ou dez anos, nem você nem ninguém se lembrará com precisão da tarefa que está fazendo no trabalho neste minuto.


Cereais, leguminosas e oleaginosas podem ter safra recorde

Arroz, milho e soja representam 92,7% da produção estimada no ano.

Cereais, leguminosas e oleaginosas podem ter safra recorde

Queda da Taxa Selic e a economia brasileira

Após o mais longo período em que a Taxa Selic permaneceu em um mesmo patamar, o Banco Central cortou a taxa básica da economia em 0,50%.


Dia dos Pais deve gerar R$ 5,6 bilhões de faturamento em 2019

CNC projeta alta de 2,1% nas vendas para a quarta data comemorativa mais importante do varejo.

Dia dos Pais deve gerar R$ 5,6 bilhões de faturamento em 2019

Novas regras de gestão de dados e o impacto para as empresas

As novas regras relacionadas à gestão de dados passarão a valer no ano que vem.


Pequenos negócios são responsáveis por 79% do saldo de empregos em Minas

Micro e Pequenas Empresas mineiras registraram saldo de 67 mil postos de trabalho nos primeiros seis meses do ano.

Pequenos negócios são responsáveis por 79% do saldo de empregos em Minas

Percentual de famílias com dívidas aumentou pelo 7º mês consecutivo

Principais inadimplências das famílias brasileiras são o financiamento de carro e o de casa.

Percentual de famílias com dívidas aumentou pelo 7º mês consecutivo

Sete em cada dez brasileiros tiveram de fazer cortes no orçamento

Pesquisa indica que desempenho da economia no primeiro semestre foi pior do que o esperado.

Sete em cada dez brasileiros tiveram de fazer cortes no orçamento