Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Bolsa bate recorde: Hora de vender ou ainda temos tempo de entrar?

Bolsa bate recorde: Hora de vender ou ainda temos tempo de entrar?

05/01/2020 Gustavo Vaz

O mercado de bolsa de valores ainda é muito jovem para os investidores brasileiros, mas vem despertando cada vez mais o interesse das pessoas.

Na maioria dos casos, esse impulso se deve ao fato de as pessoas estarem buscando alcançar maiores retornos em um menor período de tempo, e também em razão dos atuais juros no Brasil, que estão nos menores patamares da história.

Isso tudo, por sua vez, fazem com que não seja mais possível rentabilizar os investimentos com títulos pós-fixados da mesma maneira em que anos anteriores.

Com a taxa referencial de juros do Brasil (Selic) a 4,5% ao ano – podendo ser diminuída nos próximos anos –, e a taxa de inflação nos patamares de 3% ao ano, o juro real pago para investimentos que possuem maior segurança está próximo de 1,5% ao ano.

Isto significa que se um investidor aplicar dez mil reais do seu dinheiro em um produto, que pague algo próximo da taxa Selic citada acima, o mesmo receberá no final do ano, aproximadamente, apenas cento e cinquenta reais acima da inflação.

Entretanto, mesmo que a bolsa seja um mercado para se buscar mais retorno do que os investimentos de baixo risco, a sua imprevisibilidade pode fazer com que o investidor fique na dúvida quanto ao melhor momento para entrar nesse mercado.

As empresas negociadas na bolsa sofrem a influência de vários tipos de situações. As notícias, por exemplo, acabam aflorando os sentimentos no curto prazo, trazendo euforia e desespero na tomada de decisão.

Decisões políticas e a expectativa de novos projetos a serem lançados, são outros fatores que fazem com que o preço das ações oscile em determinados momentos. Estes movimentos são chamados de especulação.

No entanto, muitos investidores ficam presos ao raciocínio de curto prazo, tentando encontrar o ponto exato de entrada na bolsa de valores ou mesmo procurando comprar ações com os menores preços possíveis, para tentar vende-las por valores mais altos e assim realizar os seus lucros.

Isso faz com que muitas pessoas caiam na armadilha de tentar prever o futuro. Esse pensamento transforma a bolsa em um jogo de apostas, o que de fato, no final, não é o que ela representa.

As ações da bolsa de valores são a elite das empresas brasileiras, ou seja, as líderes de seus setores. E como em qualquer empresa, caso seus planejamentos estratégicos venham a dar certo, os resultados previstos são os lucros acumulados no período e o crescimento da organização.

Este desenvolvimento então é refletido inexoravelmente nos preços das ações, mesmo existindo algum grau de especulação sobre elas. Isto significa que as empresas da bolsa podem ser comparadas a pessoas comuns.

Durante toda a vida de um ser humano ocorrem mudanças de curto prazo, como um braço quebrado ou uma promoção no trabalho, mas no final, o que realmente traz “resultados” para cada indivíduo, são seus valores éticos e competências.

Olhando agora para o cenário econômico brasileiro e seu direcionamento, é possível perceber uma mudança surpreendentemente positiva.

O foco em eficiência fiscal, privatizações, federalização e desburocratização do país – demonstrado nas reformas pautadas para os próximos anos – em conjunto com uma inflação controlada e juros baixos, têm aumentado, significativamente, a capacidade empresarial de geração de valor para a sociedade, e isto será refletido então nas expectativas da bolsa de valores.

Desta maneira, mesmo que a bolsa tenha alcançado um novo recorde, as empresas que estão presentes por lá, ainda possuem um espaço enorme de crescimento.

Isto significa que a janela de oportunidade para a entrada na bolsa, ainda continua aberta e permanecerá assim por muito mais tempo. E aqueles que ficarem de fora terão que se contentar com os baixos rendimentos de produtos mais seguros.

* Gustavo Vaz é assessor de investimentos na Atrio Investimentos.

Fonte: Naves Coelho Comunicação



Cadastro Positivo insere mais de 464 mil mineiros no mercado de crédito

Dados divulgados pela ANBC demonstram contingente da população mineira que se beneficiou da primeira consulta de crédito após a implantação do Cadastro Positivo com adesão automática.

Cadastro Positivo insere mais de 464 mil mineiros no mercado de crédito

Conheça cinco vantagens do Pix para empresas

MEIs e PMEs podem economizar cerca de R$ 2.000 em serviços e produtos bancários por ano.

Conheça cinco vantagens do Pix para empresas

Sete em cada 10 pequenos negócios mineiros pretendem investir em 2022

Mais de um terço dos empresários do segmento planeja expandir ou melhorar as atividades entre abril e junho.

Sete em cada 10 pequenos negócios mineiros pretendem investir em 2022

Entender os números será requisito do mercado de trabalho

Trabalhar numa empresa e conhecer os seus setores faz parte da rotina de qualquer colaborador.

Entender os números será requisito do mercado de trabalho

Confiança do comércio volta a crescer após dois meses

Índice que mais tem concentrado a queda da confiança, Condições Atuais do Empresário do Comércio, surpreende, apresentando maior crescimento mensal.

Confiança do comércio volta a crescer após dois meses

Gastos com alimentação fora de casa somaram R$ 164,4 bilhões em 2021

Pesquisa mostra que cada brasileiro gastou em média R$ 16,21 por refeição, significando uma alta de 12% em relação a 2020.

Gastos com alimentação fora de casa somaram R$ 164,4 bilhões em 2021

Saiba como escolher os melhores vinhos para sua comemoração

Reunir as pessoas mais queridas, escolher a playlist, caprichar na decoração e acertar no cardápio e arrasar na escolha dos vinhos.

Saiba como escolher os melhores vinhos para sua comemoração

Habilidades tão importantes quanto talento na ascensão pessoal e profissional

Não basta ser bom na área de atuação, é preciso mais que isso.

Habilidades tão importantes quanto talento na ascensão pessoal e profissional

Vendas do varejo crescem 1,1% de janeiro para fevereiro, diz IBGE

Pequenas empresas geram 220 mil empregos em fevereiro, aponta Sebrae

Setor de serviços foi o que mais contratou, abrindo 134.024 empregos.

Pequenas empresas geram 220 mil empregos em fevereiro, aponta Sebrae

Programa gratuito ajudará 300 projetos de empresas em fase inicial

Pequenas empresas receberão ajuda gratuita para tirar ideias inovadoras do papel.


Sebrae revela aumento de pequenos negócios que fabricam chocolates

Facilidade de participação no mercado é atrativa para empreendedores.

Sebrae revela aumento de pequenos negócios que fabricam chocolates