Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Certificações ISO: a garantia de uma gestão eficaz

Certificações ISO: a garantia de uma gestão eficaz

01/06/2018 Alexandre Pierro

Investir em certificações ISO pode trazer inúmeros benefícios, afirma especialista.

Certificações ISO: a garantia de uma gestão eficaz

Desde a época em que o meio de produção era puramente artesanal, as pessoas procuram diferenciar os produtos bons dos ruins. Com a chegada da primeira revolução industrial, as empresas passaram a buscar maneiras de padronizar a qualidade dos produtos, e serviços, que entregam ao mercado.

Já após a segunda guerra mundial, a demanda por bens de consumo cresceu no mundo todo, fazendo com que a indústria aumentasse sua produtividade, criando rotinas de produção para entregar produtos com qualidade, escala e padronização.

Na época, a indústria estava arrasada pelos esforços de guerra e era difícil garantir qualidade no que era produzido em meio à alta demanda. Foi então, que em 1946, se utilizando da própria base de normas militares e com o objetivo de facilitar a coordenação internacional e unificação dos padrões industriais, surgiu a ISO International Organization for Standardization, ou em português Organização Internacional de Normalização. Sediada em Genebra, na Suíça, a ISO contava, inicialmente, com representantes de 25 países.

O escopo de atuação da ISO abraça todos os tipos de organizações, uma vez que a entidade tem normas estabelecidas em todos os campos de conhecimento. No entanto, existem seis normas que, por sua abrangência e importância, podem ser implementadas em todos os tamanhos de empresas, inclusive pequenas e médias. A ISO 9001 é uma certificação de padronização da qualidade, que garante uma gestão eficiente em todos os âmbitos da companhia; A ISO 14001 é voltada ao cumprimento das legislações ambientais, visando minimizar impactos; A ISO 45001 é dedicada exclusivamente à saúde e segurança ocupacional dos funcionários; A ISO 19600, que atua na gestão de compliance; A ISO 31000, que aborda gestão de risco; E por fim a ISO 37001, antisuborno.

Essas certificações podem ser aplicadas de forma separada ou conjunta, dando garantias ao mercado de que as organizações que as possuem, tem boas práticas e altos padrões de qualidade dos produtos e/ou serviços, além de processos muito bem estruturados. Juntas, elas atuam de maneira inteligente nas cinco áreas mais sensíveis de qualquer empresa: qualidade em produtos ou serviços, sustentabilidade ambiental, saúde e segurança de pessoas, gestão de risco e compliance.

E, ao contrário do que possa parecer, a implementação é bastante simples. A primeira fase é de diagnóstico, que pode ser feito tanto por uma equipe interna de qualidade quanto por uma consultoria terceirizada. Nessa etapa, é identificado qual será a melhor e mais urgente norma a ser implementada. São mencionados os ajustes necessários, bem como um cronograma para adequação dos requisitos da norma. O cronograma varia caso a caso e leva em consideração os recursos financeiros, prazos e metas. De modo geral, a implantação de todos os itens demora entre seis e dez meses. Após esse período, a empresa passa pelo processo de acreditação junto a uma certificadora que é credenciada junto ao INMETRO, órgão vinculado ao Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comercio exterior (MDIC).

Investir em certificações ISO pode trazer inúmeros benefícios. Além de melhoria nos processos, é perceptível uma significativa redução nos desperdícios, os chamados savings. A diminuição dos custos e o aumento da produtividade também aparecem entre as principais vantagens, uma vez que a partir da implementação da norma a organização passa a ter um melhor aproveitamento dos recursos. Como consequência, a empresa passa a adotar a certificação como estratégia de marketing, visando demonstrar aos clientes que é uma empresa confiável.

Apesar de sua importância para o desenvolvimento do mercado nacional, as empresas brasileiras ainda não dão a atenção necessária às certificações ISO. O investimento para a conquista da certificação é rapidamente recuperado, visto que a empresa ganha com melhoria da gestão, a eliminação de desperdícios e a possibilidade de aumento de vendas, já que muitas empresas de maior porte ou multinacionais só aceitam fornecedores certificados. Ao ampliar o escopo de atuação, a empresa consegue reaver seu investimento e percebe ainda seu fluxo de receita aumentar exponencialmente. Sem dúvida, é bom para a empresa e para o país como um todo, que só tem a ganhar com a melhoria da qualidade.

Texto: Alexandre Pierro - engenheiro mecânico e fundador da PALAS, consultoria em gestão da qualidade.



Estratégias de desenvolvimento interno de equipes de alta performance

Apostar na formação de funcionários é a melhor saída para driblar a escassez de talentos especializados no mercado de trabalho.

Autor: Divulgação

Estratégias de desenvolvimento interno de equipes de alta performance

A estratégia de folha de pagamento na prática

Se os funcionários são o coração pulsante de uma organização, então a folha de pagamento é, de muitas maneiras, o sangue que a percorre.

Autor: Jeff Phipps

A estratégia de folha de pagamento na prática

União da Contabilidade e Marketing voltados para o ESG

O termo ESG surgiu há alguns anos e já tem se tornado prioridade no mundo dos negócios por estar embasado nas práticas ambientais, sociais e de administração de uma empresa.

Autor: Priscilla Helena Afonso Ejzenbaum

União da Contabilidade e Marketing voltados para o ESG

Como calcular o potencial de faturamento do seu negócio?

Conhecer o preço ideal da hora trabalhada em seu escritório ajuda a decidir quanto cobrar e qual pode ser a margem de lucro.

Autor: Beatriz Machnick

Como calcular o potencial de faturamento do seu negócio?

Como um ERP pode aumentar a eficiência de uma empresa?

Em meio a um cenário empresarial dinâmico e em evolução constante, a adoção de um sistema de gestão torna-se imprescindível para garantir a eficiência operacional.

Autor: Júlio Baruchi e Rodrigo Franco

Como um ERP pode aumentar a eficiência de uma empresa?

Felicidade nas empresas: ambientes resilientes e produtivos

Desde que o mundo é mundo, a felicidade sempre foi o tema da existência humana.

Autor: Nancy Quintela e Walderez Fogarolli

Felicidade nas empresas: ambientes resilientes e produtivos

Você sabe a importância do marketing e do branding para um bom líder?

Há duas ferramentas que são essenciais para um bom líder utilizar e ajudar a criar uma imagem positiva e forte da sua marca e negócio: o marketing e o branding.

Autor: Leonardo Chucrute

Você sabe a importância do marketing e do branding para um bom líder?

Quais os principais erros cometidos na hora de investir em cibersegurança?

Se as empresas estão engajadas na temática de segurança, por que continuamos vendo casos de ciberataques?

Autor: Renata Barros e Tailan Oliveira

Quais os principais erros cometidos na hora de investir em cibersegurança?

5 desafios de trade marketing

Como as empresas devem se preparar para 2024.

Autor: Kleber Astolfi

5 desafios de trade marketing

Empreender sem funcionários? Dicas para administrar o próprio negócio

Como alternativa para começar o próprio negócio, investir em empresas sem colaboradores é uma opção para ter autonomia com o trabalho.

Autor: Divulgação

Empreender sem funcionários? Dicas para administrar o próprio negócio

Por que abandonar o ‘marketês’ nas relações com clientes

Em novo livro, Carolina Fernandes incentiva pequenos e grandes empresários a abrasileirarem a comunicação para reforçar proximidade com todos os públicos.

Autor: Divulgação


“Contrato de gaveta” pode trazer instabilidade jurídica à sua empresa?

Contratos sem registro legal podem ser mais rápidos, mas trazem insegurança jurídica para a empresa.

Autor: Divulgação

“Contrato de gaveta” pode trazer instabilidade jurídica à sua empresa?