Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Como o “jeito fintech” de fazer negócios tem possibilitado o surgimento de novas empresas

Como o “jeito fintech” de fazer negócios tem possibilitado o surgimento de novas empresas

02/08/2022 Caio Bretones

Quem já se aventurou no empreendedorismo ou está fazendo isso agora sabe o quanto é difícil se destacar em um ambiente extremamente competitivo.

Como o “jeito fintech” de fazer negócios tem possibilitado o surgimento de novas empresas

São muitos empreendedores tentando encontrar seu lugar no mercado e diante de muita pressão e inexperiência é comum que muitos enfrentem dificuldades e cometam alguns deslizes, que podem vir a ocasionar o fechamento do negócio.

De acordo com dados do Boletim do Mapa de Empresas do 1º Quadrimestre de 2022, divulgado pelo Ministério da Economia, o Brasil contava com 19.373.257 empresas ativas no final de abril, um incremento de mais de 800 mil estabelecimentos abertos no período, já descontados os que fecharam. Apenas no primeiro quadrimestre deste ano, foram abertas mais de um milhão de empresas, o que representa um aumento de 11,5% em relação ao último quadrimestre de 2021, sendo 79% Microempreendedores Individuais (MEIs) e os outros 21% são micro, pequenas e grandes empreendimentos, indústrias e agronegócios.

Contudo, ainda segundo a pesquisa, neste mesmo período, ocorreu um aumento no número de empresas fechadas, resultando em 23% sobre 2021 e de 11,5% sobre o último quadrimestre de 2021. Mas por que esses empreendimentos foram fechados? Podemos dizer que entre as principais razões pelas quais as empresas fecham, especialmente nos primeiros anos, estão motivos variados, ligados ao planejamento e à gestão, bem como questões relacionadas à vendas, como precificação, análise de mercado e estruturação de equipes. 

Fazer negócios não é uma receita de bolo, mas alguns elementos são essenciais e devem ser considerados por quem deseja abrir ou consolidar uma empresa. O empreendedor quando começa seu negócio, em especial, aqueles voltados para a tecnologia, precisa muitas vezes contratar serviços primários que são pagos em dólares, como por exemplo ferramentas de performance, servidores, e investimentos com infra-estrutura de modo geral. Neste caso, é preciso atentar-se às variações da moeda para que o investimento não saia mais caro do que o previsto. 

Para transações desse tipo também é necessário o cartão de crédito internacional, contudo, dificilmente são oferecidas contas com muitos benefícios para empresas que possuem o CNPJ que acabou de sair do forno. Isso se deve aos bancos tradicionais com suas burocracias, análises de perfil e segurança, preferem oferecer o serviço exclusivo para pessoas jurídicas com score mais alto, o que dificulta o caminho para pequenos empreendedores.

No entanto, existem fintechs cujo foco é a construção de produtos exclusivos para novos empreendimentos, como é o caso da Linker, banco digital focado em pessoas jurídicas e startups. Para sanar as demandas reprimidas dos novos CNPJs, as fintechs têm atuado como grandes facilitadores de novos negócios, possibilitando aos pequenos e médios empreendedores oportunidades de estruturar a operação e escalar de forma rápida.

O "jeito fintech” de fazer negócios mostrou a importância de ser ágil na tomada de decisões, ter acesso a mais players e, principalmente, usar ferramentas de gestão para automatizar processos, permitindo que todos possam trabalhar para entregar aquilo que seu público quer. Não é à toa que o número de fintechs só aumenta no Brasil. As empresas do setor de serviços financeiros chegam ao mercado para solucionar demandas muitas vezes não atendidas pelas companhias mais tradicionais, ajudando diversas startups. 

Mas lembrem-se, o cenário mudou, mas não completamente. O crescimento dos empreendimentos não depende única e exclusivamente de bancos ou fintechs. É necessário muito estudo para tocar um novo negócio. Quem deseja crescer de forma sustentável e atrair mais consumidores precisa entregar a melhor experiência em toda a jornada de compra do cliente final. Somente assim, a empresa consegue mostrar que se importa com seu público e que está pronta para ganhar a confiança dele. É o primeiro e o mais importante passo para se destacar no ambiente corporativo em que vivemos.

* Caio Bretones é sócio-fundador e CEO da Mobile2you, mobile-house especializada no desenvolvimento de aplicativos financeiros sob medida (tailor-made), com especialidade em fintechs e soluções digitais. 

Para mais informações sobre empreendedorismo clique aqui...

Publique seu texto em nosso site que o Google vai te achar!

Fonte: Seven PR



Estratégias de desenvolvimento interno de equipes de alta performance

Apostar na formação de funcionários é a melhor saída para driblar a escassez de talentos especializados no mercado de trabalho.

Autor: Divulgação

Estratégias de desenvolvimento interno de equipes de alta performance

A estratégia de folha de pagamento na prática

Se os funcionários são o coração pulsante de uma organização, então a folha de pagamento é, de muitas maneiras, o sangue que a percorre.

Autor: Jeff Phipps

A estratégia de folha de pagamento na prática

União da Contabilidade e Marketing voltados para o ESG

O termo ESG surgiu há alguns anos e já tem se tornado prioridade no mundo dos negócios por estar embasado nas práticas ambientais, sociais e de administração de uma empresa.

Autor: Priscilla Helena Afonso Ejzenbaum

União da Contabilidade e Marketing voltados para o ESG

Como calcular o potencial de faturamento do seu negócio?

Conhecer o preço ideal da hora trabalhada em seu escritório ajuda a decidir quanto cobrar e qual pode ser a margem de lucro.

Autor: Beatriz Machnick

Como calcular o potencial de faturamento do seu negócio?

Como um ERP pode aumentar a eficiência de uma empresa?

Em meio a um cenário empresarial dinâmico e em evolução constante, a adoção de um sistema de gestão torna-se imprescindível para garantir a eficiência operacional.

Autor: Júlio Baruchi e Rodrigo Franco

Como um ERP pode aumentar a eficiência de uma empresa?

Felicidade nas empresas: ambientes resilientes e produtivos

Desde que o mundo é mundo, a felicidade sempre foi o tema da existência humana.

Autor: Nancy Quintela e Walderez Fogarolli

Felicidade nas empresas: ambientes resilientes e produtivos

Você sabe a importância do marketing e do branding para um bom líder?

Há duas ferramentas que são essenciais para um bom líder utilizar e ajudar a criar uma imagem positiva e forte da sua marca e negócio: o marketing e o branding.

Autor: Leonardo Chucrute

Você sabe a importância do marketing e do branding para um bom líder?

Quais os principais erros cometidos na hora de investir em cibersegurança?

Se as empresas estão engajadas na temática de segurança, por que continuamos vendo casos de ciberataques?

Autor: Renata Barros e Tailan Oliveira

Quais os principais erros cometidos na hora de investir em cibersegurança?

5 desafios de trade marketing

Como as empresas devem se preparar para 2024.

Autor: Kleber Astolfi

5 desafios de trade marketing

Empreender sem funcionários? Dicas para administrar o próprio negócio

Como alternativa para começar o próprio negócio, investir em empresas sem colaboradores é uma opção para ter autonomia com o trabalho.

Autor: Divulgação

Empreender sem funcionários? Dicas para administrar o próprio negócio

Por que abandonar o ‘marketês’ nas relações com clientes

Em novo livro, Carolina Fernandes incentiva pequenos e grandes empresários a abrasileirarem a comunicação para reforçar proximidade com todos os públicos.

Autor: Divulgação


“Contrato de gaveta” pode trazer instabilidade jurídica à sua empresa?

Contratos sem registro legal podem ser mais rápidos, mas trazem insegurança jurídica para a empresa.

Autor: Divulgação

“Contrato de gaveta” pode trazer instabilidade jurídica à sua empresa?