Portal O Debate
Grupo WhatsApp


Fusões e aquisições: o ano de 2020 promete!

Fusões e aquisições: o ano de 2020 promete!

03/04/2020 Marco Aurélio Pitta

O ano de 2020 promete ser bem movimentado para operações de fusões e aquisições no Brasil.

As chamadas operações de M&A (Mergers and Acquisitions em inglês) se tornam cada vez mais comuns aqui em nosso país. O ano passado já foi um sucesso. Segundo a consultoria Evolua, o segmento de fusões e aquisições movimentou R$ 307 bilhões em 2019, uma alta de mais de 58% se compararmos com 2018. Educação, Saúde, Tecnologia da Informação, Telecom e Imobiliário são alguns exemplos de setores que tiveram êxito no ano passado.

E o que nos faria acreditar que 2020 pode ser melhor ainda? São vários fatores, como ambiente favorável de Reformas, como a Tributária e Administrativa; expectativa de crescimento do PIB; bolsa de valores com recordes históricos; queda da inflação e juros (SELIC) no Brasil; juros negativos na Europa e mínimos nos EUA; aumento do nível de confiança dos investidores nacionais e estrangeiros; esforço do Governo de simplificar o ambiente de negócios no Brasil.

Consultorias como PwC e KPMG já apontam tendência para consolidação por aqui. Alia-se a isso a onda de movimentos que devem continuar para este ano: a criação de Unicórnios brasileiros e IPOs dentro e fora do país. Esses movimentos geram poder financeiro para grandes corporações que, para crescer, precisam fazer aquisições, crescer de forma não orgânica. Do outro lado, empresas familiares se veem com propostas cada vez mais “tentadoras”, estando ao mesmo tempo com dificuldades de sucessão familiar no negócio e falta de uma boa governança corporativa.

Mas donos de negócios que buscam uma possível venda precisam fazer a lição de casa, deixando seus negócios no melhor “compliance” possível. Empresas que não estão em boa ordem, com uma contabilidade em dia e sem riscos legais, trabalhistas e tributários podem fazer eventuais compradores perderem o interesse inclusive em um bom ativo.

Passando desse nível, não podemos esquecer que todos os M&As precisam ter um cuidado especial. São processos demorados que vão desde avaliar interessados em quem quer comprar e quem quer vender, analisar a viabilidade jurídica da operação, preparar modelagem financeira (valuation) para justificar o negócio, contratar e realizar a due diligence, definição do preço de venda e a confecção e assinatura do SPA (Sale and Purchase Agreement). E tudo isso pode demorar semanas, meses e até anos… sem falar no pós “closing” (após o fechamento da operação).

Ter bons assessores dos dois lados (comprador e vendedor) é fundamental para que esse tipo de negócios se concretize. Por outro lado, isso se torna uma grande oportunidade para profissionais que têm experiência sobre todo este processo além de conhecimento em áreas como Finanças, Contabilidade e Direito.

Como se vê, processos de fusões e aquisições movimentam a economia e beneficiam, principalmente, profissionais que estejam preparados para acompanhar projetos estratégicos deste tipo, que está só no começo. Grandes desafios e oportunidades pela frente... que venham os M&As!

* Marco Aurélio Pitta é profissional de contabilidade, coordenador e professor do programa de MBA em Finanças de Alta Performance da Universidade Positivo.

Fonte: Central Press



Como cuidar do fluxo de caixa pós-pandemia

Lembrando que o poder de compra dos clientes e dos potenciais clientes também deve mudar.


Sucesso nos negócios: estratégia ou acaso?

Embora sejam simples, as estratégias não são simplistas, e a maioria avassaladora das empresas brasileiras não possui esse tipo de direcionamento.

Sucesso nos negócios: estratégia ou acaso?


Acredite, 2020 será o melhor ano da vida de muitas pessoas

Independente do cenário, muitas pessoas estão fazendo dinheiro como nunca. E a causa primária disso é a Internet.


O momento pede revisão na estratégia para manutenções

Como essa nova realidade mundial enfrentada pelo coronavírus impõe mudanças na estratégia de gestão dos ativos.


Economia brasileira recua 1,5% no primeiro trimestre

Resultado foi afetado pelo novo coronavírus e isolamento social.

Economia brasileira recua 1,5% no primeiro trimestre

O engajamento dos colaboradores em um mundo colocado à força em home office

É fato que muitas empresas, no Brasil e no mundo, já tinham essa como uma prática regular.

O engajamento dos colaboradores em um mundo colocado à força em home office

Pesquisa mostra consumo mais consciente e compromisso com a sustentabilidade

61% dos consumidores esperam que as marcas que compram tenham práticas claras de sustentabilidade.


Coronavírus provoca a maior queda da história na intenção de consumo das famílias

ICF cai 13,1% em segunda retração mensal consecutiva e atinge menor nível desde novembro de 2017.

Coronavírus provoca a maior queda da história na intenção de consumo das famílias

A hipótese das três crises

Ao colocar as pessoas em isolamento social, a pandemia do coronavírus gerou uma crise múltipla.


Shopping Centers – O desafio da reinvenção

Há a necessidade de ir mais além, mergulhar no íntimo do conhecimento do nosso cliente, usar definitivamente o que se aprendeu nos bancos da universidade - a antropologia do consumo, o atendimento personalizado, ir além.


Produtores do Cerrado fazem primeira venda coletiva de queijo minas artesanal

Produtores da Aprocer comercializam 450 quilos de queijo a um valor superior ao que vinha sendo negociado regionalmente.

Produtores do Cerrado fazem primeira venda coletiva de queijo minas artesanal