Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Por que as vendas das indústrias patinam?

Por que as vendas das indústrias patinam?

25/08/2019 Matheus Pagani

Setor ainda carece de investimentos na realização de ações de relacionamento com seu público-alvo.

O processo comercial tem sofrido muitas mudanças nos últimos anos. Hoje as empresas não devem simplesmente se limitar ao ato da venda, pois a relevância de uma marca passa muito mais pela capacidade de relacionamento com seu público.

É preciso conquistar fãs e defensores para que o consumidor continue lembrando dos benefícios e, consequentemente, comprando seus produtos e serviços.

Grandes companhias internacionais e nacionais já exercem esse conceito como foco prioritário em seus modelos de negócios, mas ele ainda patina em um setor chave da economia: a Indústria. 

Analisando mais especificamente a cadeia de manufatura – incluindo indústrias, distribuidoras e revendas –, o grande problema reside na ausência de um processo comercial claro e definido.

É mais comum do que possa parecer, algumas empresas do setor concederem descontos diferentes para dois clientes da mesma região, do mesmo segmento e com todas as demais características semelhantes, baseadas apenas no “humor” do gestor.

Se esses clientes entrarem em contato um com o outro, certamente irão se irritar e perder a confiança pela fornecedora. 

Outro ponto vulnerável é a ineficácia na gestão da carteira de clientes. Para que o comprador siga lembrando da sua existência é preciso nutrir o relacionamento ao longo do tempo.

Ainda assim, diversas indústrias não realizam uma administração apropriada da base de clientes, confiando no retorno dele por conta própria e sem qualquer estímulo.

Mesmo que o diferencial da empresa no mercado seja a qualidade dos produtos e serviços, vale ressaltar que os concorrentes podem se tornar capazes de fazer frente ao seu negócio a curto e médio prazo.

Além disso, ao examinar a receita das indústrias, é possível perceber que boa parte do lucro delas é oriundo de poucos clientes – os maiores.

Nesse caso, aprender o que motiva a alta recorrência desses parceiros é essencial para que os clientes menores também passem a comprar volumes mais elevados e com maior frequência.

A falta de visibilidade gerencial também é um item falho em algumas companhias do setor. Historicamente, os vendedores tendem a priorizar a venda em detrimento dos processos burocráticos, o que pode trazer grande prejuízo para a base de dados.

Para o gestor, isso também implica na perda de visibilidade do desempenho da equipe. Sem a centralização dos dados, não é possível fazer um diagnóstico completo da operação comercial, além de não saber ao certo os detalhes da execução do trabalho e performance da equipe.

Atualmente, boa parte dos sistemas de gestão industrial continuam defasados em relação às métricas específicas de vendas, como: número de perdas, motivos das perdas, descontos realizados, taxas de conversão, número de atividades feitas no dia, histórico de cada cliente etc.

Diante desse diagnóstico, a primeira receita é priorizar a definição de regras comerciais para cada tipo de cliente, segmentando-os por região, tamanho, setor ou qualquer outra variável relevante, sem abrir mão dela por nenhum instante.

Também são fundamentais a aplicação de estratégias de retenção com os atuais clientes e reativação com inativos, estabelecendo ações periódicas com intuito de aproximar a relação. Além disso, a visão 360º do processo comercial é essencial.

Por isso, é de suma importância o investimento da liderança em softwares que possam trazer a possibilidade do vendedor organizar seu funil de vendas, tarefas, entre outros elementos, trazendo a possibilidade dos gestores acompanharem atualizações de status e evolução dos negócios em tempo real. 

Além de se adaptarem ao conceito Indústria 4.0, com todos esses fundamentos, o setor industrial alcançará um maior nível de conexão com seu público comprador, conseguindo aumentar a recorrência de vendas dentro da base ativa de clientes e ampliar as possibilidades junto aos inativos.

Após a chegada dos robôs, uso de IoT, impressão 3D, entre outros fundamentos que visam elevar a produtividade das indústrias, a tecnologia também chegou para auxiliá-las a venderem mais e melhor.

* Matheus Pagani é engenheiro da computação, além de cofundador e CEO da Ploomes.

Fonte: Motim Conteúdo Criativo



IA na cobrança: seis dicas para implementar com assertividade

Cobrar um cliente, nem sempre, é uma tarefa fácil.

Autor: Leonardo Coelho

IA na cobrança: seis dicas para implementar com assertividade

Estratégias de desenvolvimento interno de equipes de alta performance

Apostar na formação de funcionários é a melhor saída para driblar a escassez de talentos especializados no mercado de trabalho.

Autor: Divulgação

Estratégias de desenvolvimento interno de equipes de alta performance

A estratégia de folha de pagamento na prática

Se os funcionários são o coração pulsante de uma organização, então a folha de pagamento é, de muitas maneiras, o sangue que a percorre.

Autor: Jeff Phipps

A estratégia de folha de pagamento na prática

União da Contabilidade e Marketing voltados para o ESG

O termo ESG surgiu há alguns anos e já tem se tornado prioridade no mundo dos negócios por estar embasado nas práticas ambientais, sociais e de administração de uma empresa.

Autor: Priscilla Helena Afonso Ejzenbaum

União da Contabilidade e Marketing voltados para o ESG

Como calcular o potencial de faturamento do seu negócio?

Conhecer o preço ideal da hora trabalhada em seu escritório ajuda a decidir quanto cobrar e qual pode ser a margem de lucro.

Autor: Beatriz Machnick

Como calcular o potencial de faturamento do seu negócio?

Como um ERP pode aumentar a eficiência de uma empresa?

Em meio a um cenário empresarial dinâmico e em evolução constante, a adoção de um sistema de gestão torna-se imprescindível para garantir a eficiência operacional.

Autor: Júlio Baruchi e Rodrigo Franco

Como um ERP pode aumentar a eficiência de uma empresa?

Felicidade nas empresas: ambientes resilientes e produtivos

Desde que o mundo é mundo, a felicidade sempre foi o tema da existência humana.

Autor: Nancy Quintela e Walderez Fogarolli

Felicidade nas empresas: ambientes resilientes e produtivos

Você sabe a importância do marketing e do branding para um bom líder?

Há duas ferramentas que são essenciais para um bom líder utilizar e ajudar a criar uma imagem positiva e forte da sua marca e negócio: o marketing e o branding.

Autor: Leonardo Chucrute

Você sabe a importância do marketing e do branding para um bom líder?

Quais os principais erros cometidos na hora de investir em cibersegurança?

Se as empresas estão engajadas na temática de segurança, por que continuamos vendo casos de ciberataques?

Autor: Renata Barros e Tailan Oliveira

Quais os principais erros cometidos na hora de investir em cibersegurança?

5 desafios de trade marketing

Como as empresas devem se preparar para 2024.

Autor: Kleber Astolfi

5 desafios de trade marketing

Empreender sem funcionários? Dicas para administrar o próprio negócio

Como alternativa para começar o próprio negócio, investir em empresas sem colaboradores é uma opção para ter autonomia com o trabalho.

Autor: Divulgação

Empreender sem funcionários? Dicas para administrar o próprio negócio

Por que abandonar o ‘marketês’ nas relações com clientes

Em novo livro, Carolina Fernandes incentiva pequenos e grandes empresários a abrasileirarem a comunicação para reforçar proximidade com todos os públicos.

Autor: Divulgação