Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Produtores do Cerrado fazem primeira venda coletiva de queijo minas artesanal

Produtores do Cerrado fazem primeira venda coletiva de queijo minas artesanal

25/05/2020 Divulgação

Produtores da Aprocer comercializam 450 quilos de queijo a um valor superior ao que vinha sendo negociado regionalmente.

Produtores do Cerrado fazem primeira venda coletiva de queijo minas artesanal

Em meio às dificuldades econômicas impostas pela pandemia do novo coronavírus, produtores da Associação dos Produtores de Queijo Minas Artesanal do Cerrado (Aprocer) celebram a venda coletiva de 450 quilos de queijo para a Associação de Comerciantes de Queijo Artesanal Brasileiro (ComerQueijo). A comercialização dessa primeira leva é considerada um marco para a associação, criada há pouco mais de um ano.

Para o secretário da Aprocer, Antônio Augusto Carvalho Costa, a comercialização coletiva dos queijos foi um sucesso. Além de contribuir para reduzir o estoque dos produtores, que aumentou bastante devido à pandemia, essa venda coletiva deve abrir um mercado muito grande para os associados da Associação. “Foi uma venda bem expressiva. Conseguimos comercializar nossos produtos a preços superiores aos que os produtores estavam negociando regionalmente. Creio que essa parceria com a ComerQueijo vai aumentar muito a visibilidade dos produtores de queijo do Cerrado”.

De acordo com a analista do Sebrae Minas Adenilce Moreira, a pandemia está dificultando as vendas dos queijos, principalmente, porque inviabiliza a realização de feiras e eventos. Entretanto, segundo ela, por meio de um trabalho de cooperação, os associados da Aprocer conseguiram fechar um grande negócio. “Como alguns produtores tiveram dificuldades em comercializar os queijos, a Associação buscou novos parceiros e conseguiu fechar com a ComerQueijo, que já comprava na região da Canastra. Foi uma iniciativa de muito sucesso, e os produtores ficaram muito felizes. Quatro deles conseguiram vender todos seus produtos”, destaca.

Elias Côrtes de Almeida, proprietário da Queijaria Vô Joaquim, do município de Cruzeiro da Fortaleza, é um dos produtores beneficiados com a venda coletiva. Foram 100 quilos comercializados. “Temos a necessidade de expor e de apresentar a qualidade do queijo do Cerrado. Com as dificuldades impostas pela pandemia, todos nós da associação tivemos que nos unir e conseguir uma saída para a crise. Com essa primeira venda para a ComerQueijo, espero que possamos abrir novos mercados e fortalecer o queijo produzido na região”.

Quem também comemora a venda é o produtor Geraldo José Brandão, proprietário do Queijos Brandão de Carmo do Paranaíba. Segundo ele, essa venda dá esperança para bons negócios em um futuro próximo. “Foi uma venda muito boa que surgiu graças ao trabalho da Associação e dos parceiros, como o Sebrae Minas. Estávamos precisando vender, buscando um meio de comercializar o estoque, e essa parceria com a ComerQueijo veio em boa hora”.

Todo o trabalho da Aprocer conta com parcerias e apoio do Sebrae Minas, Unipam, Emater, UFU de Patos de Minas e Universidade Federam de Viçosa campus Rio Paranaíba. Já a ComerQueijo é uma associação formada por comerciantes de todo o país, que se dedicam ao comércio, exclusivo ou não, de queijos artesanais brasileiros.

Fonte: Sebrae Minas



Tecnologia, home office e a transformação do mercado imobiliário

A tecnologia é uma grande aliada e uma ferramenta cada vez mais fundamental para o mercado imobiliário.

Tecnologia, home office e a transformação do mercado imobiliário

Impostômetro chega à marca de R$ 2 trilhões

Em 2020, a marca foi atingida em 22 de dezembro, informa associação de SP.

Impostômetro chega à marca de R$ 2 trilhões

Setor de food service deve movimentar R$ 167 bilhões em 2021

Enfraquecido pela pandemia, segmento de food service deve estar preparado para o boom das operações, que se dará em 2022.

Setor de food service deve movimentar R$ 167 bilhões em 2021

CNC estima faturamento recorde do varejo para o Dia das Crianças

A data é a terceira mais importante depois do Natal e do Dia das Mães.

CNC estima faturamento recorde do varejo para o Dia das Crianças

Serasa mostra que empresas pagam 51% das dívidas em até 60 dias

Dívidas recentes são recuperadas em maior número que antigas.

Serasa mostra que empresas pagam 51% das dívidas em até 60 dias

4 dicas de decoração e arquitetura para escritórios

Há tempos que o local de trabalho deixou de ser um ambiente sem graça.

4 dicas de decoração e arquitetura para escritórios

Maioria de postos de trabalho foi criada por micro e pequena empresas

No acumulado do ano, as micro e pequenas empresas foram responsáveis por aproximadamente 70% dos postos de trabalho gerados no país.

Maioria de postos de trabalho foi criada por micro e pequena empresas

Pequenos negócios ainda registram queda no faturamento e se recuperam gradativamente

Pesquisa do Sebrae e da FGV mostra que indicadores do segmento apresentaram uma leve melhora em setembro, mas os impactos da crise ainda são sentidos pela maioria.

Pequenos negócios ainda registram queda no faturamento e se recuperam gradativamente

Um terço dos pequenos negócios mineiros investiu em RH para enfrentar a pandemia

Estudo do Sebrae Minas mostra, ainda, que 40% destas empresas precisaram reduzir as capacitações das equipes nos últimos 18 meses.

Um terço dos pequenos negócios mineiros investiu em RH para enfrentar a pandemia

Como evitar a estagnação empresarial?

Já pensou no porquê de algumas pessoas continuarem a avançar pessoal e profissionalmente, enquanto outros permanecem estagnadas?

Como evitar a estagnação empresarial?

Híbrido e Inteligente: o que esperar do varejo no futuro

Nada do que foi será, de novo, do jeito que já foi um dia.

Híbrido e Inteligente: o que esperar do varejo no futuro

Produtos com Indicação Geográfica são conhecidos por 60% dos pequenos negócios

Pesquisa feita pelo Sebrae mostra que até mesmo os negócios que não sabem o que é uma IG gostariam de vender produtos típicos regionais.

Produtos com Indicação Geográfica são conhecidos por 60% dos pequenos negócios