Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Redução salarial de CEOs: essa é uma boa estratégia?

Redução salarial de CEOs: essa é uma boa estratégia?

22/03/2023 Ricardo Haag

Ninguém gosta de tomar decisões difíceis. Mas, elas são necessárias para garantir a sobrevivência das empresas e manter suas operações rentáveis e saudáveis.

Redução salarial de CEOs: essa é uma boa estratégia?

Em um momento atípico em que vivenciamos uma onda crescente de demissões em massa, a redução salarial de CEOs vem se tornando uma estratégia urgente para a salvação de muitos negócios. Apesar de delicada, essa pode ser uma boa saída para enfrentar este cenário, desde que seja muito bem conversada e acordada entre todos para evitar desentendimentos e insatisfações internamente.

Só nos dois primeiros meses deste ano, mais de 50 empresas anunciaram demissões em massa no país – dentre elas, a grande maioria pertence ao setor tecnológico. Os dados assustam, mas não são uma completa novidade. Desde o início da pandemia, muitas companhias se viram obrigadas a cortar gastos para sobreviverem, seja no desligamento de funcionários, redução de jornadas ou outras medidas similares.

Todo negócio é cíclico, e deverá passar inevitavelmente por épocas de reestruturação que priorizem a boa performance organizacional. Entretanto, essa não é uma medida unilateral, e não deve impactar apenas uma ponta da cadeia de trabalho. Por isso, os CEOs de diversas empresas estão mandando um recado muito importante de companheirismo aos seus times, ajustando a coerência de tais decisões ao mostrar que não ficarão de fora destas reduções salariais necessárias para ajustar financeiramente as estratégias internas.

Analisando economicamente, as remunerações destes executivos são as maiores de toda a empresa. Apenas no Brasil, como exemplo, um relatório divulgado pela Ibovespa constatou que a média salarial anual destes profissionais, em 2021, girou em torno de R$ 12,57 milhões – em uma discrepância significativa da média dos outros colaboradores, a qual permaneceu em um valor médio anual de R$ 192,57 mil. Diante destes números, qualquer corte salarial de um CEO já representa uma diferença enorme que pode ajudar a companhia a reajustar suas finanças, trazendo ainda outros pontos positivos importantes em cenários instáveis como o de agora.

Além de contribuir para uma reestruturação financeira do negócio, essa redução da remuneração pode garantir o emprego de muitos outros profissionais valiosos para a organização, impedindo que percam sua fonte de subsistência e integrem as estatísticas de demitidos que preocupam a todos. E, fora as questões econômicas, aceitar essa diminuição deixa uma imagem de parceria extremamente importante dos CEOs para as equipes – mostrando que, apesar de ocuparem diferentes cargos, todos estão juntos no mesmo barco para qualquer situação que vier.

Agora, toda moeda tem seus dois lados. Qualquer decisão de corte salarial que não seja acordada ou bem comunicada com estes executivos pode gerar consequências drásticas para a empresa. Principalmente, no que diz respeito ao comprometimento de sua satisfação na empresa e seu consequente pedido de demissão. Esse é um cenário que todo gestor deve evitar ao máximo, considerando o papel vital que um CEO possui nos negócios para administrar as operações, lidar com os times e muitas outras decisões importantes a serem tomadas diariamente.

Essa falta de alinhamento não pode existir em hipótese alguma, e pode ser extremamente perigosa para as companhias. Muitas distorções em discursos são comuns de ocorrerem no mercado, e a melhor maneira de evitar estes problemas é prezando por uma comunicação clara e próxima entre os times, para que qualquer anúncio ou decisão seja compreendida por todos.

Os CEOs são peças fundamentais para o bom desempenho das empresas, principalmente para garantir o engajamento e felicidade de todas as equipes. Por isso, o anúncio de uma redução salarial destes profissionais vai muito além do que uma decisão financeira – reforçando sua responsabilidade de manter a equipe unida e não acentuar sua diferenciação entre os demais membros.

Essa é uma ferramenta de gestão que sempre poderá ser puxada da manga em prol de manter o funcionamento dos empreendimentos, mas que apenas trará os resultados desejados se for muito bem comunicada e prezar pela coerência entre o discurso destes líderes e a prática para um bom relacionamento e confiança entre todos.

* Ricardo Haag é sócio da Wide, consultoria boutique de recrutamento e seleção.

Para mais informações sobre gestão clique aqui...

Publique seu texto em nosso site que o Google vai te achar!

Entre para o nosso grupo de notícias no WhatsApp

Fonte: Informa Mídia



Multas e sanções administrativas podem ‘matar’ uma PME

Como evitá-las adequando-se à LGPD?

Autor: Ricardo Maravalhas

Multas e sanções administrativas podem ‘matar’ uma PME

Minas atrai investimento que vai gerar 300 vagas para engenheiros na Grande BH

Empresa Wabtec anuncia construção de novo centro de engenharia em Contagem após Minas vencer concorrência com estados de dez países.

Autor: Divulgação


Como empresas e empresários devem agir para sobreviver às intempéries

Intempérie. No dicionário, a definição para esse substantivo feminino traz como significado: mau tempo ou tempestade.

Autor: Haroldo Matsumoto

Como empresas e empresários devem agir para sobreviver às intempéries

Desafios empresariais

Empreender envolve correr riscos e encontrar soluções para os problemas das pessoas.

Autor: Leonardo Chucrute

Desafios empresariais

Um líder de verdade ensina o que sabe

Não são incomuns as histórias de profissionais que, voluntariamente, trocam de emprego para ganhar menos do que em suas posições anteriores.

Autor: Yuri Trafane

Um líder de verdade ensina o que sabe

Luciano Hang apoia manifesto isenção de impostos nas compras até US$50

Na noite de sexta-feira, 17, o dono da Havan, Luciano Hang, participou do jantar de encerramento do 39º Congresso Nacional de Sindicatos Empresariais (CNSE), em Balneário Camboriú (SC).

Autor: Divulgação


Como usar a inteligência emocional para lidar com os negócios?

Ser um empreendedor em um negócio altamente estressante é como estar em uma montanha-russa emocional.

Autor: João Roncati

Como usar a inteligência emocional para lidar com os negócios?

Azul cria fundo social para captação de recursos para desastres nacionais

Itaú Unibanco se torna o primeiro apoiador após doação de R$ 5 milhões.

Autor: Divulgação


Ultrapassei o limite do MEI e agora?

Entenda como funciona a transição para Microempresa.

Autor: Divulgação

Ultrapassei o limite do MEI e agora?

Por que tantas recuperações judiciais?

Nas últimas semanas, a imprensa reproduziu amplamente o indicador de recuperações judiciais produzido e monitorado pela Serasa Experian, a concorrente britânica do histórico SPC, este desenvolvido pela Câmara dos Dirigentes Logistas, que oferece serviços de proteção ao crédito.

Autor: Carlos Gomes


Empreendedorismo com propósito

Nasci em Nova Iguaçu, cidade do estado do Rio de Janeiro, e comecei a empreender desde muito cedo.

Autor: Leonardo Chucrute

Empreendedorismo com propósito

Reforma tributária: os desafios para impulsionar o crescimento econômico

“A simplificação do sistema tributário pode resultar em um catalisador para a criação de empregos, impulsionando a economia do país”, diz especialista.

Autor: Divulgação

Reforma tributária: os desafios para impulsionar o crescimento econômico