Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Retomada econômica com cautela é defendida pela FIEMG

Retomada econômica com cautela é defendida pela FIEMG

22/05/2020 Divulgação

Federação acredita que a retomada deve ser customizada para cada região do estado

Especialistas nas áreas de saúde e econômica em todo o país têm trabalhado intensamente para orientar a tomada de decisão do poder público na elaboração de medidas que permitam a retomada das atividades diante da pandemia da Covid-19, sempre com foco na preservação da vida.

A Federação das Indústrias de Minas Gerais (FIEMG) enxerga a possibilidade de priorizar a saúde das pessoas, adotando políticas que flexibilizem a retomada da atividade econômica em ondas e de forma customizada para cada região do estado.

"A flexibilização das medidas de isolamento social deve acontecer aos poucos, considerando as especificidades regionais e a capacidade de atendimento dos sistemas de saúde locais. Acredito no bom resultado de um trabalho multidisciplinar, ou seja, que envolve especialistas de diversas áreas, para calibrar em que medida deve-se flexibilizar ou tornar mais restritivo o contato social", explica a gerente de estudos econômicos da FIEMG, Daniela Britto.

Ao mesmo tempo em que evita um colapso dos sistemas de saúde, a estratégica de isolamento social tem um custo econômico muito elevado, justificando a busca permanente de protocolos seguros de retomada das atividades produtivas. "A preservação da vida, do emprego e da renda é o grande desafio imposto por essa crise sanitária", salienta a especialista da FIEMG.

Com base em dados da Universidade de Oxford, verificou-se que um aumento de 10% do isolamento social eleva a queda da atividade econômica em 4%, na média. Em países como a França e a Espanha, essa queda é de 6% e 8%, respectivamente.

Segundo dados do IBGE, em março, o Brasil perdeu 1,2 milhão de empregos, 220 mil em Minas Gerais. "Juntamente com as perdas de vidas, o aumento do desemprego é a outra face cruel dessa crise. A piora do mercado de trabalho, que já tem 12 milhões de desempregados, impõe mais dificuldades de recuperação pós pandemia, apesar de todos os esforços do poder público. Algumas empresas vão desaparecer, desestruturando cadeias produtivas e piorando as condições financeiras das famílias, das empresas e do próprio governo", contextualiza e economista da FIEMG.

Fonte: FIEMG



Tecnologia, home office e a transformação do mercado imobiliário

A tecnologia é uma grande aliada e uma ferramenta cada vez mais fundamental para o mercado imobiliário.

Tecnologia, home office e a transformação do mercado imobiliário

Impostômetro chega à marca de R$ 2 trilhões

Em 2020, a marca foi atingida em 22 de dezembro, informa associação de SP.

Impostômetro chega à marca de R$ 2 trilhões

Setor de food service deve movimentar R$ 167 bilhões em 2021

Enfraquecido pela pandemia, segmento de food service deve estar preparado para o boom das operações, que se dará em 2022.

Setor de food service deve movimentar R$ 167 bilhões em 2021

CNC estima faturamento recorde do varejo para o Dia das Crianças

A data é a terceira mais importante depois do Natal e do Dia das Mães.

CNC estima faturamento recorde do varejo para o Dia das Crianças

Serasa mostra que empresas pagam 51% das dívidas em até 60 dias

Dívidas recentes são recuperadas em maior número que antigas.

Serasa mostra que empresas pagam 51% das dívidas em até 60 dias

4 dicas de decoração e arquitetura para escritórios

Há tempos que o local de trabalho deixou de ser um ambiente sem graça.

4 dicas de decoração e arquitetura para escritórios

Maioria de postos de trabalho foi criada por micro e pequena empresas

No acumulado do ano, as micro e pequenas empresas foram responsáveis por aproximadamente 70% dos postos de trabalho gerados no país.

Maioria de postos de trabalho foi criada por micro e pequena empresas

Pequenos negócios ainda registram queda no faturamento e se recuperam gradativamente

Pesquisa do Sebrae e da FGV mostra que indicadores do segmento apresentaram uma leve melhora em setembro, mas os impactos da crise ainda são sentidos pela maioria.

Pequenos negócios ainda registram queda no faturamento e se recuperam gradativamente

Um terço dos pequenos negócios mineiros investiu em RH para enfrentar a pandemia

Estudo do Sebrae Minas mostra, ainda, que 40% destas empresas precisaram reduzir as capacitações das equipes nos últimos 18 meses.

Um terço dos pequenos negócios mineiros investiu em RH para enfrentar a pandemia

Como evitar a estagnação empresarial?

Já pensou no porquê de algumas pessoas continuarem a avançar pessoal e profissionalmente, enquanto outros permanecem estagnadas?

Como evitar a estagnação empresarial?

Híbrido e Inteligente: o que esperar do varejo no futuro

Nada do que foi será, de novo, do jeito que já foi um dia.

Híbrido e Inteligente: o que esperar do varejo no futuro

Produtos com Indicação Geográfica são conhecidos por 60% dos pequenos negócios

Pesquisa feita pelo Sebrae mostra que até mesmo os negócios que não sabem o que é uma IG gostariam de vender produtos típicos regionais.

Produtos com Indicação Geográfica são conhecidos por 60% dos pequenos negócios