Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Voluntariado também é um bom negócio

Voluntariado também é um bom negócio

20/11/2019 Giuliana Preziosi

Nos últimos anos a sustentabilidade vem ganhando papel de destaque nos negócios.

Somente o olhar econômico não garante a perenidade de uma empresa frente às transformações que estamos vivendo no mundo atual. Considerar aspectos sociais, culturais e ambientais é cada vez mais necessário e passa a ser valorizado.

E em meio às diversas demandas que surgem frente a um posicionamento como este, o voluntariado, por sua vez, se configura como uma ferramenta cada vez mais adequada para engajar diferentes públicos de interesse, nas mais diferentes causas.

Claro que quanto mais alinhado à identidade corporativa, mais contribuirá com outros projetos ou ações da organização, deixando de ser parte de algo para compor o todo.

Para tanto, estruturar um programa de voluntariado deve levar em conta os interesses de todos os envolvidos: empresa, funcionários e sociedade. E com isso proporcionar benefícios mútuos.

A empresa ganha com melhoria de clima interno, motivação de funcionários, aproximação com a comunidade e melhores índices de engajamento interno.

O funcionário, por sua vez, com o desenvolvimento de habilidades e competências profissionais e pessoais, além da satisfação que reflete em emoções positivas, contribuindo para sua felicidade.

E, a comunidade, com troca de experiências, capacidade de ampliar seu escopo de atuação e aumento de sua visibilidade por meio de parcerias.

Ao estimular programas de voluntariado estimula-se o desenvolvimento humano, algo fundamental para competitividade num mundo cada vez mais transformado pelas tecnologias.

Algumas lideranças corporativas já despertaram para isso e sabem que são as pessoas que farão a diferença num mercado onde a tecnologia será uma commodity.

Tanto é que, ano passado, o investimento em programas de voluntariado empresarial chegou perto de R$ 12 milhões.

Pesquisas como Perfil do Voluntariado Empresarial no Brasil III – CBVE e Além do Bem revelam que 85,5% das empresas concordam que a prática do programa de voluntariado empresarial melhora a imagem institucional; 90,3% acreditam que as ações voluntárias melhoram a relação da empresa com a comunidade; e 71% concordam que o voluntariado contribui para os objetivos estratégicos da empresa.

Também são relatados benefícios internos como o maior engajamento dos funcionários na empresa; percepção por 89% dos gestores de diferentes áreas de que o voluntariado empresarial forma um profissional melhor.

Os estudos mostram ainda que 62% consideram o programa de voluntariado um grande diferencial para escolha de um emprego.

Ciclo de prosperidade

Ações de voluntariado podem iniciar um poderoso ciclo que promove a saúde não apenas do destinatário e do funcionário voluntário, mas também da empresa e da comunidade em geral.

A Psicologia Positiva mostra que quanto mais emoções positivas no dia a dia, melhor o humor e menor o estresse, o que potencializa o sistema imunológico.

Assim, é importante que as empresas percebam o conjunto de benefícios do incentivo ao voluntariado para que os exemplos se multipliquem e ganhem novos adeptos, uma corrente que potencializa a relação de ganha-ganha.

Vide aquelas que inovaram, unindo robustez e criatividade. Caso das gincanas sociais como o Voluntários Mais no Bradesco ou o Rally Social da B3; além de programas de mentoria como na AMBEV, CNI e EY, para citar alguns exemplos. A lista vai longe.

É claro que muitas ainda esbarram no como fazer, mas é uma evolução natural do voluntariado. Por isso, a gestão dos programas empresariais deve ser adaptada aos novos tempos: ser bem estruturado com metas e objetivos definidos, ter diretrizes e até uma política estabelecida.

O importante, contudo, é desenvolver um projeto cujos benefícios sejam concretos e visíveis para todos os envolvidos.

* Giuliana Preziosi é MBA em Gestão da Sustentabilidade e mestranda pela Fundação Getúlio Vargas. 

Fonte: Compliance Comunicação



Percentuais de endividados e inadimplentes são os maiores em 12 anos

Índice de endividados chegou a 77,7% em abril. O cartão de crédito é o principal motivo das dívidas.

Percentuais de endividados e inadimplentes são os maiores em 12 anos

Financiar carro vale a pena?

Especialista em análise de crédito esclarece os principais mitos dessa alternativa.

Financiar carro vale a pena?

Você e seu time estão progredindo?

Em qualquer empreitada, pessoal, profissional ou de times, medir resultados é crucial.


A governança de riscos e gestão em fintechs

Em complemento às soluções e instituições financeiras já existentes, o mercado de crédito ficou muito mais democrático com a expansão das fintechs.


Kanban ainda é pouco explorado, mas pode revolucionar o cotidiano das empresas

Como trazer soluções efetivas em condições de fluxo de atividade em escala?

Kanban ainda é pouco explorado, mas pode revolucionar o cotidiano das empresas

Investimentos registram captação de R$ 46 bi no primeiro trimestre

O segmento de fundos de investimentos fechou o primeiro trimestre de 2022 com absorção líquida de R$ 46,1 bilhões, movimentação de 56,9% menor do que o observado no mesmo período de 2021.


Cadastro Positivo insere mais de 464 mil mineiros no mercado de crédito

Dados divulgados pela ANBC demonstram contingente da população mineira que se beneficiou da primeira consulta de crédito após a implantação do Cadastro Positivo com adesão automática.

Cadastro Positivo insere mais de 464 mil mineiros no mercado de crédito

Conheça cinco vantagens do Pix para empresas

MEIs e PMEs podem economizar cerca de R$ 2.000 em serviços e produtos bancários por ano.

Conheça cinco vantagens do Pix para empresas

Sete em cada 10 pequenos negócios mineiros pretendem investir em 2022

Mais de um terço dos empresários do segmento planeja expandir ou melhorar as atividades entre abril e junho.

Sete em cada 10 pequenos negócios mineiros pretendem investir em 2022

Entender os números será requisito do mercado de trabalho

Trabalhar numa empresa e conhecer os seus setores faz parte da rotina de qualquer colaborador.

Entender os números será requisito do mercado de trabalho

Confiança do comércio volta a crescer após dois meses

Índice que mais tem concentrado a queda da confiança, Condições Atuais do Empresário do Comércio, surpreende, apresentando maior crescimento mensal.

Confiança do comércio volta a crescer após dois meses

Gastos com alimentação fora de casa somaram R$ 164,4 bilhões em 2021

Pesquisa mostra que cada brasileiro gastou em média R$ 16,21 por refeição, significando uma alta de 12% em relação a 2020.

Gastos com alimentação fora de casa somaram R$ 164,4 bilhões em 2021