Portal O Debate
Grupo WhatsApp


Por que gostamos do Fantasma da Ópera?

Por que gostamos do Fantasma da Ópera?

14/11/2018 Oscar D'Ambrosio

Torcer pelo assassino e não pelo “mocinho” é curioso.

Por que gostamos do Fantasma da Ópera?

Composto e co-escrito por Andrew Lloyd Webber, baseado no romance homônimo de Gaston Leroux, publicado em 1910, o musical “O Fantasma da Ópera” (no original em inglês: “The Phantom of the Opera”), já foi visto por 130 milhões de pessoas em 145 cidades em 24 países.

A pergunta é qual é o motivo. Será apenas a história do amor obsessivo de um gênio musical, que ninguém viu nem sabe quem é, pela bela e talentosa soprano Christine Daaé? Em parte, talvez, sim, mas certamente o grande segredo está na personalidade do protagonista.

O fato de ele utilizar uma máscara e ser misterioso seguramente é essencial, pois mesmo sendo violento e matando pessoas, desperta a empatia do público. Embora não tenha ética, tem talento, sedução e um certo bom humor, como se observa nas cartas aos donos do teatro em que faz críticas à prima-dona.

Torcer pelo assassino e não pelo “mocinho” é curioso, mas explica muito desse personagem intenso, capaz de tudo pela sua amada e que se redime ao final quando deixa o casal apaixonado e desaparece misteriosamente. Afinal, a eternidade do amor parece sempre prevalecer em nossos corações e mentes, ainda mais quando embalado por belas canções.

* Oscar D´Ambrosio é jornalista pela USP, mestre em Artes Visuais pela Unesp, graduado em Letras (Português e Inglês) e doutor em Educação, Arte e História da Cultura pela Universidade Presbiteriana Mackenzie e Gerente de Comunicação e Marketing da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo.

Fonte: Oscar D´Ambrosio



Circuito vai integrar atrações culturais do centro histórico do Rio

Circuito Caminhos do Brasil-Memória reúne onze museus e centros culturais.

Circuito vai integrar atrações culturais do centro histórico do Rio

Museu mineiro está com nova exposição temporária em BH

Mostra “Não Há Estagnação - Apenas Movimentos Tempestuosos” reúne acervos dos sete museus de Minas.

Museu mineiro está com nova exposição temporária em BH

Belo Horizonte recebe mostra que discute temáticas socioambientais

8ª Mostra Ecofalante de Cinema Ambiental pode ser vista no MIS Cine Santa Tereza.

Belo Horizonte recebe mostra que discute temáticas socioambientais

Feminismo é tema da Festa Literária das Periferias no Rio

Flup tem como temática central neste ano o feminismo negro e a poesia falada.

Feminismo é tema da Festa Literária das Periferias no Rio

Biblioteca Pública recebe exposição sobre a autora Ruth Rocha

A mostra, com entrada franca, ficará em cartaz entre os dias 14 de outubro e 30 de novembro.


Belo Horizonte ganha Núcleo de Produção Digital

As inscrições para diversos cursos ofertados podem ser feitas até o dia 22 de outubro.

Belo Horizonte ganha Núcleo de Produção Digital

Olga Tokarczuk e Peter Handke premiados com Nobel da Literatura

Este foi o quarto dos seis prêmios mais cobiçados do mundo.

Olga Tokarczuk e Peter Handke premiados com Nobel da Literatura

Exposição em BH reúne obras de 40 artistas plásticos mineiros da contemporaneidade

Mostra 40x40 pode ser vista no espaço cultural Mama / Cadela no bairro Santa Tereza.

Exposição em BH reúne obras de 40 artistas plásticos mineiros da contemporaneidade

Prefeitura de BH realiza programação especial no Mês das Crianças

Semana das Crianças será realizada de 9 a 13 de outubro em teatros e em 17 Centros Culturais da cidade.

Prefeitura de BH realiza programação especial no Mês das Crianças

São Paulo terá evento dedicado à literatura

A cidade recebe neste mês de outubro o Festival Mário de Andrade - A Virada do Livro.

São Paulo terá evento dedicado à literatura

Programa Funarte Cidadã leva arte aos municípios

Fundação lança conjunto de ações dirigidas ao desenvolvimento municipal, a resultados práticos para a população e à cidadania.


Leilão de obra desaparecida por muito tempo pode chegar a U$6 milhões

Pintura italiana “Cristo Zombado” de Cimabue, foi produzida no início da Renascença.

Leilão de obra desaparecida por muito tempo pode chegar a U$6 milhões