Portal O Debate
Grupo WhatsApp


A insônia do brasileiro, o stress e a meta de dormir melhor

A insônia do brasileiro, o stress e a meta de dormir melhor

03/02/2020 Dra. Verena Senn

Todo início do ano vem acompanhado por um checklist de metas pessoais a serem cumpridas no decorrer dos meses.

A insônia do brasileiro, o stress e a meta de dormir melhor

Entre elas, dormir melhor é um desejo frequente, ainda mais quando 20% da população mundial sofre de insônia.

Segundo a Associação Brasileira do Sono, no Brasil, um terço da população tem problemas para dormir, ou seja, somos 73 milhões de pessoas passando noites em claro e perdendo o rendimento das atividades diárias. Somado a esse número alarmante, de acordo com a International Stress Management Association (ISMA-BR), nosso país está em segundo lugar no ranking mundial de pessoas afetadas pela Síndrome de Burnout, que é o excesso de stress relacionado ao trabalho.

Olhando esses números podemos afirmar que dormir melhor se tornou uma necessidade, uma vez que interfere, principalmente, nas funções cognitivas, além das imunológicas e emocionais.

No que tange à cognição, isso significa que uma performance ruim no sono implica em problemas que envolvem raciocínio, tais como maior dificuldade na tomada de decisões e resolução de problemas e menor uso da linguagem e da criatividade.

O fato é que essas consequências acarretam em um dia a dia sem energia, corroborando para que o alcance de metas em todas as esferas da vida, profissional ou pessoal, se torne cada vez mais longínquo.

Agora que entendemos a importância do sono para as funções cognitivas, como podemos estabelecer uma solução para dormir melhor? O primeiro pilar para uma boa experiência de sono é um colchão com uma ergonomia eficaz, cuja firmeza proporcione ao usuário uma quantidade saudável tanto de alívio de pressão como de apoio. É o que fornecerá conforto, mas também o alinhamento da coluna vertebral para não acordar com dores.

Mas podemos ir além. Também é importante considerar a distribuição de calor do corpo. Isso porque, durante a noite, experimentamos diferentes fases do sono: leve, profundo, sonho e REM (do inglês, Rapid Eye Movement), que se refere ao sono com atividade cerebral similar àquela que se passa nas horas em que se está acordado.

Durante o sono profundo, o corpo relaxa e a nossa pressão sanguínea diminui. Esta é a fase de regeneração, que é muito importante para a qualidade do sono. A temperatura diminui, e não é devido ao sono profundo que temos o declínio. É justamente o contrário. Ou seja, é necessário que haja a diminuição da temperatura do corpo para entrar em sono profundo. Por isso, o colchão deve aliviar o calor do corpo.

Todos sabem como uma noite de sono ruim pode fazer você se sentir. Agora, multiplique essa noite em uma semana, ou mesmo meses, e é fácil entender como uma má experiência do sono afeta a vida diária das pessoas e sua saúde mental e física. Em 2020, vamos adotar a meta número 1 - dormir melhor - para ter sucesso nas demais?

* Dra. Verena Senn é PHD em neurociência, especialista em sono e Senior Expert Research na Emma Colchões Brasil, startup global voltada à tecnologia do sono.

Fonte: IMAGE Comunicação



Manter hábitos saudáveis pode melhorar a qualidade de vida

Como disse Jim Rohn, palestrante americano de sucesso, “Para ter o que nunca teve, faça o que nunca fez”.

Manter hábitos saudáveis pode melhorar a qualidade de vida

Startup oferece guia de exercícios para fazer em casa

Em meio ao momento de cuidados redobrados com a saúde, empresa amplia serviços para que usuários se mantenham saudáveis e ativo.

Startup oferece guia de exercícios para fazer em casa

Natação para bebês estreita relações afetivas

Eles podem desenvolver noções de relacionamento em grupo e respeito por meio do esporte.

Natação para bebês estreita relações afetivas

Idosos em quarentena: a rotina de autocuidados

Inchaço, rachaduras e micoses nos pés são muito comuns na terceira idade, veja como minimizar estes problemas sem precisar sair de casa.

Idosos em quarentena: a rotina de autocuidados

Quarentena – como controlar a vontade de comer?

Ficar em casa, sem saber ao certo quando retomaremos a rotina... o trabalho, a escola, a academia, o encontro com os amigos.

Quarentena – como controlar a vontade de comer?

Sabão, sabonete ou detergente: com qual devo lavar as mãos?

Para esclarecer essa dúvida, a doutora na área de biologia de microrganismos e parasitas explica o uso correto de cada um desses produtos.

Sabão, sabonete ou detergente: com qual devo lavar as mãos?

Escola do Barreiro produz máscaras para moradores de rua

Iniciativa conta com apoio da Arquidiocese de Belo Horizonte, em parceria com a Pastoral de Rua.

Escola do Barreiro produz máscaras para moradores de rua

Exclusivo: método revela como ter uma barba cheia e forte

Novidade no Brasil tem preocupado os donos de clínicas de estética que estão perdendo clientes masculinos, pois muitos estão descobrindo esse novo tratamento inédito no Brasil.

Exclusivo: método revela como ter uma barba cheia e forte

Tratamentos estéticos que contribuem para a autoestima durante a velhice

Radiofrequência e luz pulsada são alguns dos procedimentos indicados para cuidar da aparência a partir dos 50 anos.

Tratamentos estéticos que contribuem para a autoestima durante a velhice

Como aumentar a imunidade com uma alimentação balanceada

Uma dica é substituir os biscoitos industrializados por frutas, iogurtes, oleaginosas e chás.

Como aumentar a imunidade com uma alimentação balanceada

As artimanhas dos assaltos a condomínios

Todos os dias, somos surpreendidos por casos inusitados de invasão a condomínios.


Quando substituir o botox pela cirurgia plástica?

A toxina botulínica não ameniza muito o envelhecimento avançado e, em excesso, deixa a face enrijecida, perdendo a graça da naturalidade.

Quando substituir o botox pela cirurgia plástica?