Portal O Debate
Grupo WhatsApp


As artimanhas dos assaltos a condomínios

As artimanhas dos assaltos a condomínios

23/03/2020 Amilton Saraiva

Todos os dias, somos surpreendidos por casos inusitados de invasão a condomínios.

Infelizmente, as notícias sobre assaltos a condomínios são frequentes. Recentemente, uma senhora com o filho — seguida por outro carro, que ultrapassou o portão — foi abordada dentro da garagem do condomínio. Noutro caso, os bandidos se infiltraram no residencial vestindo uniformes dos Correios.

Alguns desses acontecimentos são curiosos, como o que ocorreu há algum tempo em Higienópolis — região onde moram muitos judeus —, quando o bandido se disfarçou com barba e chapéu preto.

Para facilitar a entrada, pode acontecer até de comparsas ligarem se passando pelo morador para a liberação da entrada. Na maioria das vezes, os assaltantes são jovens, ousados e usam de muita criatividade.

Já houve casos em que eles usaram nomes e documentos falsos para alugar imóveis. Portanto fica difícil prever quais serão as próximas ações destes ladrões.

Os moradores devem estar muito atentos, pois essas pessoas agem como detetives para identificar suas próximas vítimas — que possam ter em casa objetos de valor, joias, dinheiro ou produtos eletrônicos —, conhecendo a fundo sua rotina, e atacam sem ninguém perceber.

Segundo o Sistema de Informações Criminais (Infocrim), entre os anos de 2014 e 2018, foram registrados, em média, 12 mil casos de furtos e roubos a condomínios e casas em todo o estado de São Paulo. O mais assustador é que a cada hora, no mínimo uma residência do estado é invadida por ladrões.

Como a segurança pública nem sempre consegue cumprir o seu papel, cabe aos condomínios se resguardarem com atitudes de segurança preventiva tanto no serviço de portaria como nas atitudes dos próprios moradores.

Vale lembrar que de nada adianta equipamentos de alta tecnologia, câmeras, sensores, entre outros sistemas, se a portaria — que é o coração do condomínio — for desatenta e ineficiente.

Na maioria dos assaltos a esses locais, a falha está justamente no momento da averiguação ou liberação de visitantes e prestadores de serviços.

O profissional de portaria realiza uma função importantíssima de prevenção, por isso não dá para economizar nessa contratação — pois pessoas despreparadas para a função, que são desatentas ao entra e sai de moradores e deixam qualquer um entrar, sem confirmar se foram autorizaram ou sem checar as placas dos carros, indo apenas pela marca e cor do veículo (muitas vezes semelhantes a de algum condômino), podem causar enormes prejuízos.

Outra falha comum é a entrada de portadores de serviços, como diaristas, pedreiros, encanadores e até entregadores de pizza e fast-foods, sem uma regra bem definida de controle de acesso, deixando a decisão para o porteiro.

Todo condomínio possui regras e normas que precisam ser obedecidas por todos, pois um único deslize ou falta de comprometimento põe em risco a segurança de todo o condomínio.

Um erro muito comum é o controle de acesso à garagem, onde muitos prédios não possuem em sua estrutura condições adequadas para visualização dos veículos, devendo ser corrigido com equipamentos de identificação e CFTV.

Por isso alertar condôminos quanto às atitudes irresponsáveis e investir em treinamento e tecnologia vale a pena. Há empresas de serviços terceirizados com experiência na gestão e na preparação de profissionais capacitados para agir e evitar situações desagradáveis.

Assim, o condomínio não precisa se preocupar com a ausência de funcionários. Com a terceirizada, outra pessoa deverá cobrir o plantão com a mesma qualidade de serviço.

O prédio não precisa fazer o processo de seleção e treinamento dos funcionários, e deixa esses encargos ao cuidado e supervisão da empresa que vai aplicar rotinas próprias para tanto, gerando mais segurança e trabalho de melhor qualidade.

* Amilton Saraiva é especialista em condomínios da GS Terceirização.

Fonte: Estilo Press



Escola da vida em tempos de isolamento social

Estamos vivendo todos no mesmo barco.

Escola da vida em tempos de isolamento social

Isolamento social leva famílias a repensar despesas em casa

Especialista dá dicas de economia doméstica em tempos de crise.

Isolamento social leva famílias a repensar despesas em casa

Você sabia que a decoração do quarto influencia no seu sono?

Veja dicas de como solucionar um dos problemas mais comuns entre os brasileiros, principalmente nesse período de quarentena.

Você sabia que a decoração do quarto influencia no seu sono?

Jornal britânico dá cinco dicas para ser mais otimista com a vida

Mudança de perspectiva na vida pode, por exemplo, diminuir risco de doenças no coração.


A paixão não sobrevive à proximidade e ao cotidiano de tantas semanas iguais.

Agora você tem todo o tempo do mundo e não há mais a desculpa de que você está estressado pelo trabalho.


Em tempos de autoconhecimento: de onde vem o seu sobrenome e sua origem?

Blog indica como descobrir um pouco mais de suas origens. Silva, Garcia e Machado são alguns dos sobrenomes que já estão disponíveis no site.

Em tempos de autoconhecimento: de onde vem o seu sobrenome e sua origem?

A busca de si mesmo

Nesse momento de turbulência planetária as pessoas estão acessando situações internas que elas próprias não tinham o entendimento que estivesse mal resolvido dentro delas.


Quarentena pode ajudar na aquisição de hábitos positivos

O isolamento social pode ser uma oportunidade para identificar ações improdutivas e substituí-las por atitudes que ajudem na realização de metas pessoais e profissionais.

Quarentena pode ajudar na aquisição de hábitos positivos

Startup doará pelo menos uma tonelada de orgânicos por semana para ONGs

Conectando o campo à cidade, a Liv Up que já atua em parceria com 25 famílias de agricultores familiares vai ajudar a levar alimentação saudável a milhares de pessoas.

Startup doará pelo menos uma tonelada de orgânicos por semana para ONGs

A solidariedade não pode parar

Saiba como ajudar as famílias afetadas pelo novo coronavírus junto com a LBV.


Como fica a rotina dos consultórios médicos pós-pandemia?

Coronavírus muda hábitos e cria novas medidas que começam antes mesmo da consulta.

Como fica a rotina dos consultórios médicos pós-pandemia?

Seis dicas para não engordar durante o isolamento social

É preciso saber lidar com a ansiedade.

Seis dicas para não engordar durante o isolamento social