Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Como falar em público: 7 dicas de ouro para encantar

Como falar em público: 7 dicas de ouro para encantar

06/02/2020 Divulgação

Saiba que 7% do impacto da mensagem decorre do conteúdo, 38% da comunicação verbal e 55% da linguagem não verbal.

Como falar em público: 7 dicas de ouro para encantar

Falar em público não é tarefa fácil para inúmeras pessoas, até porque, para que a comunicação seja efetiva, não basta apenas falar, mas, sim, fazer com que a mensagem seja entendida.

Medo, calafrio, dor de cabeça e desespero...Tudo isso acontece com muitos que precisam fazer uma apresentação na faculdade ou reunião da empresa.

Seguindo as 7 dicas abaixo, é possível conseguir a atenção do público e surpreender positivamente os espectadores:

1) Dominar o assunto: conhecer profundamente o tema que será apresentado é fundamental para o sucesso. Isso trará a confiança necessária para quem discursa. O ideal é iniciar a fala pelo que é mais fácil. Isso serve como um aquecimento e será vital para o comunicador se acalmar, ganhar confiança e, em seguida, deslanchar, sem lembrar do calafrio inicial.

2) Variar o tom de voz: ora mais baixo, ora mais alto, de forma mais rápida ou pausada. Assim, as pessoas não se cansarão e permanecerão prestando atenção no palestrante e conteúdo. E, sobretudo, é essencial falar com emoção e paixão. Desta forma, os expectadores serão contagiados com a vibração do momento.

3) Movimento: não é recomendado ficar parado atrás do púlpito ou num mesmo local o tempo todo. É preciso movimentar-se pelo local e permanecer próximo das pessoas mais interessadas, para que elas se sintam enaltecidas, e também das desinteressadas ou sonolentas. Assim, elas se manterão atentas.

4) Fazer perguntas durante a apresentação: mesmo que o próprio comunicador responda as próprias perguntas, questionamentos geram maior atenção e interação dos participantes.

5) Usar recursos audiovisuais: a tecnologia pode propiciar uma didática moderna, mas não é recomendável abusar, pois as pessoas estão ali para assistir ao palestrante e não para ver vídeos longos e cansativos. Outro ponto que pode ser uma armadilha é escrever todo o conteúdo em slides. A apresentação tende a virar uma leitura cansativa e passar a impressão de que o comunicador não conhece o assunto.

6) Atenção à linguagem não-verbal: durante a apresentação, permanecer com a mão no bolso ou encostado em alguma coisa, pode transmitir insegurança ou indiferença. Também é preciso evitar segurar algum papel ou objeto, pois, se o palestrante estiver nervoso, a mão pode ficar trêmula e o objeto irá balançar, expondo, assim, ansiedade.

O sucesso da comunicação interpessoal não está somente naquilo que é dito, mas em como diz. Segundo a teoria 7-38-55, de Albert Mehrabian, professor emérito de psicologia da Universidade da Califórnia (UCLA), somente 7% do impacto da mensagem decorre do conteúdo, 38% da comunicação verbal (intensidade e velocidade da voz) e 55% da linguagem não verbal (gestos, postura, contato visual).

7) Encerrando com chave de ouro: toda apresentação deve ter um início, meio e fim. O encerramento precisa ser a parte mais impactante, conquistando, assim, a aprovação desejada e deixando um gostinho de quero mais. A melhor mágica do show fica para o final. 

E outro grande segredo é praticar, persistir e treinar continuamente. O ser humano aprende por repetição e a excelência é conquistada com muito treinamento.

Texto: Erik Penna - especialista em vendas, palestrante de vendas e motivação, autor de 6 livros e mais de 1.000 palestras apresentadas no Brasil e no exterior.

Fonte: RZT Comunicação



Quer casar comigo?

Todo dia era a mesma coisa. Marieta sempre esperava o engenheiro chegar.

Autor: Beto Ribeiro

Quer casar comigo?

Prazer sexual e moralidade cristã

O prazer no casamento foi concedido por Deus ao ser humano e o pecado está no coração de quem não quer fazer a vontade do Senhor.

Autor: Osiel Gomes

Prazer sexual e moralidade cristã

Festa da Misericórdia tem sua 22ª edição neste fim de semana

Para o domingo (07/04), a Comunidade Católica, em Cachoeira Paulista (SP), espera cerca de 30 mil pessoas.

Autor: Divulgação

Festa da Misericórdia tem sua 22ª edição neste fim de semana

366 dias para estreitar o relacionamento com Deus

Pastor Michel Simplício lança devocional interativo para exercitar a fé e aliviar o estresse diário.

Autor: Divulgação


Semana Santa: caminho que nos conduz a glória da Ressurreição

O Tríduo Pascal e suas funções litúrgicas devem ser observadas por todos os fiéis com devoção e ação de graças a Deus.

Autor: Padre Ricardo Rodolfo Silva


Aceitação

Ouvi essa história na prédica de um monge budista brasileiro, Gustavo Pinto, na década de noventa. A vida parecia mais fácil nos anos noventa.

Autor: Marco Antonio Spinelli

Aceitação

O que é a beleza?

Há quem diga que somos geneticamente programados para uma determinada percepção de harmonia, certos códigos áureos que transcendem ditames sociais.

Autor: Leonardo de Moraes

O que é a beleza?

São José, o justo

O trecho do Evangelho que se refere a José como homem justo é precisamente o que, na sequência, relata sua magnanimidade.

Autor: Sandro Arquejada

São José, o justo

Sete motivos para rir mais todos os dias

O riso é uma habilidade humana inata que antecede até mesmo nossas primeiras palavras.

Autor: Ros Ben-Moshe

Sete motivos para rir mais todos os dias

Características da ansiedade infantil: o que fazer ao identificá-las?

Muitas famílias se deparam com a necessidade de compreender e tratar transtornos ansiosos ou um comportamento ansioso de seus filhos.

Autor: Elaine Ribeiro

Características da ansiedade infantil: o que fazer ao identificá-las?

Segurança infantil: evite brinquedos perigosos

Quando vamos presentear uma criança devemos avaliar sobre qual brinquedo comprar para garantir a segurança delas.

Autor: Divulgação

Segurança infantil: evite brinquedos perigosos

Importância de sair da “zona de conforto” e arriscar na vida

Viver uma vida tranquila, sem agitações de mudanças ou o enfrentamento de desafios, é o que muitas pessoas buscam para conseguir se desenvolver de maneira segura.

Autor: Andréa Ladislau

Importância de sair da “zona de conforto” e arriscar na vida