Portal O Debate
Grupo WhatsApp


Como falar em público: 7 dicas de ouro para encantar

Como falar em público: 7 dicas de ouro para encantar

06/02/2020 Divulgação

Saiba que 7% do impacto da mensagem decorre do conteúdo, 38% da comunicação verbal e 55% da linguagem não verbal.

Como falar em público: 7 dicas de ouro para encantar

Falar em público não é tarefa fácil para inúmeras pessoas, até porque, para que a comunicação seja efetiva, não basta apenas falar, mas, sim, fazer com que a mensagem seja entendida.

Medo, calafrio, dor de cabeça e desespero...Tudo isso acontece com muitos que precisam fazer uma apresentação na faculdade ou reunião da empresa.

Seguindo as 7 dicas abaixo, é possível conseguir a atenção do público e surpreender positivamente os espectadores:

1) Dominar o assunto: conhecer profundamente o tema que será apresentado é fundamental para o sucesso. Isso trará a confiança necessária para quem discursa. O ideal é iniciar a fala pelo que é mais fácil. Isso serve como um aquecimento e será vital para o comunicador se acalmar, ganhar confiança e, em seguida, deslanchar, sem lembrar do calafrio inicial.

2) Variar o tom de voz: ora mais baixo, ora mais alto, de forma mais rápida ou pausada. Assim, as pessoas não se cansarão e permanecerão prestando atenção no palestrante e conteúdo. E, sobretudo, é essencial falar com emoção e paixão. Desta forma, os expectadores serão contagiados com a vibração do momento.

3) Movimento: não é recomendado ficar parado atrás do púlpito ou num mesmo local o tempo todo. É preciso movimentar-se pelo local e permanecer próximo das pessoas mais interessadas, para que elas se sintam enaltecidas, e também das desinteressadas ou sonolentas. Assim, elas se manterão atentas.

4) Fazer perguntas durante a apresentação: mesmo que o próprio comunicador responda as próprias perguntas, questionamentos geram maior atenção e interação dos participantes.

5) Usar recursos audiovisuais: a tecnologia pode propiciar uma didática moderna, mas não é recomendável abusar, pois as pessoas estão ali para assistir ao palestrante e não para ver vídeos longos e cansativos. Outro ponto que pode ser uma armadilha é escrever todo o conteúdo em slides. A apresentação tende a virar uma leitura cansativa e passar a impressão de que o comunicador não conhece o assunto.

6) Atenção à linguagem não-verbal: durante a apresentação, permanecer com a mão no bolso ou encostado em alguma coisa, pode transmitir insegurança ou indiferença. Também é preciso evitar segurar algum papel ou objeto, pois, se o palestrante estiver nervoso, a mão pode ficar trêmula e o objeto irá balançar, expondo, assim, ansiedade.

O sucesso da comunicação interpessoal não está somente naquilo que é dito, mas em como diz. Segundo a teoria 7-38-55, de Albert Mehrabian, professor emérito de psicologia da Universidade da Califórnia (UCLA), somente 7% do impacto da mensagem decorre do conteúdo, 38% da comunicação verbal (intensidade e velocidade da voz) e 55% da linguagem não verbal (gestos, postura, contato visual).

7) Encerrando com chave de ouro: toda apresentação deve ter um início, meio e fim. O encerramento precisa ser a parte mais impactante, conquistando, assim, a aprovação desejada e deixando um gostinho de quero mais. A melhor mágica do show fica para o final. 

E outro grande segredo é praticar, persistir e treinar continuamente. O ser humano aprende por repetição e a excelência é conquistada com muito treinamento.

Texto: Erik Penna - especialista em vendas, palestrante de vendas e motivação, autor de 6 livros e mais de 1.000 palestras apresentadas no Brasil e no exterior.

Fonte: RZT Comunicação



Manter hábitos saudáveis pode melhorar a qualidade de vida

Como disse Jim Rohn, palestrante americano de sucesso, “Para ter o que nunca teve, faça o que nunca fez”.

Manter hábitos saudáveis pode melhorar a qualidade de vida

Startup oferece guia de exercícios para fazer em casa

Em meio ao momento de cuidados redobrados com a saúde, empresa amplia serviços para que usuários se mantenham saudáveis e ativo.

Startup oferece guia de exercícios para fazer em casa

Natação para bebês estreita relações afetivas

Eles podem desenvolver noções de relacionamento em grupo e respeito por meio do esporte.

Natação para bebês estreita relações afetivas

Idosos em quarentena: a rotina de autocuidados

Inchaço, rachaduras e micoses nos pés são muito comuns na terceira idade, veja como minimizar estes problemas sem precisar sair de casa.

Idosos em quarentena: a rotina de autocuidados

Quarentena – como controlar a vontade de comer?

Ficar em casa, sem saber ao certo quando retomaremos a rotina... o trabalho, a escola, a academia, o encontro com os amigos.

Quarentena – como controlar a vontade de comer?

Sabão, sabonete ou detergente: com qual devo lavar as mãos?

Para esclarecer essa dúvida, a doutora na área de biologia de microrganismos e parasitas explica o uso correto de cada um desses produtos.

Sabão, sabonete ou detergente: com qual devo lavar as mãos?

Escola do Barreiro produz máscaras para moradores de rua

Iniciativa conta com apoio da Arquidiocese de Belo Horizonte, em parceria com a Pastoral de Rua.

Escola do Barreiro produz máscaras para moradores de rua

Exclusivo: método revela como ter uma barba cheia e forte

Novidade no Brasil tem preocupado os donos de clínicas de estética que estão perdendo clientes masculinos, pois muitos estão descobrindo esse novo tratamento inédito no Brasil.

Exclusivo: método revela como ter uma barba cheia e forte

Tratamentos estéticos que contribuem para a autoestima durante a velhice

Radiofrequência e luz pulsada são alguns dos procedimentos indicados para cuidar da aparência a partir dos 50 anos.

Tratamentos estéticos que contribuem para a autoestima durante a velhice

Como aumentar a imunidade com uma alimentação balanceada

Uma dica é substituir os biscoitos industrializados por frutas, iogurtes, oleaginosas e chás.

Como aumentar a imunidade com uma alimentação balanceada

As artimanhas dos assaltos a condomínios

Todos os dias, somos surpreendidos por casos inusitados de invasão a condomínios.


Quando substituir o botox pela cirurgia plástica?

A toxina botulínica não ameniza muito o envelhecimento avançado e, em excesso, deixa a face enrijecida, perdendo a graça da naturalidade.

Quando substituir o botox pela cirurgia plástica?