Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Dormitório é o lugar com maior índice de quedas dos 60+

Dormitório é o lugar com maior índice de quedas dos 60+

09/02/2020 Divulgação

Levantamento derruba o mito de que o banheiro é o lugar mais perigoso da casa para esse público.

Dormitório é o lugar com maior índice de quedas dos 60+

De acordo com dados da equipe de geriatria do Hospital Sírio-Libanês, cerca de 30% das pessoas acima de 65 anos caem ao menos uma vez durante o ano. O número pode chegar a 50% quando se trata de pessoas com mais de 80 anos.

A pesquisa foi feita com base em mais de 600 ocorrências de quedas atendidas pela TeleHelp de janeiro a setembro de 2019. Ela aponta o dormitório como o cômodo de maior incidência, com 34% dos casos, seguido pela sala, com 16% e só então o banheiro, que aparece com 12% dos episódios.

Ambientes como a cozinha (9%), corredor (3%) e áreas externas (3%) também estão presentes no levantamento. O levantamento mostra ainda que os horários de maior incidência das quedas são às 11h e às 19h.

Desta maneira, é importante voltar a atenção para alguns cuidados que podem ser tomados a fim de evitar a ocorrência de quedas relacionadas aos fatores do ambiente, como por exemplo, uma boa iluminação, a eliminação de tapetes e objetos escorregadios, como fios. Outra dica é prestar atenção ao posicionamento de móveis, além da instalação de pontos de apoio, como corrimãos e barras.

Trabalhar com a prevenção dos acidentes é a melhor maneira de evitar os possíveis danos decorrentes de uma queda, como a perda de autonomia. Levando isso em conta, a TeleHelp desenvolveu também o Guia Morar Sozinho, com dicas e sugestões de como manter-se independente e seguro no ambiente domiciliar. O Guia é gratuito e está disponível para download no site.

Fonte: TeleHelp



O valor de um abraço

Livro de poesias nasce em homenagem aos milhões de abraços perdidos durante a pandemia de Covid-19.


4 situações para usar a imaginação como ferramenta de transformação

O cérebro não reconhece a diferença entre o pensamento e a realidade.

4 situações para usar a imaginação como ferramenta de transformação

Epidemia do coronavírus acelera epidemia de obesidade infantojuvenil

O ganho de peso entre crianças e adolescentes dá sinais de alerta global há algumas décadas.

Epidemia do coronavírus acelera epidemia de obesidade infantojuvenil

Troco Solidário Havan beneficia mais de 140 instituições

Somente no primeiro semestre de 2022, foram arrecadados mais de R$ 6 milhões nas lojas da rede.


O ego e outras drogas

Acho muito pouco elegante usar a si mesmo como referência ou um autor citar uma frase de sua própria autoria para exemplificar algo.

O ego e outras drogas

Pé chato em crianças a partir dos 7 anos deve ser avaliado por especialistas

Cerca de 4% das crianças não desenvolvem o arco plantar e podem ter problemas nos membros inferiores na vida adulta.

Pé chato em crianças a partir dos 7 anos deve ser avaliado por especialistas

O perigo de quedas e a prevenção de acidentes domésticos com idosos

O aumento da expectativa de vida nos últimos anos aumentou, e como consequência, tivemos um crescimento significativo de idosos.

O perigo de quedas e a prevenção de acidentes domésticos com idosos

Havan contempla mais 16 projetos sociais e culturais por meio de leis de incentivos

No segundo trimestre de 2022, varejista destinou mais de R$ 1,6 milhão aos projetos de lei federal.

Havan contempla mais 16 projetos sociais e culturais por meio de leis de incentivos

Atividades para acalmar crianças autistas

Lidar com as emoções nem sempre é fácil.

Atividades para acalmar crianças autistas

Por que se desconectar da internet?

É comum querermos proteger e privar crianças e adolescentes do uso constante do celular.

Por que se desconectar da internet?

Dia mundial dos avós

Neste domingo, 24 de julho de 2022, comemoramos o II Dia Mundial dos Avós.

Dia mundial dos avós

Joanete pode afetar até 30% das mulheres na fase adulta da vida

O hálux valgo, mais conhecido como “joanete” é uma das deformidades mais comuns dos pés.

Joanete pode afetar até 30% das mulheres na fase adulta da vida