Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Importância de sair da “zona de conforto” e arriscar na vida

Importância de sair da “zona de conforto” e arriscar na vida

09/03/2024 Andréa Ladislau

Viver uma vida tranquila, sem agitações de mudanças ou o enfrentamento de desafios, é o que muitas pessoas buscam para conseguir se desenvolver de maneira segura.

Importância de sair da “zona de conforto” e arriscar na vida

A grande questão é que, nem sempre estar na “zona de conforto” significa estar tranquilo.

 Na verdade, na maior parte das vezes, não é mesmo. Quando estamos dispostos a enfrentar os desconfortos da mudança, somos compelidos a remexer em nossas “bagunças”, em nossos apegos e em nossas fraquezas.

Mas, como trabalhar nossos vínculos e nossas relações com o outro e com a vida em si, saindo da “zona de conforto” e arriscando novos sentidos para nossa caminhada?

A primeira coisa é refletir: você é feliz? está satisfeito em seu relacionamento, em seu trabalho ou em outros aspectos de sua vida?

Analisar se você fica onde está hoje, porque é bom ou porque não está disposto a pagar o preço de olhar e revisitar antigos padrões que, provavelmente, o limitam no crescimento e no autoconhecimento.

Quando entendemos que vivemos em uma “zona de conforto”, fica fácil perceber que ela é, nada mais, nada menos que uma verdadeira máscara para nossos medos.

A “zona de conforto” é a verdadeira “zona de desconforto” quando podemos perceber as limitações comportamentais e emocionais que ela nos impõe.

Os benefícios de descobrir essa dinâmica e colocar em prática a busca por novos caminhos, novos modelos que poderão levar a resultados diferentes, seja na vida pessoal, relações interpessoais, vida acadêmica, corporativa, ou em qualquer outro campo da vida, são inúmeros, por exemplo:

· Estimula o autoconhecimento;

· Auxilia no enfrentamento de indecisões, inseguranças e/ou infelicidades;

· Ajuda a sair de situações incômodas;

· Promove o combate aos apegos;

·Cria e fortalece relações saudáveis; provoca o entendimento do equilíbrio mente, corpo e espírito

·Ajuda na construção da maturidade e inteligência emocional.

Portanto, descartar apegos do passado que, muitas vezes são desenvolvidos na infância e podem afetar, consideravelmente, nossos relacionamentos e interações comportamentais na vida adulta, é a principal mola de partida para fugir da “zona de conforto”.

Esse novo jeito de pensar e de se enxergar, pode promover a ruptura e, aos poucos, colocar luz no que o indivíduo pensar ser, para renascer quem ele tem potencial para ser.

Fugir disso é se entregar às máscaras que impedem o crescimento pessoal e o fortalecimento da inteligência emocional que auxilia no gerenciamento de emoções e no bem estar físico e mental de cada um.

Psicologicamente falando, podemos afirmar que: a vida adulta é bem menos adulta do que parece.

Ela é pilotada por restos e rastros da infância, cheia de apegos e crenças limitantes que ficam enraizadas. Tornar maduro, portanto, é encarar os desafios para aprender a pilotar a vida a partir do presente, longe de uma “zona de conforto” que engana e revive apegos e recompensas que nos moldaram na infância.

Enfim, precisamos sair de nossa visão limitada de nós mesmos e da vida, para conseguir enxergar a dimensão de nosso próprio tamanho e de nossa capacidade.

Arriscar e se permitir mudar é a grande oportunidade que temos de descobrir nosso tamanho real, para retornar com outro vigor e mais renovado para enfrentar as curvas da estrada da vida.

Ou seja, existem muitas outras perspectivas fora da “zona de conforto”, basta estarmos dispostos a ver e provocar mudanças internas.   

* Andréa Ladislau é pós-graduada em Administração Hospitalar e Psicanálise e doutora em Psicanálise Contemporânea. 

Para mais informações sobre autoconhecimento clique aqui...

Publique seu texto em nosso site que o Google vai te achar!

Entre para o nosso grupo de notícias no WhatsApp



Segredo para casamentos duradouros

Com os anos de relacionamento, não é incomum que todo aquele encanto, a alegria, o prazer de estar com a pessoa amada enfraqueça, diminua, encolha e desbote.

Autor: Déa Jório e Jal Reis

Segredo para casamentos duradouros

Especialista explica as consequências da timidez

Atividades que desenvolvem habilidades sociais podem ser a solução.

Autor: Divulgação

Especialista explica as consequências da timidez

Depressão e ansiedade gestacional, como identificar?

O período gestacional é um momento da vida da mulher, principalmente para as mães de primeira viagem, que mais exige equilíbrio emocional.

Autor: Dra. Andréa Ladislau

Depressão e ansiedade gestacional, como identificar?

Quer casar comigo?

Todo dia era a mesma coisa. Marieta sempre esperava o engenheiro chegar.

Autor: Beto Ribeiro

Quer casar comigo?

Prazer sexual e moralidade cristã

O prazer no casamento foi concedido por Deus ao ser humano e o pecado está no coração de quem não quer fazer a vontade do Senhor.

Autor: Osiel Gomes

Prazer sexual e moralidade cristã

Festa da Misericórdia tem sua 22ª edição neste fim de semana

Para o domingo (07/04), a Comunidade Católica, em Cachoeira Paulista (SP), espera cerca de 30 mil pessoas.

Autor: Divulgação

Festa da Misericórdia tem sua 22ª edição neste fim de semana

366 dias para estreitar o relacionamento com Deus

Pastor Michel Simplício lança devocional interativo para exercitar a fé e aliviar o estresse diário.

Autor: Divulgação


Semana Santa: caminho que nos conduz a glória da Ressurreição

O Tríduo Pascal e suas funções litúrgicas devem ser observadas por todos os fiéis com devoção e ação de graças a Deus.

Autor: Padre Ricardo Rodolfo Silva


Aceitação

Ouvi essa história na prédica de um monge budista brasileiro, Gustavo Pinto, na década de noventa. A vida parecia mais fácil nos anos noventa.

Autor: Marco Antonio Spinelli

Aceitação

O que é a beleza?

Há quem diga que somos geneticamente programados para uma determinada percepção de harmonia, certos códigos áureos que transcendem ditames sociais.

Autor: Leonardo de Moraes

O que é a beleza?

São José, o justo

O trecho do Evangelho que se refere a José como homem justo é precisamente o que, na sequência, relata sua magnanimidade.

Autor: Sandro Arquejada

São José, o justo

Sete motivos para rir mais todos os dias

O riso é uma habilidade humana inata que antecede até mesmo nossas primeiras palavras.

Autor: Ros Ben-Moshe

Sete motivos para rir mais todos os dias