Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Música e Educação: essa dupla resistiu à pandemia

Música e Educação: essa dupla resistiu à pandemia

09/12/2020 Profa. Dra. Dinamara Machado e Profa. Dra. Márcia R. Mocelin

Que momento ímpar está vivendo o nosso planeta!

Música e Educação: essa dupla resistiu à pandemia

Passamos do momento do pânico, da busca pela vacina, do estranhamento com governantes, das incontáveis mortes e alguns até ousam relativar a covid-19. Basta abrir os jornais, ligar-se em qualquer dispositivo, que ainda circulam conceitos do “vírus, medo, morte, pandemia, hospital, respiradores, doenças crônicas”, convivemos com notícias que brasileiros não tão honrosos tiveram coragem de fraudar para levar vantagem em momento tão complexo. Diante do amplo espectro de novidades, e de alguns que já preveem ou desenharam o novo normal, devemos nos perguntar: para onde vamos? Por que isso tudo está acontecendo? Por que devo fazer isso ou aquilo? E depois disso tudo o que faremos? Como seremos? Para onde vamos? O que vamos fazer de diferente? Que lição ficou? Pois é!..., e agora, José? Lembrando o poeta!

O ato de ensinar, a escola, os professores, os gestores, a educação em suas múltiplas formas nos proporcionam reflexões das mais variadas sobre a multiplicidade e a pluralidade que podemos encontrar no momento de estabelecermos de que maneira vamos atingir os objetivos de ensino e aprendizagem. Dentre muitas disciplinas que concorrem para a formação humana, creio ser indubitável a importância que a educação musical e, portanto, cultural revelam ao nosso mundo, desde seus primórdios.

É a educação em sua essência que oportuniza ao indivíduo o acesso a música enquanto arte, linguagem e conhecimento. A educação musical, assim como a educação de maneira geral e plena do indivíduo acontece ao longo de sua vida, de duas formas. Uma destas é através da sociedade, da indústria cultural, do folclore, ou seja, assistematicamente, e a outra, por sua vez é diretamente contrária, sistemática e acontece através de instituições como a escola.

O grande papel da escola enquanto formadora de seres humanos é fazer com que ocorra a musicalização do indivíduo, mas, ressalte-se que essa função de musicalizar passa longe do papel de formar músicos profissionais ou mesmo alguma expertise na área. A função da escola é dar condições para que o indivíduo compreenda essa linguagem quando ouve ou até mesmo quando executa música. Musicalizar caminha no sentido de dar ao indivíduo as ferramentas necessárias para compreender e utilizar a linguagem musical.

Feche seus olhos por um instante. Imagine que não existisse música. Imaginou? Não conseguiu? Interessante como naturalizamos as coisas que estão no nosso dia a dia. Não dá para imaginar o mundo sem música, sem sons, sem harmonia, melodia, ritmo. É simplesmente impossível ser indiferente a música, ainda que aos ouvidos não pareça agradável, ou não se encha de significados, ainda assim não é possível ficar alheio.

Música é alegria ou dor, é lembrança ou presente, é movimento, mas não inércia. Lembrando o filósofo alemão, Arthur Schopenhauer, em sua definição mais conhecida sobre o espírito em relação a música: “a música exprime a mais alta filosofia numa linguagem que a razão não compreende”.

Música, acima de tudo, cumpre o papel de ser instrumento de aprendizagem na escola, mas também se revela uma linguagem universal. A música se comunica, se expande, transpõe qualquer barreira do desconhecido.

A música transcende!

A educação é a continuidade da esperança!

Com educação e música é possível resistir até numa pandemia.

* Profa. Dra. Dinamara P. Machado (PhD) é diretora da Escola Superior de Educação do Centro Universitário Internacional Uninter.

* Profa. Dra. Maestrina Marcia Regina Mocelin (PhD) é presidente do Instituto Música e Arte.

Fonte: Pg1 Comunicação



Por que usar muito a cabeça não é pensar com inteligência ?

O cérebro humano é um órgão incrível, mas, assim como a própria natureza humana ele também é limitado.

Por que usar muito a cabeça não é pensar com inteligência ?

Boca seca é alerta: descubra as causas e saiba como prevenir

Conheça as verdadeiras causas da boca seca.

Boca seca é alerta: descubra as causas e saiba como prevenir

Conheça as verdadeiras causas da boca seca

A xerostomia ou boca seca é mais comum entre os mais idosos.

Conheça as verdadeiras causas da boca seca

O condomínio é responsável por danos aos veículos nas garagens?

O condomínio não tem personalidade jurídica.

O condomínio é responsável por danos aos veículos nas garagens?

Mulheres de 50 anos, o tempo de ser feliz é agora!

Se alguém ainda acredita que uma mulher de 50 anos ou mais está no declínio da sua vida anda meio desinformado.

Mulheres de 50 anos, o tempo de ser feliz é agora!

O futuro é digital e é idoso

O que aprendi com minha mãe de 83 anos durante a pandemia.

O futuro é digital e é idoso

Crianças homenageiam heróis no combate ao Covid-19

Estudantes irão entregar uma faixa aos profissionais de saúde do Hospital Universitário da UEL, em Londrina (PR).

Crianças homenageiam heróis no combate ao Covid-19

Sorrir melhora a autoestima e o humor, promovendo conexão pessoal e bem-estar

Ter autoconfiança na hora de sorrir aumenta a autoestima, gera conexão com outras pessoas, melhora o humor, libera hormônios de bem-estar e pode até promover o rejuvenescimento.

Sorrir melhora a autoestima e o humor, promovendo conexão pessoal e bem-estar

Experiência de vida muda comunicação entre cães e humanos, diz estudo

Animais domésticos têm troca de olhares mais intensa com os donos.

Experiência de vida muda comunicação entre cães e humanos, diz estudo

A sadia convivência entre gerações

Você já parou para pensar que muitos conflitos entre gerações poderiam ser minimizados, se apenas uma coisa fosse levada em consideração? Sim!

A sadia convivência entre gerações

Extraordinário homem novo – O princípio do respeito

A cada dia quando nasce o sol, os seres humanos iniciam a repetição de uma enormidade de procedimentos.

Extraordinário homem novo – O princípio do respeito

Cinco principais vícios de postura de crianças e adolescentes

Posturas inadequadas na infância podem levar a problemas musculoesqueléticos importantes na juventude, como desvios na coluna.

Cinco principais vícios de postura de crianças e adolescentes