Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Nostalgia do brincar ao ar livre

Nostalgia do brincar ao ar livre

12/01/2021 Divulgação

Quando os aparelhos eletrônicos entraram intensamente na rotina das crianças.

Nostalgia do brincar ao ar livre

Quando falamos em nostalgia, refletimos sobre a família na era digital e a saudade do brincar entre pais, filhos, irmãos, avós, ou seja, da interação familiar. As brincadeiras foram substituídas pela vasta gama de aparelhos eletrônicos, determinando assim o afastamento das pessoas para a profunda concentração individual aos desafios apresentados pela era digital, em que a vivência coletiva ocorre à distância.

Presenciamos o silêncio nos ambientes onde há somente o brincar digital. Sumiu o "barulho" das brincadeiras, das comemorações, os choros de emoção ou dor, causados pelas descobertas, pelas experimentações e desafios, sumiu o contato físico. Navegar ficou mais rotineiro do que imaginar e criar.

Quando ocorrem os desafios dos jogos e brincadeiras, seja ao ar livre ou de tabuleiros entre os grupos sociais, pode ocorrer um encaixe biopsicossocial, pois vínculos são estabelecidos, as regras determinadas são estratégias de aprendizados dos direitos e deveres em que os participantes aprendem e fortalecem os valores sociais, enriquecem a comunicação, aprendem a compreender os ajustes da convivência coletiva.

Todos trazem algo de si e incorporam algo do outro, ocorre a troca de saberes. A escola e a família têm este papel de suma importância, quando por meio de atividades específicas contribuem para o desenvolvimento da convivência além da era digital. Em muitas situações, os grupos que interagem através de recursos digitais, são os que se fortaleceram e formaram um coletivo de identidades e interesses a partir da convivência presencial. Tornam-se vinculados pela convivência escolar, pelas brincadeiras presenciais e se aglomeram novamente nos jogos eletrônicos. A era digital tem trazido e facilitado o contato com muitas informações e aperfeiçoamentos, porém, não consegue substituir a riqueza da convivência.

O conforto das regras pré-determinadas enfraquece o desenvolvimento, pois tudo vem pronto, é só jogar seguindo as regras impostas. Neste contexto, onde o progresso tem exigido a interação digital surge o desafio de resgatar a convivência presencial, inerente ao ser humano. O avanço digital tem se mostrado de suma importância neste momento de isolamento social, porém precisa ser monitorado, pois não conseguirá substituir a riqueza que tem o momento de imaginar, construir, testar, compartilhar, discutir, enriquecer o movimento de estar presente. A geração que conhece, convive e necessita dos recursos digitais presentes na rotina diária do mundo precisa ser estimulada também a brincar com os jogos que vão além dos eletrônicos.

O caminho para este estímulo surge com a disponibilidade e oferta de atividades que exigem a criatividade, a experimentação, a partilha e o desafio de serem protagonistas em seus coletivos.

Texto: Fernanda Gusso Rosa Meller - professora no curso de Pedagogia do Centro Universitário Internacional Uninter.



Brasileiros solidários

A Gol em parceria com a Avianca, empresas do grupo Abra, transportou doações em mais um voo humanitário.

Autor: Divulgação

Brasileiros solidários

Solidariedade permanente

Há alguém que dependa única e exclusivamente de si? "Ah, sim, 'eu sou o cara, faço e aconteço, sou uma pessoa independente'".

Autor: Padre Marcio Prado


Cemig envia equipes, geradores e veículos especiais para RGS

Equipamentos cedidos pela companhia podem atender até 2.500 mil residências afetadas pelas enchentes no estado.

Autor: Divulgação

Cemig envia equipes, geradores e veículos especiais para RGS

LBV lança campanha de combate à dengue com recado das crianças

O objetivo de promover hábitos saudáveis e eliminar criadouros do mosquito.

Autor: Divulgação


“Dias Perfeitos”: a incrível beleza das coisas simples

Talvez a maior perda de um mundo em que tudo acontece apenas dentro de uma tela é que as pessoas perdem o caminho de seu mundo interno.

Autor: Marco Antonio Spinelli


Saúde espiritual: cura que vem de dentro para fora

É fato que a medicina moderna avançou consideravelmente no tratamento das doenças físicas ao longo dos séculos.

Autor: Tatiana Capanema

Saúde espiritual: cura que vem de dentro para fora

O livro de Tobias: uma história edificante

No século III antes de Cristo um grande número de judeus moravam no Egito, em Alexandria.

Autor: Lino Rampazzo


Como as emoções afetam o ambiente de trabalho?

A concorrência no mundo dos negócios é diariamente uma arena onde a racionalidade e a tomada de decisões estratégicas são imperativas para o sucesso.

Autor: Divulgação

Como as emoções afetam o ambiente de trabalho?

Segredo para casamentos duradouros

Com os anos de relacionamento, não é incomum que todo aquele encanto, a alegria, o prazer de estar com a pessoa amada enfraqueça, diminua, encolha e desbote.

Autor: Déa Jório e Jal Reis

Segredo para casamentos duradouros

Especialista explica as consequências da timidez

Atividades que desenvolvem habilidades sociais podem ser a solução.

Autor: Divulgação

Especialista explica as consequências da timidez

Depressão e ansiedade gestacional, como identificar?

O período gestacional é um momento da vida da mulher, principalmente para as mães de primeira viagem, que mais exige equilíbrio emocional.

Autor: Dra. Andréa Ladislau

Depressão e ansiedade gestacional, como identificar?

Quer casar comigo?

Todo dia era a mesma coisa. Marieta sempre esperava o engenheiro chegar.

Autor: Beto Ribeiro

Quer casar comigo?