Portal O Debate
Grupo WhatsApp

O ego e outras drogas

O ego e outras drogas

03/08/2022 Marco Antonio Spinelli

Acho muito pouco elegante usar a si mesmo como referência ou um autor citar uma frase de sua própria autoria para exemplificar algo.

O ego e outras drogas

Mas vou abrir uma exceção, me perdoem os amáveis leitores e leitoras. Lá vai a frase de Marco Spinelli, proferida em sessões ou supervisões: “O Ego é uma coisa que se leva metade da vida para a ter um bom, e a outra metade para tentar se livrar dele”. Fortalecer o Ego é uma tarefa importante em situações que a Psique está desmoronando ou em risco. É bom ter um Ego estável em tempos de Crise. Tirar o Ego do papel de ator principal de nossa vida mental é uma tarefa longa e importante em qualquer Psicoterapia. Isso leva tempo.

Estou com um paper aqui no meu colo da Neuropsycopharmacology de 2020 falando sobre os estudos com drogas alucinógenas e seus efeitos egolíticos. O que isso quer dizer? Significa que o Ego sai do controle dos processos psíquicos, e isso expande a Consciência. Isso é uma defesa do uso de drogas pelos pacientes? Claro que não. Depois de décadas de atraso e preconceitos, a Neurociência retomou os estudos sobre as drogas alucinógenas, como os Cogumelos da Psilocybes e o LSD. Uso controlado, doses padronizadas, não drogas de balada, feita em laboratórios de quintal. Nesses estudos, os voluntários relatam a diminuição da Consciência Auto Referente que define nossa vida consciente, uma diminuição dos limites Eu/Mundo e um sentimento de fusão e proximidade com tudo e com todos. É como se essas substâncias dessem férias para nossos bons e velhos Egos, com suas obsessões por controle. Isso permite uma sensação de Coração Aberto, tão frequentemente descritas por yogues e meditadores experientes. Desalojar o Ego do centro de nossa Psique permite que a Consciência se expanda, com proximidade e amor pelas pessoas e criaturas sencientes. Parece um ótimo negócio, mas muito restrito a um pequeno círculo de praticantes.

Como já falei em outro artigo, vivemos na época de maior avanço tecnológico de nossa história. Tínhamos tudo para ser a geração mais feliz de todos os tempos, mas o que acontece é justamente o contrário. O uso de Antidepressivos, Ansiolíticos e Estabilizadores de Humor vão batendo recordes ano após ano. As taxas de Suicídio também crescem de maneira impressionante desde 2009, ano em que as relações digitais e as Redes Sociais começam a tomar o planeta de assalto. As Redes Sociais são planejadas para funcionar como uma droga. Cada foto, cada meme, cada cena de violência ativa as áreas de prazer e de dor. A Pornografia também é projetada como droga. As pessoas vão precisando de sua dose, uma depois da outra. Como no caso de substâncias como a Cocaína e Heroína, tudo o que não se relacionar com os efeitos da droga vai se tornando chato, angustiante, um tédio. Queremos a dose de Dopamina da foto da comida, do número de cliques e likes, dos elogios ou ataques dos comentários. Tudo isso alimenta nossos Egos sedentos de poder, de atenção, de capacidade de influência. O Ego, que deveria ser um sábio capaz de regular as nossas emoções e abrir nosso coração, fica reduzido ao Ego de uma criança que quer atenção o tempo todo, quer atrair todos os olhares e fica envenenado pela inveja e ciúme das outras pessoas, ela parecem ter as melhores vidas, os melhores corpos, os melhores carros. Isso vai gerando uma cultura de pessoas dependentes dessa Dopamina. Quando o shot de neurotransmissores acaba, como qualquer droga, o que se sucede é a dor, a angústia e a Depressão.

Os Centros de Meditação e os cursos de Mindfulness estão se multiplicando. No meio da barbárie de insultos e ódio, está se insinuando uma cultura de aceitação, inclusão e apoio mútuo. Consumo consciente, alimentação consciente, acolhimento do fraco, do esquisito, do frágil, dentro e fora de nós mesmos. Isso em paralelo com a cultura de exclusão, de lacração e de cancelamento de quem pensa diferente do hater de plantão. Progressista ou Conservador.

 Estamos numa época estranha, de grande polarização, que vamos ter que escolher entre a consciência e a estupidez. E vamos ter que botar a boca no trombone para enfrentar a estupidez, até porque os algoritmos privilegiam as publicações que geram comoção. O ódio gera mais comoção que o amor. O Ego existe para nos proteger. Mas como eu falei em outro texto, proteção desprotege. Temos que desligar o blá blá blá do medo e alimentar outras coisas dentro de nós. O contrário do Amor não é o Ódio. O contrário do Amor é o Medo.

* Marco Antonio Spinelli é médico, com mestrado em psiquiatria pela Universidade São Paulo, psicoterapeuta de orientação younguiano e autor do livro “Stress o coelho de Alice tem sempre muita pressa”

Para mais informações sobre saude mental clique aqui...

Publique seu texto em nosso site que o Google vai te achar!

Fonte: Vervi Assessoria de Imprensa



O valor de um abraço

Livro de poesias nasce em homenagem aos milhões de abraços perdidos durante a pandemia de Covid-19.


4 situações para usar a imaginação como ferramenta de transformação

O cérebro não reconhece a diferença entre o pensamento e a realidade.

4 situações para usar a imaginação como ferramenta de transformação

Epidemia do coronavírus acelera epidemia de obesidade infantojuvenil

O ganho de peso entre crianças e adolescentes dá sinais de alerta global há algumas décadas.

Epidemia do coronavírus acelera epidemia de obesidade infantojuvenil

Troco Solidário Havan beneficia mais de 140 instituições

Somente no primeiro semestre de 2022, foram arrecadados mais de R$ 6 milhões nas lojas da rede.


Pé chato em crianças a partir dos 7 anos deve ser avaliado por especialistas

Cerca de 4% das crianças não desenvolvem o arco plantar e podem ter problemas nos membros inferiores na vida adulta.

Pé chato em crianças a partir dos 7 anos deve ser avaliado por especialistas

O perigo de quedas e a prevenção de acidentes domésticos com idosos

O aumento da expectativa de vida nos últimos anos aumentou, e como consequência, tivemos um crescimento significativo de idosos.

O perigo de quedas e a prevenção de acidentes domésticos com idosos

Havan contempla mais 16 projetos sociais e culturais por meio de leis de incentivos

No segundo trimestre de 2022, varejista destinou mais de R$ 1,6 milhão aos projetos de lei federal.

Havan contempla mais 16 projetos sociais e culturais por meio de leis de incentivos

Atividades para acalmar crianças autistas

Lidar com as emoções nem sempre é fácil.

Atividades para acalmar crianças autistas

Por que se desconectar da internet?

É comum querermos proteger e privar crianças e adolescentes do uso constante do celular.

Por que se desconectar da internet?

Dia mundial dos avós

Neste domingo, 24 de julho de 2022, comemoramos o II Dia Mundial dos Avós.

Dia mundial dos avós

Joanete pode afetar até 30% das mulheres na fase adulta da vida

O hálux valgo, mais conhecido como “joanete” é uma das deformidades mais comuns dos pés.

Joanete pode afetar até 30% das mulheres na fase adulta da vida

A geopolítica da saúde de todos nós

Até fevereiro deste ano, a grande pauta dos negócios internacionais eram os efeitos da pandemia sobre as economias do mundo.

A geopolítica da saúde de todos nós