Portal O Debate
Grupo WhatsApp

O lazer como aliado do bem-estar

O lazer como aliado do bem-estar

05/07/2023 Kelli Pontes

“O tempo voa!”… Quem nunca ouviu ou disse essa profunda e inevitável verdade?

O lazer como aliado do bem-estar

É perceptível como o tempo registra os acontecimentos desde a fascinante concepção humana até sua finitude. Independente do passado ou do futuro, se é que este existe, o tempo está presente, e o sentimos de forma pessoal e no “viver a vida”.

Para alguns, o tempo é uma dádiva que a vida oferece, assim como tantas outras que estão ao dispor da humanidade. Já para outros, é desafio, pois em meio ao ritmo frenético da vida contemporânea, enveredada por tantas obrigações e pressões internas e externas, como ser protagonista do próprio tempo, quando estão à mercê de produzir e dar resultados cada vez mais elevados? Seja na área profissional ou pessoal, “naturalmente” vêem o tempo voar e sentem-se invadidos pelo sentimento de culpa e frustração por não haver desfrutado daquele momento como desejavam.

Este sentimento pode ocorrer até mesmo no tempo de lazer que deveria ser direcionado a proporcionar bem-estar e recompor a energia por meio da diversão, do entretenimento, da interação social, do autocuidado. Ainda que o lazer vise gerar bem-estar, não é incomum observar que após um fim de semana, feriado prolongado ou férias, há pessoas que demonstram arrastar uma exaustão inexplicável.

Fica a reflexão: estamos utilizando o tempo de lazer para revigorar a alma, aguçar a esperança, renovar o olhar e estar entre pessoas que acalentam o coração? Se isto não está acontecendo é importante parar e avaliar qual a origem do mau-humor, do cansaço ou do estresse, uma vez que tais momentos deveriam trazer leveza, descanso e vigor. O que está consumindo a sua energia? Se há ou não uma resposta, a dica é olhar para dentro de si e analisar se é o momento de ajustar a rota.

Ainda que permaneça vivendo numa sociedade emaranhada no prazer imediato, no consumo impulsivo e por sobrecarga de informações, talvez seja hora de reconsiderar as pequenas e simples experiências com momentos agradáveis consigo mesmo e com outras pessoas.

Desafie-se a descobrir quais atividades de lazer prazerosas que se ajustam à sua realidade econômica e à sua rotina. Priorize a qualidade do que se faz em detrimento da quantidade e intensidade. Mesmo que o tempo de lazer seja breve, pois repentinamente a segunda-feira chega ou as férias acabam, e o que importa é descansar e se sentir realizado e satisfeito com o seu tempo de lazer.

Após redefinir a rota, exercite a gratidão pelo único momento que existe, e que pode viver integralmente, e escolher ser e estar presente, porque o ontem passou e o amanhã não se sabe se chegará. Lide da melhor maneira possível com o prazer de viver o aqui e agora! O tempo de lazer é o único tempo que você pode dizer que é plenamente seu, portanto, não “terceirize” e maneje-o com equilíbrio, para que ele seja um aliado em sua saúde mental, física e espiritual. 

* Kelli Aparecida da Silva Pontes é psicóloga e pós-graduada em saúde mental. Atua como psicóloga clínica e organizacional na Fundação João Paulo II.

Para mais informações sobre lazer clique aqui...

Publique seu texto em nosso site que o Google vai te achar!

Entre para o nosso grupo de notícias no WhatsApp

Fonte: Fundação João Paulo II / Canção Nova



Empatia: a prática da ternura e compaixão

Nem sempre é fácil colocar-se no lugar de outra pessoa diante de uma situação delicada na convivência do dia a dia.

Autor: José Expedito da Silva


4 dicas para ter mais ordem e leveza na vida profissional

Viver em um mundo constantemente em movimento pode facilmente nos fazer sentir desorientados e sobrecarregados.

Autor: Beatriz Machnick

4 dicas para ter mais ordem e leveza na vida profissional

O que é a Síndrome da Cabana?

A síndrome da cabana é um fenômeno psicológico onde o indivíduo apresenta dificuldade em reconectar com a vida social e profissional após um longo período de isolamento.

Autor: Alessandra Augusto

O que é a Síndrome da Cabana?

Tentar significa conseguir – um outro ponto de vista

Eu já li alguns artigos que diziam: “Tentar não significa conseguir” e neste artigo eu abordo um outro ponto de vista sobre este assunto: “Tentar significa conseguir”.

Autor: Renata Nascimento


O poder das escolhas positivas

Livrar-se de pensamentos intrusivos, sentimentos pessimistas e crenças negativas é um desafio e tanto para muitos.

Autor: Nuno Paiva

O poder das escolhas positivas

Viramos escravos das redes sociais?

A presença de celulares se tornou certa em momentos marcantes, sejam eles as primeiras palavras de um bebê ou shows de grandes artistas.

Autor: Lucas Franco Freire

Viramos escravos das redes sociais?

A solidão pode ser uma bomba relógio para o seu coração

Álcool, Isolamento social e saúde mental conheça os fatores que afetam a saúde cardíaca que vão além do sedentarismo e a má alimentação.

Autor: Divulgação

A solidão pode ser uma bomba relógio para o seu coração

Quaresma: tempo favorável à conversão

Por meio do tempo litúrgico da Quaresma, a Igreja se prepara para celebrar o mistério do Cristo Ressuscitado, vencedor da morte e do pecado.

Autor: Padre Wagner Ferreira da Silva

Quaresma: tempo favorável à conversão

Mesmo enfermo, eu sou guerreiro!

Vários cientistas, de todas as partes do mundo, pesquisam exaustivamente a relação entre a fé e a superação de doenças.

Autor: Luzia Santiago


Levar a felicidade para passear

Um modelo de felicidade para mim é levar minha cachorrinha, Bella, para passear. Uma atividade que o resto da família não curte e não reproduz quando eu não posso fazê-lo.

Autor: Marco Antonio Spinelli

Levar a felicidade para passear

Família Salesiana comemora 200 anos do sonho de Dom Bosco

O sonho de Dom Bosco aos nove anos nos convida a olhar para nossa vida e perceber o chamado de Deus.

Autor: Vera Lúcia Reis


Uma história de ninar para quem tem medo do escuro

Inspirado na própria infância, quadrinista Landis Blair publica "A Cabana Noturna", que transforma a hora de dormir em um momento tranquilo, longe de monstros imaginários.

Autor: Divulgação

Uma história de ninar para quem tem medo do escuro